AMEAÇA: VEREADORES COMUNICAM AO MP E SECRETARIA DE SEGURANÇA VIOLÊNCIA SOFRIDA EM CAXIAS

AMEAÇA: VEREADORES COMUNICAM AO MP E SECRETARIA DE SEGURANÇA VIOLÊNCIA SOFRIDA EM CAXIAS


Os vereadores Antônio Catulé (PSB), Fábio Gentil (PSDC), Luis Carlos (PMDB), Taniery Cantalice (PRTB) e Benvinda (PBDB) se reuniram em pela manhã, em São Luís, com o procurador-geral de Justiça em exercício, José Henrique de Carvalho Lobato, e com o corregedor-geral do MP, Suvamy Vivekananda, e, à tarde, com o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes.

De acordo com a denúncia feita pelos parlamentares, Jean Alves, assessor pessoal do ex-prefeito Humberto Coutinho, e Júnior Alves, chefe dos transportes da Secretaria Municipal de Administração, invadiram o plenário Câmara e agrediram verbalmente os Catulé Fábio Gentil (reveja). Eles só não chegaram às vias de fato porque foram contidos por outros colegas vereadores e, posteriormente, pela polícia, que chegou ao local em seguida.

Segundo Catulé, o caso ocorreu logo após Gentil – até recentemente aliado dos Coutinho e eleitor do presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB) – subir à tribuna para declarar seu rompimento com o grupo que comanda Caxias. Ato contínuo, ele confirmou apoio à pré-candidatura de Luís Fernando – Catulé já havia feito o mesmo há algum tempo.

Além disso, no mesmo dia o plenário aprovou a criação de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) para apurar denúncia de supostos desvios de recursos que deveriam ter sido investidos em equipamentos para instalação de 11 UTI’s neonatais no hospital Sinhá Castelo, em Caxias.

De acordo com o que revelou o socialista, além desse indício de violência, há muita dificuldade de atuação dos vereadores no que diz respeito à prerrogativa de fiscalizar o poder público municipal.

“Além de termos dificuldades no próprio legislativo, em virtude da maioria da Câmara ser composta por vereadores ligados ao executivo municipal, o ex-prefeito Humberto Coutinho, mandatário da região, que administra de fato a prefeitura, atua como se fosse um polvo com tentáculos na Justiça e até no Ministério Público, impedindo que ações mais concretas sejam efetivadas no sentido de dar respostas à sociedade com relação aos desmandos que ocorrem na administração municipal”, disse o vereador socialista durante reunião na Procuradoria Geral da Justiça.

Resultados

Tanto o procurador em exercício, José Henrique Lobato, quanto o corregedor-geral, do MP, Suvamy Vivekananda, garantiram dar total atenção à demandas do município de Caxias.

“Estamos atentos às questões de interesse da sociedade de Caxias e o Ministério Público estará acompanhando às ações dos parlamentares dando suporte e auxílio naquilo que for necessário. Os vereadores devem ter total liberdade de exercer suas funções e estaremos ombreados com eles nessa luta”, disse José Henrique Lobato durante a reunião.

Do secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, os vereadores receberam a garantia de que daqui pra frente todas as sessões da Câmara, terão reforço de policiais militares no local.

“Vamos reforçar o policiamento no local, nos dias das sessões. E, quando houver necessidade, em momentos extraordinários, é só nos comunicar que faremos de tudo para garantir a segurança dos vereadores”, disse o secretário de Segurança que garantiu ainda o aceleramento do inquérito sobre a agressão sofrida pelos vereadores.

Do Blog do Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *