Em seu 100º jogo no Chinês, Elkeson terá primeiro reencontro com Guangzhou

Há mais de quatro anos na China, Elkeson conhece as boas sensações que o futebol do país pode oferecer: foi campeão nacional três vezes, conquistou dois títulos asiáticos, disputou dois Mundiais de Clubes, já foi artilheiro (duas vezes) e eleito melhor jogador da liga nacional. Mas neste sábado ele terá um sentimento diferente: enfrentar pela primeira vez seu ex-clube, o Guangzhou Evergrande, onde se tornou ídolo.

O brasileiro defende o Shanghai SIPG desde a temporada passada, mas não pôde duelar contra sua antiga equipe por uma cláusula contratual que impedia sua participação. Por isso, antes mesmo do ano começar, já dizia que uma de suas grandes motivações para 2017 era duelar com o atual hexacampeão nacional, comandando por Felipão. E o calendário do torneio fez com que o reencontro coincidisse com uma marca importante de Elkeson: sua 100ª partida no Campeonato Chinês.

– Estou ansioso para reencontrar meus antigos companheiros e a torcida do Guangzhou, que tem muito carinho por mim. Vai ser legal estar novamente na cidade. Sou muito grato ao Guangzhou, pois se hoje estou vestindo a camisa do Shanghai, é pelo que fiz no lá, fui valorizado. Hoje estou indo para a minha quinta temporada na China e muito feliz com essa marca, com tudo que tenho conquistado. Esses anos no país foram fantásticos – disse o atacante.

Elkeson lembrou que todos os ex-jogadores que retornaram a Guangzhou em sua época receberam homenagens da torcida, mas não faz questão de ser lembrado nas arquibancadas do estádio neste sábado, uma vez que até hoje recebe o carinho dos fãs através de redes sociais, mesmo tendo rumado direto para uma equipe rival. O brasileiro negou que tenha sido uma espécie de “espião” para o Shanghai na preparação do jogo, mas frisou que a base do Evergrande é a mesma dos últimos sete anos, o que apontou como grande diferencial do rival.

Sem contar com Elkeson, na temporada passada o Shanghai SIPG empatou duas vezes com o Guangzhou no Campeonato Chinês. Ao fim da temporada, ficou na terceira colocação do torneio, com 52 pontos, 12 abaixo do campeão. Por isso, o brasileiro acredita que uma vitória fora de casa neste sábado pode ser o impulso para uma campanha melhor e, talvez, a concretização do sonho de ser campeão nacional e quebrar a hegemonia da equipe comandada por Luiz Felipe Scolari, que conta com Paulinho, Ricardo Goulart e Alan.

– Se queremos ser campeões, precisamos vencer a equipe que é campeã há seis anos. A gente precisa vencer os melhores times. Para sermos campeão com o Shanghai, temos que ganhar da equipe mais forte. E os jogadores estrangeiros que estão no Guangzhou também estão cientes disso. Esse jogo logo na terceira rodada pegou a gente de surpresa, pois pensávamos que seria mais par ao fim da tabela, como nos anos anteriores. Mas é bom, pois a nossa equipe está em um momento muito bom. Além disso, há a oportunidade de recuperação, pois o campeonato é longo.

Elkeson foi cercado pelos fãs na despedida do Guangzhou Evergrande (Foto: Reprodução / Sina.com)

O ex-jogador de Botafogo e Vitória comemorou o fato de ter participado da pré-temporada completa, diferentemente do que ocorreu no ano passado, alegando que isto refletiu em seu bom desempenho neste começo de 2017: o atacante marcou seis gols em cinco partidas, até agora. Perto de comemorar o 100º jogo na liga chinesa, Elkeson quer aproveitar o embalo para chegar a mais uma marca no país – além de seguir com o status de maior artilheiro da história do campeonato, com 72 gols em 99 jogos.

– O próximo passo é fazer 100 gols. Meu objetivo é fazer o 100º gol e continuar. Quero continuar aqui, tenho mais três anos de contrato com o Shanghai. E se possível ser o artilheiro do Chinês novamente. Sei que a concorrência está muito grande, mas tenho um bom apoio do Hulk e do Oscar agora – afirmou o brasileiro, que já tem 97 gols marcados desde que chegou ao futebol chinês (em 152 partidas) e foi artilheiro do campeonato nacional em 2013 e 2014.

Atacante hoje tem a companhia de Hulk e Oscar no Shanghai SIPG (Foto: Reprodução/Sina.com)

Elkeson apontou que “houve uma mudança muito grande” na filosofia do clube com a chegada do técnico André Villas-Boas, que substituiu Sven-Goran Eriksson ao fim da temporada passada. Para o atacante, o comandante luso soube dar confiança para os jogadores chineses, melhorando o desempenho do time, que está com 100% de aproveitamento na temporada: seis vitórias em seis jogos. O brasileiro, inclusive, afirmou que o elenco deve manter os pés no chão para não se contaminar com a empolgação dos torcedores.

– Existe o oba-oba devido às apresentações da equipe, mas a gente sabe que é só o inicio da temporada. Mas esses dois meses serão muito importantes, porque serão os meses com mais jogos. Uma vitória contra o Guangzhou vai nos dar ainda mais força para continuar com esse sonho de ser campeão – concluiu.

O Shanghai SIPG está na liderança do Campeonato Chinês, depois de duas rodadas, com seis pontos – assim como o Shandong Luneng e o Guangzhou R&F. O Guangzhou Evergrande é o quinto colocado, com três pontos.

Do Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *