JOÃO DE SOUSA É “ISCATITADO” SEM DÓ NEM PIEDADE

JOÃO DE SOUSA É “ISCATITADO” SEM DÓ NEM PIEDADE

O blogueiro Raymundo José aproveitou a deixa do post Greve dos Professores em Coelho Neto para responder o sindicalista e balaio João de Sousa, a respeito do teor de sua matéria. João de Sousa é daqueles que aponta o dedo na cara dos outros sem fazer antes uma auto-avaliação. O que dizer por exemplo dos seus textos cheio de frases desconexas e erros gritantes? Mas o dito cujo não é formado? Não é o professor a procura de direitos? E os deveres? Imaginem o que pensaria a equipe técnica do MEC se a Secretária de Educação Rosário Leal mostrasse metade do que ele apronta com o Português… Será que é diferente na sala-de-aula? Desacreditado e sem credibilidade conforme o post de Raymundo José, o balaio adora distorcer os fatos e criar factóides para tentar ludibriar a opinião pública a respeito da greve. A publicação foi tão boa que resolvi republicar aqui.

Não devemos perder tempo com “laridos” sem fundamentação lógica e, muito menos, de origem que não representa competência e credibilidade. Só que tudo tem limite e como o assunto foi publicado tá sujeito a ser interpelado. Vamos lá.
Em primeiro lugar (faço questão de admitir isso) não sou professor. Sou apenas um cidadão comum, com filhos na Escola. O que não é pré-requisito para com o assunto que vou abordar agora nesta postagem.

Agirei assim em respeito aos leitores do meu blog, que apesar do pouco tempo em atividade (desde setembro 2010) já superou marcas só conseguidas por alguns companheiros com mais de três anos na rede.

Vou direcionar este meu comentário agora para com uma postagem carregada de suspeição, pois o seu autor (João de Sousa) se acha acima das demais pessoas só porque é chamado de professor. “Docente”, você precisa ter cuidado com as palavras que usa, principalmente na sua obsessão de promover a desordem para confundir a opinião pública. Olhe Doutor, coloque os pés no chão pois a caminhada é longa, e “só o tempo é o senhor da verdade“. E esta (a verdade) não está nas suas palavras.

A sua postagem Greve de Professores em Coelho Neto”, para a boa arte de bem informar ao público, precisa ser interpelada. O que eu, na condição de pai de aluna, passo a exigir algumas correções. Como segue:

Primeiro.

O blog do professor/sindicalista não segue a linha da imparcialidade. Se assim caminhasse não amargaria tamanha rejeição e falta de credibilidade. Digo isso, pois o seu blog (que vai completar dois anos em atividade – desde julho de 2009) só conseguiu atrair (até este momento) apenas 04 seguidores e atingir a pífia média de 177 acessos por mês. Para tão insignificante trabalho só a falta de credibilidade e de competência pode justificar esses tristes resultados.

Segundo.

Por isso que o IDEB no nosso município não avança, pois fica difícil evoluir já que há professor (João de Sousa – por exemplo) que não sabe fazer a correta Pontuação e a Concordância Verbal dos seus textos, postados no seu blog. E é porque no blog a pessoa usa das ferramentas de correção. Já pensou na escola.

Terceiro.

Entrando no assunto da sua postagem (“Greve de Professores em Coelho Neto”), recomendo que o Blogueiro em referência desça do degrau da fantasia de se achar melhor que os outros e passe a ser ético, responsável e profissional, já que ao mesmo não é admissível (pela função que exerce) usar de práticas subversivas à ordem pública.

Na sua obsessão de sindicalista, o blogueiro escreveu na sua postagem o seguinte (tá em negrito):

Quarto. =

“… o governo tem buscado de todas as formas paralisar o Movimento através de ações na justiça”

RJ Ah, então tem que ser na porrada?

Quinto. =

“…sem sucesso, uma vez que os professores tem agido dentro da legalidade”

RJ – Sim, estamos vendo as “ações legais”: Intimidação e Terrorismo psicológico aos alunos; Pressão aos alunos para não entrarem na escola (Temos vídeos gravados nas portas de algumas escolas mostrando professora praticando essas ilegalidades).

Sexto. =

“…ganhando repercussão na região”

RJ – repercussão em que região, se não há nenhuma citação a esse “movimento”?. Sem falar que ele parece mesmo é com um palanque político.

Sétimo. =

“…os grevistas têm demonstrado um grande poder de organização”

RJ – Aí pegou pesado, pois se isso aí for organização as verdadeiras iniciativas foram agora (pelo blogueiro) atiradas na vala.

Oitavo. =

“…Secretária Municipal de Educação que vive um verdadeiro mar de descrédito perante a categoria e a população”

RJ – É, se a categoria e a população que mencionas forem as que lideram o “movimento” aí você pode juntar os mares que mesmo assim, ainda, não abalarão o prestígio da Secretária junto ao Prefeito.

Nono. =

“…Ameaças de suspensão do Bolsa família aos pais que não mandarem seus filhos à escola”

RJ – Estas suas declarações (falsas) mostram que não és digno da profissão que exerce, já que o professor deve ser um exemplo aos alunos e à comunidade.

Décimo. =

“…uso de voluntários sem a devida qualificação para o exercício do magistério para ministrar aulas no lugar dos professores grevistas”

RJ – Não vou corrigir a falta de pontuação na sua frase, apenas dizer que os voluntários são universitários e, com certeza, preparados para substituírem professores/sindicalistas/grevistas sem a mínima força de vontade de bem exercer a sua obrigação para a qual foi designado.

Para fechar o assunto, olha que pérola tá na postagem do professor quando o mesmo fala sobre o posicionamento do Tribunal de Justiça:

“…O que há de fato é uma recomendação de que não haja excessos e caso isso ocorra fica fixado uma multa diária ao sindicato da categoria”. Porem, isso não vem acontecendo

RJ – Professor, cadê a correta pontuação na sua frase?

É moço, agora vou plagiar o Samuel (Blog Língua Solta): Tu juras que não tá acontecendo excessos?

Como você é contra os voluntários em sala de aula, é bom ficar sabendo disso: CUBA só acabou com o analfabetismo naquele país devido à participação dos alunos como voluntários em sala de aula.

Agora, se o blogueiro tá fazendo estágio para atuar como líder sindicalistas e tá com medo de ser superado por algum voluntário ou, ainda, ver a sua entidade continuar perdendo a falsa representação que ostenta possuir, a sua postura deve continuar assim.

Para finalizar, responda:

Estás contribuindo para com a formação dos nossos alunos ou apenas marcando passos buscando superar os traumas e as frustrações da caminhada?

Aguardem um resumo sobre o último IDEB nas escolas de Coelho Neto. Aí veremos, realmente, se alguns professores desse movimento estão com bagagem para se acharem mais sábios que os demais humanos desta cidade. (Do Blog do Raymundo José)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *