Jornalista denuncia agressão brutal por ex-prefeito “nas barbas” do Secretário de Segurança no interior do Piauí

O amigo e jornalista Ademar Sousa foi violentamente agredido durante evento realizado no interior do Piauí no último sábado (08), pelo ex-prefeito Flávio de Teté e seus capangas e tudo isso pasmen, na presença inerte do secretário de Segurança Pública Fábio Abreu.

O relato drámatico do jornalista e publicado em seu blog mostra a situação de descontrole dos projetos de coróneis que ainda insistem em manchar a política nacional. Por se tratar de uma inauguração de obra com recursos da Secretaria das Cidades, o Governo do Estado precisa obrigatoriamente se pronunciar sobre o caso.

Segue o relato:

Na tarde de sábado (08/07),  eu, Ademar do Nascimento Sousa, quando estava atuando como radialista e jornalista no livre exercício da profissão, durante uma festa de inauguração da obra de calçamento no Povoado Invejada dos Cardosos, zona rural de Alto Longá (PI), com as presenças dos secretários de Segurança Pública, Fábio Abreu (deputado federal licenciado) e das Cidades, Fábio Xavier (deputado estadual licenciado) fui agredido fisicamente com socos pelo ex-prefeito Flávio do Teté (visivelmente embriagado), na companhia do vice-prefeito Maciel Sindô, do vereador Cícero Branco (PT), do ex-vereador Assis Sindô, dentre outros homens descontrolados. Sem dúvida, foi um ato brutal e covarde porque eu não representava nenhum perigo à sociedade naquele momento, visto que não estava ofendendo ninguém. Apenas como locutor profissional disse que a população do Povoado Invejada dos Cardosos estava recebendo benefício do Governo do Piauí, através da Secretaria das Cidades, atendendo reivindicação do jovem líder Belauto Bigode. O vereador Cícero Branco subiu ao palco e pediu o microfone para se pronunciar de maneira arquitetada, mesmo assim, facultei a palavra a ele de maneira democrática e respeitosa. Mas, na verdade, a intenção dele ficou clara que queria tumultuar e bagunçar o evento, chamando para subir ao palco o ex-prefeito Flávio do Teté e o atual prefeito Henrique César Arêa Leão Costa. Naquele instante, eu disse que não falaria nenhum político para não virar um palanque eleitoral. O meu irmão Evaldo Sousa e o meu primo Valdenir também foram agredidos fisicamente quando tentaram me prestar socorro. Por pouco, não sofri uma situação de linchamento por elementos inescrupulosos e, acima de tudo, covardes. A única arma que eu usava era a minha caneta com a qual utilizo para o bom jornalismo.

Por causa disso, o ex-prefeito Flávio do Teté partiu furioso e começou a me agredir covardemente com ajuda de seus puxa-sacos. Em determinado momento, eram mais de 10 homens me agredindo fisicamente. A partir daí, houve quebra-quebra com o palanque se transformando numa verdadeira arena de ringue. Acredito que eles tiveram a intenção de matar.  Por isso, estou pedindo ao Secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu, que tome as devidas providências cabíveis para tal fato. Inclusive, aconteceu o envolvimento de um policial civil que não prestou concurso público para exercer a função, já que entrou supostamente pela janela. Vou a Polícia Federal pedir proteção, pois se trata de uma tentativa de morte contra um profissional de imprensa.

Sou um cidadão de bem. Nunca cometi nenhum crime contra ninguém. Exerço há 32 anos a profissão de radialista e jornalista cobrindo fatos políticos e o cotidiano em dois estados: Piauí e Maranhão ao mesmo tempo com o Blog Ademar Sousa (www.ademarsousa.com.br) e no Portal Tribuna do Maranhão (www.tribunadomaranhao.com.br).

O ex-prefeito Flávio do Teté está desesperado porque não exerce mais o cargo de Chefe do Executivo Longaense. Ele demonstrou despreparo e descontrole para exercer qualquer função pública.

 Desde já, quero agradecer a solidariedade dos colegas jornalistas do Piauí e do Maranhão que estão me ligando a todo momento. Estão indignados com o ato covarde. Eu não estava causando nenhum desrespeito a ninguém. Também quero agradecer a solidariedades de autoridades e políticos comprometidos com o respeito e a não violência seja física, seja verbal. O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Piauí, José Olímpio de Castro, vai se manifestar sobre o caso e vai exigir rigorosa apuração dos fatos e que os culpados sejam punidos pela Secretaria de Segurança Pública do Piauí.

Presidente do Sindicato dos Jornalistas do Piauí se manifesta

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Piauí José Olímpio Leite de Castro se manifestou neste domingo (09), sobre o ato de agressão contra Ademar Sousa. Ele condenou a atitude do secretário de Segurança Pública que por mera conveniência politiqueira assistiu a tudo sem esboçar qualquer reação.

“A brutal violência contra o jornalista aconteceu na frente do Secretário de Segurança, Fábio Abreu, que nada fez para impedir a covarde agressão. Logo após a ocorrência, o jornalista, que foi socorrido por um irmão que estava próximo, procurou a delegacia da cidade para registrar um BO, mas o local estava fechado.

O Sindjor-PI colocou a sua assessoria jurídica à disposição do jornalista agredido e o orientou a fazer o exame de corpo de delito em Teresina e a registrar a ocorrência no Departamento de Polícia do Interior, já que a delegacia de Alto Longá não funciona como devia.

Fábio Abreu não estava em Alto Longá como secretário de Segurança Pública, mas como político, fazendo, quem sabe, campanha extemporânea, razão pela qual nada fez para impedir a violência contra o jornalista Ademar Sousa, que foi massacrado diante dos seus olhos”, disse ele.

One thought on “Jornalista denuncia agressão brutal por ex-prefeito “nas barbas” do Secretário de Segurança no interior do Piauí

  1. Há muito tempo o Radialista Ademar vem criando tumulto no Município de Alto Longa, cumprindo paixão política e não aceita a derrota de seus candidatos nas últimas eleições de 2016. No dia 08/07 na Comunidade Invejada dos Cardosos, em comemoração ao dia do Vaqueiro, o dia tinha como homenageados e convidados o Atual Prefeito e Vice Prefeito de Alto Longa e o ex Prefeito Flavio do Teté. O Radialista queria proibir o homenageado Flavio do Teté de se pronunciar, o que gerou tumulto. Lá tinham mais de 500 pessoas e todos podem confirmar. A festa era dos vaqueiros e dos Homenageados, como consta no convite dos Festejos. A intenção do Radialista era bagunçar, até mesmo porque no dia 09/07 é que seria o dia determinado para que Ademar se pronunciasse, que era o dia dos políticos que ele acompanha. Ademar subiu no palco sem ser convidado, depois que a Banda anunciou os patrocinadores que eram exatamente os organizadores e homenageados do Dia. Inconformado procurou bagunçar o evento tentando proibir os homenageados de se pronunciarem. O Secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu estava presente e viu que não houve agressões. São inverídicas e infundadas as acusações. Marciel Sindô, Assis Sindô e Flavio do Teté são cidadãos de bem, que são testados e aprovados nas urnas, teem relevantes serviços prestados a população Altoloaense e sempre estão presentes em todos os eventos e festejos das Localidades de Alto Longa, nunca tendo participado de nenhuma confusão.
    A intenção de Ademar é de sair de vítima, e denegrir a imagem de cidadãos de bem. Assis Sindô é pai do Vice prefeito Marciel Sindô e da vereadora Lana Sindô que nas últimas eleições foi a vereadora mais votada. O Vice Prefeito Marciel Sindô foi agredido por Ademar, Valdenir do comércio e Evaldo. Esses três elementos foi quem causaram o tumulto e a baderna no local. Assis Sindô é um cidadão de bem, que trabalha nos quadros da Secretaria de Segurança Pública, ocupa o cargo de agente operacional de Serviços, ingressou nós quadros do Estado antes mesmo de existir concurso Público, direito adquirido por lei a todos os cidadãos. É um homem sério, trabalhador e sempre cumpriu com respeito o seu ofício.
    Após o acontecido registramos boletins de ocorrência na Delegacia Local, noticiando o ocorrido e será apurado pelo Delegado do 15 Distrito policial, Delegado Paulo Pires.
    Assina: Assis Sindô.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *