Coluna do Magno: Sonhar é preciso…

13335825_1084069081654365_30624601579322688_n

Com saudades li a notícia, veiculada por Samuel, sobre os nove anos sem a presença de Francisco Silveira, seu Chico da Farmácia (foto). O jornalista nos faz sentir a importância da imprensa na vida social. O registro, sobretudo escrito, é primordial à construção da memória de um povo. Sem a notícia histórica não estaria eu escrevendo esta crônica para reviver os sonhos e realizações deste grande homem, um exemplo a ser seguido.

Francisco Silveira, um idealista que adotou Coelho Neto como terra natal e nos honrou com sua opção. Sonhava alto, sonhava grande, por isso se tornou um empreendedor bem-sucedido e respeitado. Partindo daqui, abriu filiais de suas lojas na região e em Teresina. Amante e entusiasta do carnaval, criou a melhor escola de samba da cidade e desejava que Coelho Neto se tornasse polo carnavalesco de todo o interior maranhense. Otimista inveterado conseguia transformar sonhos em realidade. A ele o   reconhecimento.

A mudança do comando político e consequente ascensão de Duque Bacelar, por volta dos anos 40, criou-se uma onda de otimismo e sonhos. A eleição de Dalva, primeira prefeita e depois deputada seguida da projeção de Raimundo e formatura de outros irmãos foi num crescendo de conquistas jamais vistas no Maranhão. Eram sonhos que se materializavam e despertaram a atenção para Coelho Neto.  A confiança e autoestima elevada contagiaram todos que passaram a compartilhar da mesma Fé.  “ Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.”

Em 1952, imaginem só, Raimundo conseguiu uma linha aérea comercial, São Luís – Salvador, com escala em Coelho Neto. Linha regular, com duas escalas por semana, transportava passageiros e carga com acesso rápido às duas capitais mais próximas: São Luís e Teresina.  A AERONORTE utilizava a aeronave Douglas, DC-3, com capacidade para 21 passageiros, equipamento utilizado em todo o nordeste brasileiro. O primeiro representante e despachante aéreo foi o Sr. José Sila.

Paralelamente instalava-se um órgão Federal de fomento agrícola, com campo experimental, assistência técnica ao agricultor e distribuição de sementes selecionadas. Sede e campo localizados na pimenteira sob a chefia e responsabilidade do   técnico Sr. Jose Tajra, tio do nosso deputado Federal José Carlos do PT, trouxe uma excelente colaboração à nossa agricultura e foi precursor da EMATER, também já extinta, e que veio muitos anos depois.

No embalo dos sonhos, otimismo e confiança chegamos aos grandes projetos agrícolas e industriais. Implantados em menos de uma década de verdadeira explosão de desenvolvimento social e econômico. O município tornou-se referência e matéria de destaque nas primeiras páginas da grande imprensa nacional. Passamos a fazer parte do mapa progressista do Brasil.

Perseguido por maus políticos, inclusive maranhenses, e temido por empresários nacionais o grupo Bacelar foi despojado, por intervenção direta da ditadura de 1964, do patrimônio e dos sonhos. A força e o arbítrio jamais conseguiram fazer    com que a família pioneira abdicasse do amor à terra natal. Amor e compromisso que faltaram aos sucessores que como empresários, limitaram-se a   explorar, até a exaustão, máquinas, trabalhadores e a terra. Não se preocuparam em reciclar o equipamento além de transferir o que havia de melhor para Pernambuco. Veio a paralização da Fábrica de Papéis e, a partir daí as coisas evoluíram para o alheamento e pessimismo.

Desiludido e abandono do poder público municipal, o povo foi contaminado pela desesperança. Coelho Neto hoje é uma cidade em que a população não sonha, não sorri. Teme por tudo, falência do grupo, desemprego, falta de segurança pública, pela saúde inexistente e educação de péssima qualidade. É refém do arbítrio e do medo.

Urge que resgatemos a autoconfiança, o otimismo e a capacidade de sonhar. É preciso combater o derrotismo e a falta de iniciativa. Quanto mais difícil o desafio maior a vitória. Novas eleições se aproximam, é a hora e vez do povo. Democracia é o Governo do povo pelo povo, façamos do voto o instrumento da mudança. Quem sonha é capaz de realizar, voltemos a sonhar com um sorriso confiante nos lábios de nossas crianças.

*Dr. Magno Bacelar é advogado e exerceu os cargos de deputado estadual, deputado federal, senador da república, vice-prefeito de São Luís e prefeito de Coelho Neto.

Senhor, por que estás tão longe? Por que te escondes em tempos de angústia? Salmos 10:1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *