Ex-prefeito de Coelho Neto defende cobrança popular para situação do Hospital Ivan Ruy

O ex-prefeito de Coelho Neto Magno bacelar utilizou sua rede social recentemente para defender uma reação para sociedade para a resolução da problemática do Hospital Ivan Ruy.

A fala se deu após a divulgação da foto do prédio do hospital que é público, que fora depredado e encontra-se em completo estado de abandono numa demostração clara de descaso e desrespeito com a coisa pública.

A seguir a integra da nota:

HOSPITAL IVAN RUY É DO POVO

Não me ocorre outra publicação que tenha despertado tanto interesse quanto aquela em que o Euclides exibiu as “ruínas” do Hospital outrora referência nacional e orgulho de nossa terra. Impossível ignorar a maneira apaixonada e sofrida com que todos se reportaram ao doloroso assunto. Afirmar que mais de 80% das pessoas acima dos 15 anos tem um vínculo afetivo ou de gratidão para com o Ivan Ruy e seu corpo clínico é expressão da verdade. Não só o cordão umbilical prende ao Ivan Ruy, dele fomos dependentes, por várias décadas, do nascimento à morte. Quantas pessoas, sem acesso às redes sociais, gostariam de haver se manifestado…

Por mais de uma semana foram expostas frustração, mágoa e o sentimento de perdas irreparáveis. Não concordo com o derrotismo. Urge uma REAÇÃO à altura. Denúncia fundamentada em fatos, exigência de mais transparência e decisão por parte da Justiça. A afronta e impunidade deram cobertura a um crime escabroso. Cruzar os braços significa concordar e apoiar esta vergonha que enodoa a nossa história, se configura traição coletiva. Não nos é permitido abrir mão daquilo que é patrimônio público, tão pouco permitir que as chamas da ambição selvagem incinerem um passado de tradições e honradez. É mais digno enfrentar a derrota que fugir à luta. Pusilânimes e covardes não fazem história, ao contrário, alimentam a ousadia dos criminosos.

Euclides trouxe à discussão um assunto que incomoda a todos, um pesadelo interminável que torna insones nossas noites. É hora de ação antes que seja tarde. Lamentações e críticas infrutíferas nada resolverão, assim como transferir responsabilidades ou culpar políticos omissos já demonstrou sobejamente total inutilidade. O crime não foi perpetrado somente conta o Ivan Ruy mas contra a sociedade. É “caso de Polícia”. Alguém vendeu patrimônio público burlando a Lei, de forma fraudulenta. Quem comprou, tal como os receptadores, também cometeu crime. Coelho Neto ainda é uma cidade pequena para justificar a alegação de “compra de boa fé”.

Américo tentou, sem êxito, uma negociação amigável, recorreu à Justiça onde o processo se arrasta em sucessivas protelações. Quando decretei intervenção, o patrimônio ainda estava em poder da Fundação, a Justiça anulou o ato permitindo que o crime fosse consumado. Porque não solicitar ao Prefeito que informe o andamento do feito.
Iniciemos a reação promovendo um abaixo assinado, com a adesão de todos, pedindo agilidade e Justiça, a ser entregue em ato público em frente ao Fórum.

Sem luta não haverá vitória.

EMPUNHE ESTA BANDEIRA !!!

Deixe uma resposta