Coluna De bem com a Língua Portuguesa: Erros Comuns

 

 

Hoje, trago mais alguns erros bastante comuns da nossa língua, encontrados com frequência nas redes sociais. Eu diria que, na verdade, são os campeões. Vejamos:

DICA:

Concerteza, estou aprendendo Língua Portuguesa. (ERRADO).

Com certeza, estou aprendendo Língua Portuguesa. (CERTO).

JUSTIFICATIVA: Não existe o vocábulo “concerteza”, o que existe é a expressão “com certeza”, que é a junção da preposição “com” com o substantivo “certeza”.

DICA:

Apartir de hoje não errarei mais. (ERRADO).

A partir de hoje não errarei mais. (CERTO).

JUSTIFICATIVA: Não existe o vocábulo “apartir”, o que existe é a expressão “a partir”, que significa o mesmo que “a começar”.

DICA:

Derrepente, tudo mudou. (ERRADO).

De repente, tudo mudou. (CERTO).

JUSTIFICATIVA: Não existe o vocábulo “derrepente”, o que existe é a expressão “de repente”, que significa o mesmo que “inesperadamente” e “de surpresa”.

DICA:

Gosto dela, mais ela não gosta de mim. (ERRADO).

Gosto dela, mas ela não gosta de mim. (CERTO).

JUSTIFICATIVA: Este, talvez, seja o erro mais comum de todos. Destaco que nem é tão difícil diferenciar as duas palavras. Assim, temos que “mas” é uma conjunção adversativa e que dá ideia de oposição e contrariedade; já “mais” é um advérbio de intensidade e que indica aumento de quantidade. Dito isso, eu poderia construir corretamente a seguinte oração: “Estudar é importante, mas mais importante é ser feliz”.

* Antônio Ferreira de Araújo (Toinho Araújo), é Teólogo, Pedagogo, Letrólogo, Especialista em Docência Superior e Mestre em Ciências da Educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *