SOLINEY REAGE A OMISSÃO DE NOMES EM DENÚNCIA

SOLINEY REAGE A OMISSÃO DE NOMES EM DENÚNCIA
Denúncias sem nome incorre ao erro


Não basta à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) divulgar a relação das prefeituras envolvidas com agiotagem no Maranhão. Mais do que isso, é necessário que sejam conhecidos os gestores que usaram desse expediente.
Hoje (24), os 41 municípios citados pela reportagem da TV Mirante sobre o caso viraram um pandemônio, com grupos rivais acusando-se mutuamente de participação no esquema.
Comecemos pelo maior exemplo, São Luís. Que prefeito fez negócios com Gláucio? Foi Edivaldo Holanda Júnior (PTC)? Foi João Castelo (PSDB)? Ou teria sido Tadeu Palácio (PP)? Como só o município foi apontado, pode ter sido qualquer um.
Em Coelho Neto, por exemplo, o atual prefeito, Soliney Silva (PSD), reeleito ano passado, já reagiu. “Oficializarei ainda hoje à polícia pedindo informações. Garanto que não há envolvimento da minha gestão com agiotas”, disse ao titular do blog.
Em Pinheiro, aliados de Filuca Mendes (PMDB) garantem que os problemas da Prefeitura com agiotas são da gestão de José Genésio (PSB). Os socialistas tentam jogar a culpa em no peemedebista.
Um dos poucos citados nominalmente na reportagem, o ex-prefeito de José Cardoso Filho, de São Domingos do Azeitão, garante que o cheque supostamente assinado por ele foi fraudado. “Uma montagem grotesca”, declarou. Ele também afirmou que encaminhará ofício à polícia solicitando dados do inquérito para se defender, e cogita até processar o Estado.
Portanto, para evitar dúvidas como essas, garantir a isenção da apuração e o bem dos cidadãos/eleitores, é importante que se saiba, um a um, quem negociou com agiotas.
Do Blog do Gilberto Leda 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *