CARA A CARA: COM ROSÁRIO LEAL

CARA A CARA: COM ROSÁRIO LEAL

No último dia 28 de julho, a Secretária Municipal de Educação Rosário Leal recebeu o blog em seu gabinete na SEMED, para uma conversa que durou mais de meia hora. Durante o bate-papo descontraído, Rosário fez uma avaliação dos seus primeiros meses de gestão. Aproveitou ainda para anunciar os novos investimentos e ações que deverão ser executados pela sua pasta nos próximos meses. Confira a integra da entrevista:

A senhora comandava a Secretaria de Assistência Social e recebeu do Prefeito Soliney Silva a responsabilidade de assumir a Secretaria de Educação. Como tem sido essa experiência?

Nossa que responsabilidade não é? E aqui eu tenho só que agradecer ao Prefeito Soliney por essa oportunidade de está hoje na educação do município, embora não seja uma experiência nova… é uma experiência nova no município, mas na educação não é uma experiência nova. Eu na verdade já passei pelo Ministério da Educação, passei quatro anos na Secretaria de Educação de Timon e eu estou trazendo toda essa bagagem de experiência para o município, apostando numa educação de qualidade, buscando a excelência da qualidade de ensino e para tanto a gente aposta não só na sala de aula pura e simplesmente, mas a gente vê a educação como uma mais educação… mais educação significa dizer que temos que transpor essa sala de aula, transpor os muros da escola e buscar alternativas para fazer com que nosso aluno tenha prazer naquilo que ele faz… Portanto estamos aqui buscando essas alternativas junto ao Ministério da Educação, junto ao FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e tudo que é possível para se trabalhar melhor no município.

Como a senhora mesmo disse, a Secretaria de Educação de Timon foi uma experiência muito importante para o sucesso de suas ações como gestora. Ao assumir a Secretaria, o Prefeito Soliney lhe concedeu a autonomia financeira. O que a senhora destacaria sobre a importância disso para a gestão pública?

Como eu acabei de falar a experiência de Timon que é uma cidade com quase 200 mil habitantes, 160 mil aproximadamente, ou mais porque é uma cidade que cresce todos os dias pelo fato de está do lado de uma capital, então é uma cidade que exige muito do gestor, por ter uma capital bem na frente, então isso fez com que eu me desdobrasse e buscasse alternativas para trabalhar naquele município, e eu estava fresquinha, estava chegando do Ministério da Educação, na verdade eu deixei o Ministério da Educação para assumir a Secretaria de Educação de Timon e lá nos implantamos muitos projetos, muitos programas, inclusive ganhamos o Prefeito Amigo da Criança com destaque nacional, com um projeto da educação. E essa experiência de Timon está trazendo muitos benefícios para Coelho Neto, essa experiência está sendo muito vantajosa, por ter trabalhado naquele município e hoje está podendo trazer essa experiência para cá. Bom todos os programas e projetos hoje implantados na educação do município de Coelho Neto, muitos já em andamento, já saíram do papel, e eu vou citar todos esses projetos mais na frente, mas isso tudo é possível por conta da autonomia financeira que nos foi dada, sem ela é impossível. Inclusive quando eu falo com colegas secretários aqui do Maranhão e também agora a nível de Brasil, eu estive em um encontro recente, em Belo Horizonte e eles sentem essa falta, essa necessidade de ter essa autonomia financeira, porque eles querem implantar por essemplo alguns projetos que eu citei, mas não há como implantar os projetos, como o Salicon, que nós vamos fazer agora, que é um mega evento na área de educação, que é um vôo literário que nós vamos dar na cultura de Coelho Neto então eles não tem como porque eles não tem autonomia. Então essa autonomia é salutar para o trabalho de qualquer gestor.

Bom a senhora iniciou falando de projetos, então que projetos e ações a senhora destacaria durante esses meses a frente da SEMED?

Olha, além de apostar no professor, eu acho que em primeiro lugar nós temos que apostar no nosso professor, nós temos excelentes professores aqui em Coelho Neto e eu ressalto sempre isso, professores comprometido e não há segredo, a fórmula é investir no professor… temos procurado fazer isso, realizamos uma Semana Pedagógica com nomes a nível nacional, pessoas que vinheram com doutorado, pessoas muito experientes, eu acredito que todos tenham gostado, e esse momento tenha contribuído para a melhoria da qualidade, da prática do professor na sala de aula e a partir daí a gente não tem medido esforços nessa luta. Recentemente mandamos professores para Caxias, professores de educação infantil, que foram participar de um treinamento e toda oportunidade que tem, a gente está encaminhando, e agora em julho nós vamos a partir das férias, nós vamos proporcionar oficinas para os nossos professores.

Como se dará esse projeto de oficina para os professores?

O nosso projeto é disponibilizar dez oficinas para o professor, aquele que não for viajar, estiver na cidade e tiver interesse ele vem participar das oficinas que vão está disponíveis. Eu já estou procurando entrar em contato com algumas pessoas, para estarem ministrando essas oficinas. Destacamos também a realização do Salicon, que é um projeto que vamos realizar, é o primeiro no município, que é o Salão de Livros de Coelho Neto que acontecerá entre os dias 15 e 17 de julho, também é um grande evento, para a formação do professor, pois nós vamos ter dentro do Salicon várias atividades ao mesmo tempo acontecendo. Como nosso homenageado nós não poderíamos deixar de ter o Presidente hoje da Academia Maranhense de Letras Milson Coutinho, que é um coelhonetense, é uma pessoa nossa. Então ele foi convidado, aceitou prontamente o convite e vai está aqui conosco, inclusive doando livros de sua autoria. Então o Salicon que a gente colocou como slogan “Um vôo literário na cultura de Coelho Neto”, ele terá várias atividades, nós vamos trazer vários nomes, várias editoras, vai ser uma coisa assim de “louco” no município. É um mega-evento, onde vai ter palestras, bate-papo literário, oficinas de sucatas para construção de brinquedos educativos, stands de divulgação de livros, várias editoras vão está aqui conosco, stands de vendas de produtos artesanais de nossa terra, cinema na praça, proposta literária, camelô literário, história viva contadas… nós vamos fazer histórias contadas por personagens vivos, self-service do conhecimento, praça de alimentação, leitura na praça e várias apresentações artísticas, onde nós vamos ter chorinho, MPB, música instrumental, o Coral Municipal, Balé, Capoeira, Literatura de Cordel… então tudo isso que nós vamos está mostrando no Salicon é parte daquilo que já está acontecendo na educação do município, que nós entendemos que além daquilo que é a educação geral, educação que é ministrada, que tem os seus conteúdos, suas disciplinas, nós colocamos no currículo mas uma disciplina que é a Iniciação Musical que os meninos estão amando… além disso no contraturno da escola nós estamos oferecendo várias atividades para nossos alunos, apostando no mais educação.

E essa história de Educação e Cultura tem dado certo?

Bom dentro dessa proposta nós temos tido cursos de artes plásticas, violão, balé, capoeira, teclado, eu posso até está esquecendo algum, mas com essa junção da Cultura com a Educação é muito importante… e a cultura que nós estamos trabalhando é a cultura formativa, a cultura direcionada… então isso está sendo muito bom, está contribuindo muito porque ela tem essa ação pedagógica, então a criança ela está numa atividade no contraturno mas isso tem haver com a escola, tem que ter boas notas, tem que ter boa freqüência, a mesma coisa incentivando as escolas com os grêmios, é a volta do grêmio estudantil, porque o governo estudantil ele é importante, inclusive para ajudar a governar a escola, porque o aluno ele vai se sentir parte da escola. O grande feito é que nós temos que fazer com que o aluno goste da escola, porque eu sempre digo que quem ama, cuida, então se você gosta, você não quebra, você não deixa ninguém quebrar… Então assim, incentivar a escola para que abrace esse projeto, por exemplo, nós estamos iniciando um projeto agora na Escola Moacyr, o Projeto Escola Aberta… é um projeto que toda comunidade participa. Nos sábados pela manhã, na Escola Moacyr tem esse projeto, com cursos artesanais oferecidos para a comunidade, a parte cultural, a informática… está sendo um projeto piloto na Escola Moacyr e que nós queremos levar para mais escolas do município. Nós implantamos ainda o Vestibulinho, que acontece bimestralmente, sendo dois no primeiro semestre e dois no segundo semestre, onde no final do ano os melhores alunos serão premiados, a escola será premiada, os professores serão premiados… é uma forma de fazer com que eles estudem, porque todo mundo que está no primeiro lugar, todo mundo que ser o melhor da sala e nós estamos incentivando para isso, porque as vezes é falta de incentivo… Eu sempre digo que ninguém é mais inteligente do que ninguém, muitos são mais estimulados do que os outros e nós estamos estimulando… O Vestibulinho é pra isso.

Que outras ações da Secretaria, a senhora gostaria de destacar?

Temos também muito interessante nosso programa do dia de sábado a Estação Educare, levando para a comunidade, aquilo que o rádio vem dizer… qual é o papel do rádio? O papel do rádio é de informar, é de educar, e é isso que estamos fazendo levando todas as nossas ações, nossas atividades, recebendo informações, são alunos que vão, que cantam, que declamam, que fazem mensagens, sabe está sendo uma coisa muito boa no sábado de 08 às 10 da manhã. Além disso, além dos projetos, que nós estamos implantando, buscando essas alternativas, nós implantamos dentro da Secretaria de Educação o DEIN – que é o Departamento de Educação Inclusiva. Eu acredito que o aluno que não tem uma nota boa, alguma coisa está acontecendo com ele, então o DEIN é pra isso, ele tem que descobrir o que está acontecendo com essa criança… muitas vezes é um problema de desestruturação familiar e dentro do DEIN nós temos o Pedagogo, o Psicopedagogo, o Assistente Social, o Psicólogo e a Fonoaudióloga. Então nós temos uma equipe de multiprofissionais, trabalhando para a melhoria da aprendizagem dessa criança e isso nós estamos apostando também. Outra coisa que nós estamos apostando e vamos iniciar agora em agosto é ter uma proposta pedagógica única para o nosso município. A Secretaria de Educação do município de Coelho Neto não tem uma proposta pedagógica definida… então nós vamos trabalhar essa proposta pedagógica e fazer com que todas as escolas trabalhem o seu projeto político-pedagógico, é necessário. Nós temos que ter um rumo, quando eu cheguei à primeira coisa que eu gostaria de ter feito era isso, mas foram surgindo tantos problemas que a gente foi primeiro apagando os incêndios…

A gente sabe que todo início da nova gestão é para se arrumar a casa, considerando que cada gestor tem uma maneira diferente de administrar. Depois dessa fase de “apagar incêndios”, como está a SEMED hoje?

Sem dúvidas, hoje estamos muito mais tranqüilos e agora nós vamos planejar a educação do município. Primeiro nós tivemos que apagar incêndio para poder iniciar as aulas, e apagar incêndios significa por exemplo é o PDDE das escolas que não saia, o PDE da escola que não saia, o PNATE que não está saindo, é a merenda escolar que estava com problemas na sua prestação de contas, então para fazer com que essa máquina funcione é preciso lançar mão desses recursos, ou então, nós não vamos conseguir trabalhar. Mas hoje, graças a Deus, nossas pendências juntas ao FNDE estão praticamente sanadas, nós possuímos apenas uma pendência com o PNATE, todas as outras estão sanadas e as escolas já começaram a receber recursos, graças a Deus. Foi uma ação corrida, tive que ir a Brasília três vezes para poder está junto lá, lancei mãos de algumas amizades que eu tenho e conseguimos fazer com que o município se tornasse adimplente junto ao FNDE e hoje as escolas como disse já começaram a receber. Então assim, a nossa preocupação é na busca pela melhoria da qualidade de ensino, buscar, fomos atrás, tivemos agora em Belo Horizonte, só 15 Secretários de Educação do Maranhão foram e eu estava lá, junto com o pessoal do Estado, foi uma oportunidade muito boa e de ter uma aproximação com a equipe da Secretaria de Estado da Educação, estava a Secretária Adjunta Graça, estava a chefe do Departamento de Educação Básica estava uma equipe boa, todos os diretores regionais, onde a gente pôde fazer alguns contatos como, por exemplo, nós conseguimos 13 laboratórios agora para nossas escolas, mais 13, então nós precisaremos formar nossos professores para trabalhar com nosso alunos nesses laboratórios, porque esse laboratório é uma ferramenta a mais, uma ferramenta pedagógica a mais para o professor, lançar mão dela, mas para isso é preciso se está capacitado. Então nós conseguimos e vamos está encaminhando ofício para o pessoal do Estado, da UNDIME (União dos Dirigentes Municipais de Educação), para capacitar nossos professores para lançarem mão dessa ferramenta que é importante.

Esse evento que a senhora participou em Belo Horizonte era coordenado pelo Departamento do PROINFO, do Ministério da Educação. O que foi discutido mais nesse evento, qual seu objetivo?

Hoje nós chamamos de PROIONFO Integrado, hoje é tudo… O PDDE está dentro do Proinfo, tudo o que vem pra Educação, que vem pra escola, PDDE na escola, PDE na escola, tudo isso é PROIONFO, entendeu e o lançamento mais novo é o UCA – Um computador por aluno. E isso o Ministério está apostando nisso e já está em teste no Brasil. Algumas escolas já receberam e estão sendo testadas, cada aluno ter um laptop, e isso é muito bom. Então o PROINFO é isso e nós recebemos várias orientações de como proceder para que as nossas escolas recebam o computador, o laboratório, recebam mais… porque não adianta o Secretário cruzar os braços, ele tem que ir a luta, está lá disponível os projetos, se você não fizer a adesão, se você não pedir, ele não vem, não adianta você cruzar os braços porque ele não vem, só vem se você for atrás, se o município aderir, porque muitas vezes o Ministério acha: bom não querem, então nós temos que fazer adesão ao programa, para ele poder vir. Frisando novamente, foi muito bom, um evento em que eu pude me inteirar mais dessa questão da informática, dessa questão dos laboratórios, de como é importante um laboratório na escola… O laboratório na escola não é ministrar cursos, mas para o professor lançar mão dessa ferramenta pedagógica que ele tem tão importante e contribuir para a melhoria das suas aulas. Então nós estamos buscando, correndo atrás, ah recebemos mais um ônibus. Nós já temos um convênio assinado para um ônibus pequeno, um microônibus e agora já chegou mais um, desta vez para um grande para 44 crianças. Eu acho que nesses seis meses, nós estamos criando expectativas boas e que nós estamos plantando e eu tenho certeza que os frutos virão.

E o Selo UNICEF e o Programa Prefeito Amigo da Criança, da Fundação ABRINQ o município ganha ou não ganha?

Com certeza, nós estamos participando, estamos atendendo tudo aquilo que é determinado pelo Selo e pelo Programa Prefeito Amigo da Criança e esses projetos que estamos implantando vão subsidiar o nosso troféu.

Para finalizar, o que a população pode esperar dessa nova gestão da Secretaria de Educação?

Tudo isso que nós falamos, que nós estamos plantando e que os frutos virão, eu não estou aqui para brincar de ser Secretária, eu estou aqui para ser a Secretária de Educação, estou como Secretária e vou fazer valer essa confiança que o Prefeito depositou em mim.

3 thoughts on “CARA A CARA: COM ROSÁRIO LEAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *