E por falar em in-segurança…

População de Coelho Neto vive dias de assombro com os números da violência, que cresce diante de um aparato de segurança que também tem suas deficiências.

Editorial

Basta abrir a rede social para no depararmos com algum relato de pessoas vítimas da violência em Coelho Neto.

Assaltos e roubos dos mais diversos tem sido a tônica de uma cidade que já foi pacata, mas cuja população hoje se vê refém em não poder sair da própria casa.

Contrariando a lógica, o cidadão de bem se vê obrigado a viver trancado, enquanto os bandidos agem nas ruas procurando a próxima vítima. Pior do que isso é saber da ousadia com que esses fatos lamentáveis acontecem, seja de dia, seja de noite.

Mesmo assim não podemos reclamar da nossa polícia. Eles tem sido heróis no dia a dia, principalmente agora, quando muitas vezes sequer dispõem de combustível para fazer uma ronda, em decorrência da suspensão de uma parceria que havia com a Prefeitura.

Talvez seja por saber dessa deficiência da polícia, que os números da violência cresceram tanto nos últimos dias.

As mensagens instantâneas via whatsapp nessa hora são utilizadas para espalhar o terror e muitas vezes passar para frente, casos que sequer ocorreram, onde não se cita nomes, não se fazem referência a pessoas e a notícia fica na base do disse-que-me-disse.

A implantação da Unidade Tática das Cidades – UTC feita pelo Governo do Estado na última quinta (22), não tinha o objetivo de estancar a violência de imediato. A simbologia do ato perpassa a entrega de uma viatura com policiais e vai mais longe, pois representa uma primeira resposta do Governo do Estado ao “pedido de socorro” feito pelo prefeito eleito Américo de Sousa (PT), logo após a eleição.

A UTC de acordo com a sua própria concepção, vem para ser mais um aliado nessa luta de combate à criminalidade. Aliado a isso foi anunciada a doação de mais uma viatura que para funcionar, precisa de condições. Temos as peças, mas algo precisa ser feito para que a engrenagem funcione a contento.

Lamentavelmente, um ação de bandidos na noite do mesmo dia dessa solenidade, fez com que alguns se utilizassem da triste ocorrência para descarregar suas frustrações eleitoreiras pelos poros.

Não se corrige uma deficiência como essa do dia para a noite. Se percebe desejo pessoal do novo governo em fazer frente a esse déficit e o ato com a presença da cúpula da Segurança Pública serviu para mostrar que uma força conjunta está sendo contruída para atuar frente a essa problemática.

A população – com razão – está revoltada com o clima de insegurança.

Ms é preciso reforçar e admitir a disposição do novo prefeito em dar as devidas respostas a tantos reclames nessa área, com ações a curto, médio e longo prazo.

*Contato da Superintendência da Polícia Civil do Interior para denúncias sobre assaltos, sequestros e drogas (98) 99214 9041

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *