Página virada: Professores de Afonso Cunha dão adeus ao pó de giz…

Parece brincadeira mais não é. Chegamos em 2017 e as escolas da rede municipal de ensino da cidade ainda estão na era do quadro de giz, mesmo com tantos recursos vindos para a educação anualmente. Desde que assumiu o mandato no início do ano, o prefeito Arquimedes Bacelar (PTB) comentava com constrangimento aquilo que ele considerava um desrespeito a classe de professores.

“Será que os recursos do FUNDEB nos últimos não dava para custear a troca desses quadros? Os quadros além de ultrapassados, estavam quase todos danificados e comprometendo a saúde dos professores com toda sorte de doenças respiratórias. Deixaram de gastar dinheiro com o que era realmente útil para comprometer com o que não deveria, por isso estão ai com as contas rejeitadas e arrolados na relação dos fichas-sujas. Isso era pra ser algo comum, mas demorou tanto que precisa ser celebrado mesmo”, disse ele.

O secretário de Educação professor Milton Bastos destacou que durante esses início de governo, a situação até aos dias atuais era alvo de piadas de toda ordem. “Todo mês passava por um constrangimento ao correr atrás de comprar caixas de giz em todas as cidades de região. Além do item ser difícil de ser encontrado, ainda me deparava com a chacota das pessoas questionando que cidade ainda usava quadro a giz”, revelou ele.

Na última terça (17), o prefeito fez a entrega simbólica dos apagadores e pincéis para os professores, que agora contarão com quadros especiais feitos em blindex, separados em duas placas de 2 metros cada um. A troca acontecerá em onde existir quadro negro, obedecendo o cronograma de reparos que estão sendo feitos nas escolas.

O governo conseguiu deixar para trás mais um símbolo do atraso vivido pela educação nos últimos 8 (oito) anos e os professores celebraram as mudanças.

O pó de giz agora será apenas uma página do passado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *