PRESIDENTE DO SINDICATO DOS PROFESSORES DE COELHO NETO AMEAÇA PROCESSAR SAMUEL BASTOS

PRESIDENTE DO SINDICATO DOS PROFESSORES DE COELHO NETO AMEAÇA PROCESSAR SAMUEL BASTOS


Num período em que a função de jornalista não exige mais diploma e que os blogueiros surgem a toda parte, me deparei com a oportunidade de tentar emitir opiniões, informar e proporcionar aos usuários da internet, um canal de comunicação diferente. O blog por si só é diferente, para tanto, o tratamento desse canal de notícias foge os padrões tido como convencionais.

Na atual conjuntura, qualquer blogueiro que se preza, principalmente aqui do Maranhão, sonha chegar aos índices de visitação do todo poderoso Décio Sá, jornalista do Imirante que nos mantém informados das notícias dos bastidores políticos.

Com o advento da Constituição Cidadã de 1988, a ditadura abriu espaço para a democracia, e a liberdade de expressão se tornou um dos mais belos princípios constitucionais. No último dia 26 de junho, postei uma notícia emitindo uma opinião a respeito da paralisação de advertência feita pelo Sindicato dos Servidores de Coelho Neto – SINTASP. Embora sabendo que poderia não agradar, tratei do assunto numa ótica muito pessoal e em nenhum momento vislumbrei denegrir a honra de quem quer que seja.

No entanto, ontem (30) fui surpreendido numa atitude inesperada em uma das escolas que trabalho (José Barreto) pelo Presidente do SINTASP Sr. OSMAR AGUIAR FERREIRA. Aparentemente a conversa tinha um tom amigável, pois sempre o tive como da minha estima. Mas para minha surpresa o Presidente foi logo me propondo à realização de um debate sobre Educação e em seguida não parou mais. Disparou como uma metralhadora giratória na frente da colega Vera Lúcia (com quem ele já discutia quando ia passando) e em pleno pátio da escola, uma série de impropérios e destemperos questionando o teor do meu artigo.

Descontrolado, falando alto e nervoso, o Presidente ameaçou de me processar pelo fato, pois segundo ele “não aceitaria ninguém tentar desmoralizar o Sindicato”. Atribuiu que minha atitude era para aproximação com o Governo Municipal, o qual ele acusou de está patrocinando o blog, o que poderia se perceber pelas cores e pelas matérias a respeito da 1ª. Dama. Neguei as acusações e deixei o Presidente falando sozinho, com a simples afirmação de que estava muito feliz apenas por ele ter tomado conhecimento da minha opinião.

Após o episódio procurei fazer uma reflexão a respeito da atitude imatura, intransigente e ditadora do Presidente OSMAR AGUIAR. Se a minha opinião é tão errada e tendenciosa, porque o Presidente ficou tão incomodado? Se de fato minha opinião como cidadão e formador de opinião não era a mais correta, o papel de um líder sindical sensato era no mínimo de prestar esclarecimentos, de me convidar a conhecer o outro lado da história e não me censurar pelo que redigi.

Além de falta de espírito público típico dos grandes líderes, o Presidente do SINTASP revelou-se como alguém excessivamente sem controle e que não aceita opiniões contrárias as suas. Costumava dizer Jean Jacques Rousseau que “a liberdade, às vezes, oprime”, e a ameaça de ser processado me fez sentir assim, oprimido. A postura de um Presidente visivelmente abalado emocionalmente e destemperado, em nada reflete a postura de um legítimo sindicalista, se não fosse assim, os patrões jamais aceitariam sofrer pressões de classes trabalhistas que reivindicam direitos. E se os trabalhadores fossem ameaçados de processo toda vez que discordassem dos patrões como seria?

A Profa. FRANCISCA ANA (minha professora nas épocas da Escola Chapeuzinho Vermelho) quando presidiu o Sindicato por um curto espaço de tempo, teve uma passagem tranqüila, atitude típica de seu temperamento conciliador. Nunca fui de trocar affair com o ex-Presidente do SINTASP e hoje vereador AMÉRICO DE SOUSA por militar em campos opostos ao dele, mas o respeito e os votos recebidos na última eleição refletem justamente numa postura diferente, mas que impôs respeito a entidade, e é preciso se reconhecer isso. AMÉRICO jamais seria capaz de bater boca com alguém por uma crítica feita a sua gestão a frente do Sindicato, pois por ocupar a função pública ele sabe que se está sujeito a isso. Jamais imaginaria sentir falta de Américo de Sousa!!!

Enfim, uma vez mais a certeza de que continuarei emitindo minhas opiniões. Quando erradas, me desculpando e reconhecendo possíveis exageros, mas nunca me curvando a ameaças e outras formas de intimidação. Fica o registro do meu repúdio a afronta ao direito de liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *