Provando do próprio veneno: MP confirma compra de votos de Aluízio e Belezinha…

Belezinha e Aluízio: provando do próprio veneno

O Promotor de Justiça Douglas Assunção Nojosa, respondendo pela 1ª Promotoria de Chapadinha, em sentença proferida no último dia 20 de abril, manifestou-se favorável a Ação de Investigação Judicial Eleitoral -AIJE impetrada pelo atual prefeito Magno Augusto Bacelar Nunes contra a ex-prefeita Maria Ducilene Pontes Cordeiro.

Em seu parecer, o Ministério Público alega que mesmo com a alegação da defesa dos envolvidos em negar o fato que lhes são imputados (de compra de votos), que as investigações confirmam o delito.

“Tanto as provas presentes na ação, quanto as que foram colhidas durante a instrução processual são patentes em confirmar não apenas a promessa ou oferecimentos dos bens em troca de obtenção dos votos, mas, também, a efetiva entrega daqueles no endereço indicado pelas supostas beneficiárias da vantagem ilícita.

O Ministério Público destaca que as declarações da testemunha de iniciais M.C.C.S “são cristalinas ao evidenciarem o intuito deliberado do ex-secretário de Obras Aluízio Santos em oferecer e entregar materiais de construção em troca dos votos da família da testemunha, prestadas de forma veemente, sem divergências ou dúvidas”.

Parecer do MP pede ineligibilidade até 2024

Outra prova que corrobora com o crime da denúncia de acordo com o Ministério Público é o áudio ambiental da conversa, cuja autenticidade foi validada por um Perito Criminal Federal confirmando o interesse do ex-secretário de Obras Aluizío Santos em fornecer bens para angariar votos da família na localidade Fonte do Mato.

Em seu parecer o Ministério Público rechaça qualquer tentativa de desvincular a ligação de Aluízio Santos com a então candidata à reeleição Maria Ducilene, alegando sua participação na coordenação da campanha de 2012 e 2016, além de sua força no governo ocupando duas secretarias importantes e a acompanhando em diversos eventos oficiais na cidade, na capital São Luís e até mesmo em Brasília.

O parecer do Ministério Público não definem o caso mas deixam Aluizio e Belezinha numa verdadeira saia justas. Se condenados, os dois podem ficar inelegíveis até 2024.

Entenda o caso

A denúncia da compra de votos feita por Aluízio considerado “operador” da ex-prefeita, se tornou pública através do Blog do Alexandre Pinheiro em 29 de setembro de 2016 e ganhou grande repercussão.

Na época, os advogados da Coligação Chapadinha de Todos Nós do então candidato a prefeito Magno Bacelar, protocolaram na justiça essa ação de compra de votos e abuso de poder contra a dupla Belezinha e Aluizio, a partir do áudio de uma conversa entre o ex-secretário de obras e uma eleitora, comprando votos em troca de materiais de construção e emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *