Encontro capacita gestores estaduais sobre ID Jovem

O Encontro Nacional de Gestores Estaduais de Juventude, promovido pela Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), em seu auditório, em Brasília (DF), capacitou os gestores sobre o programa ID Jovem – destinado a jovens de baixa renda – e passou relatórios sobre as outras ações e o planejamento da secretaria. O Fórum dos Gestores de Juventude foi reativado e, para a presidência, foi eleito Leonardo Felipe, Superintendente de Juventude de Goiás, e, para a vice, Jessica Ohana, do Rio de Janeiro. A secretaria ficou com Vicente Gomes da Silva, do Piauí.

“O objetivo é que eles não tenham mais nenhuma dúvida sobre o programa”, afirmou o secretário nacional de Juventude, Assis Filho. Os gestores foram capacitados sobre o programa que concede o benefício de passagens gratuitas interestaduais em ônibus, trem ou embarcação convencional; e garante meia-entrada em eventos culturais e esportivos, além de conceder gratuidade na emissão da Carteira de Identificação Estudantil (CEI). O ID Jovem beneficia 16 milhões de jovens brasileiros e os gestores de Juventude receberam os dados do programa com o recorte por estado. Também foi debatido o calendário das oficinas de capacitação nos estados, com o objetivo de fazer o programa chegar a todos os que precisam.

Assis falou sobre a reativação do Juventude Viva e anunciou que o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) terá um orçamento de 978 mil reais neste ano. “Não dá para fazer política de juventude sem ouvir a sociedade civil e o Conjuve é o espaço democrático e de controle social”, disse o secretário.

O secretário anunciou que haverá a tentativa de replicar em nível federal todos os programas e ações voltados para a juventude que estiverem melhorando a vida do jovem de 15 a 29 anos nos estados e municípios. “Não importa o partido que implementou, o que estiver dando certo vamos tentar transformar em política nacional de juventude”.

O Programa Identidade Jovem – ID Jovem, destinado à jovens de baixa renda, tem como objetivo garantir os direitos estabelecidos no Estatuto da Juventude, referentes à mobilidade e ao acesso à cultura. Para participar do programa precisa ter entre 15 e 29 anos e pertencer a famílias com renda mensal de até dois salários mínimos, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Texto: Ascom/SNJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *