NEM FAZ NEM DEIXA FAZER: A HISTÓRIA DO TERRENO DE 10 MILHÕES DO EX-DEPUTADO

NEM FAZ NEM DEIXA FAZER: A HISTÓRIA DO TERRENO DE 10 MILHÕES DO EX-DEPUTADO

É quase que impossível às pessoas na política fazerem gestos quando o assunto é o bem estar do povo, principalmente se o que estiver em discussão for relacionado ao povo de sua terra. Quando se está no palanque, as declarações se tornam corriqueiras e o “amor” pelo povo soa tão fácil quanto tomar bombom de criança.



Ex-deputado Antônio Bacelar: no discurso ama Coelho Neto e por trás dificulta projeto aprovado para o Município
Parte da oposição de Coelho Neto até hoje não engole que a conquista do IFMA veio justamente por intermédio do Prefeito Soliney Silva-PSD e do Deputado Federal e hoje Ministro do Turismo Gastão Vieira-PMDB. Não engolir a história é uma coisa, mas dai querer atrapalhar é outra totalmente diferente. Pois foi na intenção de atrapalhar que o ex-Deputado Estadual Antônio Bacelar-PV entrou na justiça para inviabilizar a construção do IFMA  no local onde o campus universitário está sendo construído.



Se dependesse do processo de autoria do deputado Bacelar, obra do IFMA ainda hoje não teria saído do papel
No documento em que o blog teve acesso com exclusividade, o ex-deputado entrou na justiça contra a Prefeitura para entre outras cositas requerer a revogação de forma imediata da liminar de imissão de posse concedida ao município de Coelho Neto para construção do IFMA, tudo isso por conta do terreno situado na Rodovia Estadual MA-034, medindo 630 metros de frente e área de 126.000,00 m².
Se visasse o bem do povo da terra que ele e a esposa dizem que ama, o ex-deputado poderia ter feito um gesto e doado o terreno para que a Prefeitura construísse obra de tão grande importância para a cidade. Tamanho gesto o consagraria como um homem público que coloca o bem estar do povo acima do interesse particular. Mesmo não doando, a Prefeitura desapropriou e o indenizou pelo terreno.
Cópia do processo impetrado por Bacelar na justiça para entre outras coisas dificultar processo de construção do IFMA

Ledo engano. Contrariando esse pensamento, o ex-Deputado Antônio Bacelar que alegou ser o proprietário do terreno, entrou na justiça dizendo que a área estava avaliada em R$ 10.710,000,00 (dez milhões, setecentos e dez mil reais), caso que se julgado procedente pela justiça teria tido duas vertentes: atrapalharia ou impossibilitaria a construção do IFMA e ocasionaria uma verdadeira sangria aos cofres públicos.  Tanto dinheiro assim daria para construir outros 04 prédios do IFMA do mesmo tamanho do que esta sendo construído.



Bacelar e seu terreno de mais de 10 milhões: com esse dinheiro daria para ser construído quase 4 novos IFMA’s do modelo do que está sendo construído na cidade
Se amando o povo de Coelho Neto o ex-deputado age dessa maneira, imagine se ele odiasse…

Em primeira mão às 10h:15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *