ROBERTO JEFFERSON FALA SOBRE O MENSALÃO AO DEIXAR HOSPITAL NO RIO

ROBERTO JEFFERSON FALA SOBRE O MENSALÃO AO DEIXAR HOSPITAL NO RIO

Assim que recebeu alta e deixou o Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (5), o presidente nacional do PTB, o advogado Roberto Jefferson, de 59 anos, disse que espera justiça no julgamento do mensalão, que afirmou estar acompanhando pela televisão.
“Acho que é o maior momento de afirmação da democracia do Brasil. Nunca nossas instituições de direto democráticas foram tão sólidas. Torço para que haja justiça e para que aquela corte constitucional afirme a democracia do Brasil cada vez mais”, afirmou o político.
“A minha luta era com o Zé Dirceu. Ele me derrubou, mas eu salvei o Brasil dele”, afirmou.
“Meu octógono de luta com ele (José Dirceu) já exauri. A luta agora é de vocês (imprensa), da opinião pública e dos ministros daquela corte (do STF)”, ressaltou.

Procurado pelo G1, o advogado do ex-ministro José Dirceu, José Luis Mendes de Oliveira Lima, disse apenas que “a defesa não vai perder tempo com o Roberto Jefferson”.

O ex-deputado, cassado em 2005, denunciou o esquema do mensalão no Congresso Nacional, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Jefferson foi um dos 38 réus do julgamento do mensalão.

Ele estava internado deste o dia 26 de jullho para tratar de um câncer no pâncreas. O médico José de Ribamar Saboia de Azevedo afirmou que o paciente encontrava-se em condições clínicas favoráveis para receber alta.
De acordo com informações do hospital, o oncologista Daniel Tabak dará início ao tratamento do tumor daqui a quatro ou cinco semanas, através de quimioterapia, com medicação que será aplicada de forma intravenosa. A previsão é de que o tratamento dure seis meses.
Roberto Jefferson foi liberado pelos médicos para acompanhar o julgamento do mensalão de dentro do hospital. O cirurgião disse também que o tumor maligno do deputado tem 1,4 centímetros, mas dentro de uma lesão benigna.
Segundo os médicos, nos últimos dois anos o presidente do PTB perdeu 20 quilos. Roberto Jefferson, que estava com 104/106kg em 2010, atualmente pesa 82kg. A previsão é que Roberto Jefferson comece o tratamento de quimioterapia venosa cinco dias após a alta médica.
Cirurgia
 
No dia 28, Roberto Jefferson foi submetido à cirurgia de gastroduodenopancreatectomia cefálica (retirada de parte do estômago, parte do pâncreas, duodeno e parte do canal biliar). Além disso, os médicos retiraram os lifonodos regionais (gânglios linfáticos). O boletim divulgado após a cirurgia, que durou oito horas, informava que não havia sinais de que o tumor seria maligno. No entanto, os médicos ressaltaram que seria necessário aguardar o resultado definitivo.
Jefferson chegou ao Hospital Samaritano por volta das 8h do dia 26 de julho. No dia seguinte, o ex-deputado, cassado em 2005, passou por procedimentos pré-operatórios, como cuidados com alimentação e exames clínicos.
Réu no mensalão
 
Na sexta-feira (3), ao fim do julgamento, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu a prisão de 36 réus, incluindo o político. Gurgel pediu a absolvição, por falta de provas, de dois acusados: o ex-secretário de Comunicação Luiz Gushiken e Antonio Lamas, ex-tesoureiro do Partido Liberal, uma das cinco formações implicadas no escândalo.
Roberto Jefferson é acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por, supostamente, ter recebido R$ 4 milhões do chamado “valerioduto”, que, segundo a denúncia, era operado por Marcos Valério e abastecia parlamentares aliados ao governo.
Em 2005, em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”, Jefferson relatou o “modus operandi” do mensalão, detonando o maior escândalo político do governo Lula (2003-2010).
Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *