ELKESON: NOSSA ESTRELA DE VOLTA A TERRINHA

ELKESON: NOSSA ESTRELA DE VOLTA A TERRINHA

Do Maranhão Esporte

Depois de uma temporada de muitas realizações, o jogador maranhense Elkeson de Oliveira Cardoso, de 22 anos, finalmente voltou ao Maranhão para aproveitar as férias, ao lado da família, e, para matar um desejo antigo de conhecer as belezas de São Luís.

Sem sequer ter atuado por um clube maranhense, Elkeson revelou, com exclusividade ao SuperEsportes, que, apesar da distância, sempre torceu para o futebol local se reerguer e ser reconhecido em outras regiões do país. A grande surpresa foi descobrir que o time do coração do craque do Botafogo (RJ) é o Sampaio Corrêa.

Descontraído e muito atencioso, Elkeson aproveitou para dizer que o sucesso na carreira além de refletir muito na vida dos conterrâneos, serve para lembrar de suas origens e ambições na carreira de jogador de futebol. “Sempre torci para que o futebol maranhense tivesse visibilidade nacional e se reestruturasse, principalmente, por se tratar do meu estado e eu ter orgulho de ser maranhense. Tenho visto que algo está acontecendo aqui e saber que o Sampaio faz parte disso é muito importante”, declarou.

Elkeson também festejou o fato de Kleber Pereira, ídolo do Moto Club, ter voltado ao Maranhão para defender as cores do clube motense. O jogador elogiou o amigo e ex-companheiro de clube, já que os dois atuaram juntos no Vitória (BA), ao dizer que a atitude de Kleber em honrar o time que o projetou no cenário nacional só beneficia o futebol maranhense. “O Kleber é um grande amigo e saber que ele voltou ao Maranhão, mesmo com propostas de outros clubes do Sul e Sudeste só para defender as cores da do time que o projetou, é muito legal e só enriquece o futebol daqui”, afirmou.

Sobre a próxima temporada o jogador adiantou que existem algumas propostas em nível nacional e internacional, mas preferiu não revelar os nomes dos clubes interessados. Ele também aproveitou para dizer que está feliz jogando pelo Botafogo e pretende continuar no time carioca, objetivando títulos e uma possível convocação para as Olimpíadas de Londres em 2012.

DIFICULDADES

Em meio à entrevista, o meia relembrou as dificuldades encontradas ao longo de sua caminhada rumo ao estrelato e afirmou que o fato de ter ingressado muito novo nas categorias de base do Vitória da Bahia e a saudade da família foram os maiores empecilhos enfrentados naquele período. “Eu estava com 11 anos quando sai do lado da minha família para morar em alojamento com outros rapazes. Foi muito complicado para me adaptar, mas quando você tem um sonho e quer realizar tem que manter o foco. Valeu a pena ter sofrido no inicio e ter conquistado espaço na minha profissão”, disse emocionado.

A maior frustração da carreira do jogador, segundo ele, aconteceu em 2010 quando perdeu a chance de disputar uma competição internacional tão importante como a Copa Libertadores das Américas. Na época, ainda defendendo as cores do Vitória, chegou a final da Copa do Brasil onde enfrentou o Santos de Neymar e Paulo Henrique “Ganso” e o time nordestino acabou sendo derrotado. “Minha maior frustração como profissional foi ter chegado tão perto de um título nacional que dá acesso a Libertadores. Mas ainda sou novo e vou ter muitas disputas de títulos importantes e novas oportunidades como a que tive no futebol baiano”, declarou.

Estatística mostra eficiência nas assistências

Em toda a carreira como profissional, Elkeson participou, no total, de 136 jogos, tendo marcado 26 gols e contribuído com 27 assistências. A média de gols e de assistências é de aproximadamente cinco por partida, lembrando que atuou profissionalmente apenas em dois clubes, o Vitória (BA) e o Botafogo (RJ).

Pelo time baiano, o maranhense atuou em 99 jogos e marcou 18 gols no período de 2009 a 2011. Pelo “Fogão” Elkeson participou de 37 jogos, contribuiu com 11 assistências e marcou oito gols, dentre eles o que creditou ser o mais bonito da carreira. “Para mim o gol mais marcante foi contra o América, nesse ano, no dia dos pais. Estávamos perdendo em casa e em um chute de fora da área acertei o ângulo do goleiro. Foi marcante por que além de ter sido bonito contribuiu para virarmos o placar no Engenhão”, justificou.

HISTÓRIA

Elkeson deixou Coelho Neto no Maranhão aos oito anos para morar na cidade de Marabá (PA). Com 12 anos foi descoberto por “olheiros” do Vitória da Bahia e ingressou nas categorias de base do clube onde permaneceu por 11 anos (dois anos como profissional).

Com boas apresentações no time principal durante a Copa do Brasil em 2010, acabou levantando interesse do Botafogo (RJ), clube com o qual foi negociado e possui contrato até 2015.

No clube carioca conseguiu se projetar e conquistar um lugar na equipe principal da Seleção Brasileira quando esta disputou o Superclássico das Américas.

NÚMEROS

136 Jogos como profissional

27 Vezes de assistências que resultaram em gols

26 Número de gols marcados na carreira

FICHA TÉCNICA
Nome: Elkeson de Oliveira Cardoso

Idade: 22 anos (13 de julho de 1989)

Natural: Coelho Neto (MA)

Altura: 1,80 m

Peso: 77 kg

Pé: Destro

Apelido: Elkeshow

Time favorito: Sampaio Corrêa

Fonte: O Imparcial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *