A posição dos vereadores de Coelho Neto sobre o projeto de alíquotas previdenciárias…

Dr Ricardo foi voz contrária ao projeto

Não passou despercebido, pelo menos não para esse blog, do projeto encaminhado pelo prefeito Américo de Sousa (PT), a Câmara de Vereadores e aprovado na sessão da última segunda (28) que trata sobre as alíquotas de contribuições previdenciárias do Instituo de Previdência Social do Município.

O projeto inicialmente assegura a contribuição normal da prefeitura de 2% e do servidor de 11% com um acréscimo de mais de 2% na parte da prefeitura a partir do próximo ano. Acontece que a lei institui uma alíquota de custo suplementar que na gestão de Américo será de 2%, mas a herança deixada para o próximo governo será de 40,43% a partir do 6º ano, embora exista uma cláusula que isso pode ser revisto na perspectiva de manter ou aumentar esses valores.

Corrigir o déficit da previdência é um problema a ser enfrentado, mas esses valores serão impraticáveis por qualquer futura gestão e o governo que foi eleito na plataforma de defender os direitos dos trabalhadores sabe muito bem disso. O único vereador a fazer voz contrária à aprovação do projeto foi Dr Ricardo Chaves (PPS), que condenou a prática adotada pelo governo de enviar projetos de lei sempre em regime de urgência, com vistas a pular as etapas de discussões.

“Não poderia compactuar com isso porque isso é apenas repassar a batata quente para outras mãos e não resolve o problema da previdência. Pois o próximo prefeito pode fazer a mesma coisa e esse déficit jamais será corrigido. Nosso voto sempre será em defesa do trabalhador”, disse o vereador.

Fora o voto contrário de Dr. Ricardo, o peemedebista Rafael Cruz se absteve de votar e os vereadores Júnior Santos, Liza Pires, João Paulo, Moabe não estavam na sessão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *