Oficina capacita mobilizadores estaduais para ações do Brasil Mais Jovem 2018

A Secretaria Nacional de Juventude promove de hoje (15/05) a sábado (19/05), em Brasília (DF), a Oficina Nacional de Capacitação dos Mobilizadores dos Estados e do Distrito Federal sobre as políticas públicas para juventude contidas no pacote de ações Brasil Mais Jovem 2018. Serão cinco dias de curso, com 60 horas/aula, onde os participantes aprenderão sobre os carros-chefe da Secretaria, como ID Jovem, Juventude Viva, Inova Jovem, Diagnóstico LGBT, Diagnóstico Rural, Estação Juventude 2.0, Coijuv, Sinajuve, Profesp, Biblioteca Digital de Juventude, convênios e prestação de contas.

Na tarde desta terça-feira aconteceu a cerimônia de abertura com a presença do secretário nacional de juventude Assis Filho, do presidente do Conselho Nacional de Juventude, Anderson Pavim, do superintendente da juventude de Goiás e presidente do Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Juventude, Leonardo Felipe, da superintendente da juventude do estado do Rio de Janeiro, Jéssica Ohana e da oficial de projetos da Unesco, Luciana Amorim.

Após a abertura da oficina foi ministrada pelo secretário Assis Filho a Palestra Magna: “A Política Nacional de Juventude no Brasil: História, Avanços e Perspectivas”. Assis falou de todas as ações do Brasil Mais Jovem, pacote que foi lançado em março deste ano e toda a sua implementação. “De hoje até sábado nós teremos essa oficina de capacitação do maior pacote de ações lançado pelo Governo para a juventude brasileira. É de extrema importância que essas políticas públicas estejam nas ruas e na vida dos jovens”, afirmou. Para Assis, o Brasil precisa de todos os mobilizadores para o sucesso. “O papel que vocês vão executar, assim como o papel daqueles que executaram o ID Jovem, é grandioso. Hoje o ID Jovem tem 860 mil beneficiários e isso é por causa de vocês”, finalizou.

Todos os programas do Brasil Mais Jovem foram apresentados pelos coordenadores da SNJ, que explicaram objetivos e metodologias para que cada mobilizador possa disseminar as ações do Governo Federal para a Juventude em seus estados.

Leonardo Felipe, superintendente da juventude de Goiás e presidente do Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Juventude, disse que parcela significativa do sucesso de qualquer ação na área de política de juventude é ter a SNJ atuante e em absoluta sintonia com a gestão publica estadual e municipal. “O secretário Assis conseguiu nos auxiliar enquanto gestores estaduais, estimulando para que nós pegássemos todos os projetos que a SNJ construiu em parceria com o Conjuve e fizéssemos um esforço triplicado para que eles pudessem chegar na ponta.”, disse. Além disso, Leonardo Felipe se colocou a disposição para ampliação dos trabalho e deu seu apoio direto aos jovens. “Temos um trabalho mais do que importante que é de construir a base para a juventude”, afirmou.

Após a palestra na cerimônia de abertura, foram condecorados seis gestores estaduais, cinco mobilizadores estaduais SNJ/Unesco e três monitores SNJ/IBICT que mais se destacaram na divulgação do ID Jovem.

Confira a programação da Oficina Nacional de Capacitação dos Mobilizadores:

Governo Federal reativa Novo Plano Juventude Viva em evento no Rio

A Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) reativou, na tarde desta sexta-feira (11,) o Novo Plano Juventude Viva. A cerimônia foi realizada em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, na sede da Assembleia Legislativa (Alerj) e contou com a presença do poeta WG da Rua, do Cultura na Cesta, a coordenadora-geral de políticas temáticas de ações afirmativas da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) Roseli de Oliveira, o deputado estadual Thiago Pampolha (PDT/RJ), o presidente do Conselho Nacional de Juventude Anderson Pavin e a Superintendente de Políticas para a Juventude do Estado do Rio de Janeiro Jéssica Ohana.

“É um Plano que envolve 13 ministérios, uma política pública que tem uma gestão coletiva, entre Governo e sociedade civil. É uma responsabilidade imensa que carregamos, mas nos vêm forças de vários lugares, para que continuemos na busca por mais igualdade racial”, explicou o secretário nacional de juventude Assis Filho.

A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) Roseli de Oliveira falou sobre o apoio da Seppir ao Plano. “Estamos no Plano Juventude Viva, porque olhamos para nossa sociedade, e vemos que ela não nos respeita, é uma sociedade que não quer a presença negra, que tem muita dificuldade de enfrentar o racismo — que está em sua fala, está no seu olhar, está no cotidiano das relações sociais e institucionais e que tem sua matriz no não reconhecimento do outro ”, afirmou Oliveira.

O objetivo central do Novo Plano Juventude Viva é a redução dos índices de homicídios contra de jovens negros através de ações de enfrentamento aos principais condicionantes desse tipo de violência e às demais violações de direitos. Assim, os eixos, metas e ações a serem organizadas, articuladas ou desenvolvidas pelo Juventude Viva passam a ter um vínculo mais estreito com os objetivos capazes de prevenir, enfrentar e intervir sobre os fatores da violência letal praticada contra jovens negros, sendo primordial para isso, o diálogo mais próximo às instituições do poder judiciário e da segurança pública.

Novo Plano Juventude Viva

O Novo Plano Juventude Viva é resultado de uma consultoria técnica encomendada pela Secretaria Nacional de Juventude, que reformulou o plano de enfrentamento à violência contra a juventude negra, que estava desativado há quatro anos.

O índice de Vulnerabilidade Juvenil, divulgado em dezembro pela SNJ serviu de base para o planejamento de ações do Novo Plano Juventude Viva. O objetivo do Governo Federal é implementar políticas públicas nos territórios com maior vulnerabilidade juvenil, cuja a principal meta é reduzir 15% em quatro anos os índices de violência nessa camada da população, por meio de estratégias que estimulem a inclusão social destes jovens.

O Plano tem o compromisso de ampliar o acesso à educação, lazer, trabalho e capacitação profissional, buscando apontar novas oportunidades à juventude negra.

Assessoria

Inova Jovem inicia turmas em mais sete municípios

Na próxima semana, de 14 a 18 de maio, o projeto Inova Jovem vai iniciar o período de aulas em sete municípios brasileiros. Barreiras (BA), Campo Grande (MS), Montes Claros (MG), Maceió (AL), Maricá (RJ), São Paulo (SP), Tucuruí (PA) serão as próximas cidades a receber as turmas presenciais do projeto. Nesta etapa, os jovens matriculados terão aulas de planejamento, inovação, técnicas de venda e divulgação e muito mais. Os municípios que recebem o curso foram escolhidos com base nos altos números apresentados pelo Índice de Vulnerabilidade Juvenil 2017 (IVJ).

Nas semanas anteriores, 23 municípios já iniciaram o ciclo de aulas: Governador Valadares (MG), Itapipoca (CE), Magé (RJ), Balneário de Camboriú (SC), Camboriú (SC), Cabo de Santo Agostinho (PE), Marabá (PA), São Luís (MA), Simões Filho (BA), Araruama (RJ), Belo Horizonte (MG), Altamira (PA), Garanhuns (PE), Fortaleza (CE), Queimados (RJ), Juazeiro (BA), Ananindeua (PA), Jaboatão dos Guararapes (PE) e Porto Alegre (RS), Manaus (AM), Salvador (BA), Belém (PA), Recife (PE), Macapá (AM) e Brasília (DF), São José Ribamar (MA), Petrolina (PE), Castanhal (PA), Betim (MG), Teixeira de Freitas (BA), Itaboraí (RJ), Angra dos Reis (RJ), Campo dos Goytacazes e Macaé (RJ), Carauru (PE), Caucaia (CE), Eunápolis (BA), Florianópolis (SC), Paraupebas (PA) e Vespasiano (MG).

O Inova Jovem é um projeto que tem como objetivo transformar a vida de jovens que vivem em comunidades vulneráveis à pobreza e/ou violência através do empreendedorismo. Os inscritos apresentaram ideias para ter seu próprio negócio e obter renda e autonomia. Além do curso presencial, o projeto oferece também um período de incubação do negócio criado pelo jovem, no qual são acompanhados e instruídos para superar obstáculos e aumentar as chances de sucesso. Ao final do curso, os alunos recebem também um certificado que o qualifica para a gestão de uma empresa.

Inscreva-se aqui. (link: www.inovajovem.com.br)

O coordenador de políticas transversais da SNJ, Hélber Borges explica que a ação une educação, que transforma a longo prazo, e o empreendedorismo, que transforma a curto prazo a vida de várias famílias. “O Inova Jovem é uma das respostas do Plano Juventude Viva à vulnerabilidade juvenil nas periferias. Nós selecionaremos jovens de comunidades periféricas, escolhidas a partir dos indicadores do IVJ – são locais que apresentaram altos índices de vulnerabilidade juvenil -, que tenham um sonho de negócio e, ajudamos a transformar este sonho em uma realidade rentável”.

Saiba mais

Para enfrentar os altos índices de violência vividos pela juventude negra no Brasil, a Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) retomou, em agosto de 2017, o Novo Plano Juventude Viva. Suas ações são adequadas à realidade das estatísticas apresentadas pelo Índice de Vulnerabilidade Juvenil 2017 (IVJ). O plano visa criar oportunidades de inclusão social e de autonomia para os jovens, principalmente negros/as, entre 15 e 29 anos, expostos às situações de violência física e simbólica nos municípios de maior vulnerabilidade para a juventude. Dentro do pacote de ações do Juventude Viva, está sendo desenvolvido, junto a Agência de Fomento Social Besouro, o Inova Jovem – um projeto de incentivo ao empreendedorismo e a inovação em comunidades vulneráveis.

Da Assessoria

Um Brasil cada vez mais jovem

Artigo do secretário Nacional de Juventude, Assis Filho
Publicado no jornal O Estado do Maranhão em 29/04/2018

O Brasil é o primeiro país do mundo a ter um Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve), que estabelece as competências da União, dos Estados e dos Municípios na implementação da Política Nacional de Juventude. Ele está previsto no Estatuto da Juventude desde 2013 (Lei 12.852) e saiu do papel graças ao esforço e ao emprenho do presidente Michel Temer em regulamentar e organizar o Sistema que procura atender os jovens brasileiros em suas necessidades, levando em conta suas diversidades e especificidades. Com isso, as ações e os programas para juventude passam a ser instituídos como uma política de estado e deixam de ficar à mercê da burocracia ou da descontinuidade administrativa em casos de mudança de governo.

O Sinajuve reconhece a juventude como uma fase singular da vida e não apenas um momento de passagem. Ele e o projeto de lei que cria o Plano Nacional de Juventude – encaminhado atualizado à Câmara dos Deputados – se somam a outras 10 iniciativas anunciadas pelo Palácio do Planalto dentro do pacote Brasil Mais Jovem, lançado em agosto de 2017 e que reúne as políticas públicas para jovens de 15 a 29 anos. As outras iniciativas lançadas este ano são o Diagnóstico sobre a Juventude LGBT, o Diagnóstico sobre o Juventude Rural, o Inova Jovem, a Implantação de 27 Estações Juventude 2.0, o Plano Nacional de Startups e Empreendedorismo para Juventude, o Novo Plano Juventude Viva, a ampliação do Programa Forças no Esporte (Profesp), a criação dos Conselhos em Rede, o Atlas da Juventude e o ID Jovem 2.0.

Em um ano e quatro meses à frente da Secretaria Nacional de Juventude, levamos o programa ID Jovem para mais de 800 mil pessoas em todo país, refizemos o Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ), que revelou que o jovem negro tem quase três vezes mais chances de ser assassinado no Brasil que um jovem branco, e retomamos o Plano Juventude Viva, de redução de violência e vulnerabilidade contra os jovens negros e negras.

Dentro do Novo Plano Juventude Viva, criamos o Inova Jovem, que leva cursos de empreendedorismo e assessoria na implantação de novos negócios a jovens das comunidades em 80 cidades do Brasil. O esforço na implementação dessas políticas fez com que o Brasil fosse convidado a participar da Cúpula Ministerial de Juventude do G20, que será realizada nos dias 22 e 23 de maio, em Madri (Espanha), e nos dias 24 e 25 de maio, em Lisboa (Portugal), onde vamos falar sobre o programa de mobilidade e acesso à cultura e lazer (ID Jovem), a política de redução da violência contra a juventude negra por meio do Novo Plano Juventude Viva e as ações de emancipação e empoderamento dos jovens brasileiros contidos no Estação Juventude 2.0, espaços de convivência que levam em consideração as necessidades e especificidades da juventude em cada estado ou município conveniado.

Temos no orçamento deste ano mais de 50 milhões para investir na juventude. Isto só na Secretaria Nacional de Juventude, sem contar os programas alocados em outros 12 ministérios. Isso mostra o compromisso da agenda pública com esta importante pauta. O Brasil tem o maior número de jovens de sua história, num total de 51,4 milhões. Conectado com esse contingente crescente da população e com os problemas que crescem junto com ele, o governo tem buscado apontar soluções que combinem mecanismos de proteção social com ações que gerem oportunidades de inserção profissional, cultural e social que também incentivem os jovens a encontrar sua autonomia e emancipação como sujeitos de direitos.

Assis Filho é advogado, especialista em Direito Administrativo, professor universitário e secretário Nacional de Juventude da Presidência da República.

SNJ lança Inova Jovem em São Luís, no Maranhão

Para enfrentar os altos índices de violência vividos pela juventude negra no Brasil, a Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) lançou nesta sexta-feira (27) o Inova Jovem, ação que faz parte do Novo Plano Juventude Viva, em mais um município. Desta vez o lançamento do programa, que tem como objetivo transformar a vida de jovens que vivem em comunidades vulneráveis à violência por meio do empreendedorismo, aconteceu em São Luís, Maranhão.

A cerimônia contou com a presença do secretário nacional de juventude, Assis Filho, do secretário adjunto extraordinário de Juventude do Estado, Paulo Romão, do deputado Estadual e presidente das Comissões de Educação da Assembleia Legislativa do Maranhão, Roberto Costa, do deputado Federal, José Reinaldo Tavares, dos vereadores de São Luís Antônio Garcez e César Bombeiro, dos membros do Conselho Nacional de Juventude Hyago Andrade, Derick Passos e Walber Neto, do superintendente da Fundação Nacional da Saúde do Maranhão (FUNASA – MA), André Campos, do coordenador municipal de Juventude de São Luís, Ulysses Fernandes e do presidente do Centro de Integração Socio Cultural Aprendiz do Futuro (CISAF), Maycon Lopes.

Na ocasião, o secretário nacional de Juventude Assis Filho que o projeto visa capacitar, nessa primeira fase de implantação, dois mil jovens. “O público alvo são os jovens negros de 15 a 29 anos que moram nas periferias dos centros urbanos da cidade. É uma política pública que compõe o plano Juventude Viva de enfrentamento à violência contra a juventude negra”, disse. Assis falou ainda sobre o lançamento de duas turmas em São Luís, no bairro Liberdade, considerado o maior quilombo urbano do Maranhão. “Nós também vamos lançar em outras comunidades de São Luís. Mas, a atividade de hoje é o pontapé inicial para uma série de outras turmas que serão implantadas no Maranhão e em outros municípios. O combate à violência é feito com inclusão social e oportunidade para os jovens. O Inova Jovem é justamente isso”, finalizou.

Segundo o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência (IVJ), o estado do Maranhão está em 7º lugar na tabela de risco relativo de um jovem negro ser vítima de homicídio em relação a um jovem branco. São José do Ribamar está em 3º lugar no ranking dos municípios com os maiores índices de vulnerabilidade juvenil à violência, que levou em consideração o indicador de mortalidade por homicídio, acidentes de trânsito, a frequência à escola e situação de emprego, indicador de pobreza e desigualdade. Entre os dez municípios com os maiores índices de vulnerabilidade juvenil à violência no Brasil, seis estão na região Nordeste.

Saiba mais

Os municípios que recebem o Inova Jovem com o curso de empreendedorismo foram escolhidos com base nos índices apresentados pelo IVJ, lançado pela SNJ em parceria com a Unesco e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública em dezembro de 2017. Os inscritos apresentam ideias para ter seu próprio negócio e obter renda e autonomia. Além do curso presencial, o projeto oferece também um período de incubação do negócio criado pelo jovem, no qual são acompanhados e instruídos para superar obstáculos e aumentar as chances de sucesso. Ao final do curso, os alunos recebem também um certificado que o qualifica para a gestão de uma empresa.

O Inova Jovem surge em resposta ao IVJ para oferecer alternativas de emprego e renda nas comunidades com maior índice de vulnerabilidade juvenil. O projeto atende jovens negros, moradores de comunidades com maiores índices de vulnerabilidade social, com aulas presenciais de capacitação, mentoria dos negócios, acompanhamento e assistência técnica especializada, possibilitando condições de geração de emprego e renda a partir da criação dos seus próprios negócios.

SNJ entrega texto atualizado do PNJ ao presidente da Câmara dos Deputados

O secretário nacional de juventude Assis Filho entregou, nesta terça-feira (27/03), o texto atualizado do Plano Nacional de Juventude (PNJ) ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ). Estavam presentes os deputados federais João Marcelo (MDB/MA), Baleia Rossi (MDB/SP), André Amaral (Pros/PB) e Rafael Motta (PSB/RN), secretário de Juventude da Câmara dos Deputados.

O presidente da Câmara reafirmou o compromisso de colocar o novo Plano Nacional de Juventude em pauta ainda neste semestre. Maia vai incluir o assunto na próxima reunião de líderes, que acontece na terça-feira (03/04). O deputado Baleia Rossi disse que, devido à relevância do tema, vai apresentar um requerimento para garantir a urgência da pauta. O objetivo é colocar o novo PNJ em votação durante a sessão legislativa que vai votar projetos de interesse da juventude brasileira que estão na Casa.

“A Câmara daria uma importante colaboração à juventude aprovando esse plano agora, logo depois de o presidente Michel Temer ter assinado o decreto que instituiu o Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve). O momento é esse”, disse o secretário. Assis Filho afirmou ainda que o Plano Nacional de Juventude é fruto de muita discussão no país inteiro. “Ele está tramitando na casa há muito tempo. É um plano legítimo e atualizado. Está pronto pra ser votado em plenário”.

O novo plano foi construído, com ampla participação social, de acordo com os 11 eixos do Estatuto da Juventude. “Temos trabalhado junto à SNJ e à Câmara dos Deputdos na intenção de inserir os jovens dentro das discussões acerca dessas áreas abrangidas pelo Plano: educação, trabalho, cultura, saúde e segurança”, explicou o parlamentar. “Tudo isso com a criação de políticas públicas específicas que beneficiem a população com idade entre 15 e 29 anos, estimada em mais de 51 milhões de pessoas”, completou Motta.

O Projeto de Lei 4530/04 tramita há 14 anos na casa e o novo texto, entregue pela SNJ, foi construído de forma dialogada com a sociedade civil. Ele contou com contribuições online, do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), do Comitê Interministerial da Política de Juventude (Coijuv) e de cinco audiências públicas, uma em cada região do País: Amapá, São Paulo, Ceará, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Além de estar de acordo com os 11 Eixos do Estatuto da Juventude, o novo PNJ possui um quadro comparativo, ponto a ponto, de como está na proposta atual e como era anteriormente.

SNJ inaugura primera unidade do Estação Juventude 2.0

A primeira unidade do Estação Juventude 2.0, resultante do Edital 2017 da Secretaria Nacional de Juventude, foi inaugurada na tarde desta sexta-feira (23/03), pelo secretário nacional de juventude, Assis Filho, e pelo prefeito de Palmas (TO), Carlos Amastha. Participaram da inauguração o presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Anderson Pavin, a vereadora de Palmas Vanda Monteiro (PSL), o presidente do Fórum dos Gestores Municipais de Juventude (Forjuve), Maycon Nogueira, e o vice-prefeita de Mossoró (RN), Nayara Oliveira, entre outras autoridades.

A Estação Juventude 2.0 fica no norte da capital tocantinense, na Arno 51, e funcionará no Complexo Esportivo 51, que foi recuperado exatamente para atender aos jovens de 15 a 29 anos da cidade com ações de esporte, lazer e qualificação profissional.

O programa Estação Juventude 2.0 integra o pacote de ações do Brasil Mais Jovem 2018, lançado pelo governo federal no Palácio do Planalto no dia 15 de março. A Estação do norte de Palmas é a primeira dos 27 convênios do Edital 2017 já firmados a sair do papel e se tornar realidade. A Secretaria Nacional de Juventude investiu, nos 27 convênios já firmados, um total de R$ 5,2 milhões.

Foram investidos R$ 316 mil, recursos do governo federal e da Prefeitura, na unidade do Estação Juventude 2.0. Ela foi construída num espaço recuperado de um antigo complexo esportivo, que conta com quadra poliesportiva, campo de futebol, auditório e posto avançado da guarda metropolitana. Além de oferecer oficinas gratuitas de profissionalização, a nova unidade vai disponibilizar para jovens de 15 a 29 anos acesso à cultura e ao lazer, se transformando num espaço de convivência para os jovens da comunidade. “Não temos que construir penitenciárias para encarcerar a juventude, temos de construir espaços de convivência como este”, afirma o secretário nacional de Juventude, Assis Filho.

O Estação Juventude 2.0 visa melhorar a qualidade de vida dos jovens e com a inauguração desta sexta-feira, Palmas passará a contar com duas unidades. “A política de juventude é uma política de garantia de direitos e o espaço que os jovens da região sul de Palmas tinham, os da região norte vão passar a ter”, disse o presidente da Fundação Juventude Palmas, Nahylton Alen. O Estação Juventude do setor Santa Bárbara atendeu mais de dois mil jovens, por mês, em 2017, ofertando oficinas gratuitas de teatro, dança, marketing, auto maquiagem, rima e poesia e realizou também palestras, debates e encontros de cultura, criando um quadro de jovens, que não tinham acesso a opções de qualificação e agora procuram informação e já estão se preparando para o mercado de trabalho.

Os projetos contemplados no Edital 2017 da SNJ receberão repasses que variam de 190 mil a 300 mil reais. O Estação Juventude 2.0 tem um orçamento de R$ 22 milhões em 2018 e a expectativa da SNJ é a de celebrar 106 convênios até o fim do ano.

A consolidação de Assis Filho à frente da SNJ…

Maranhense Assis Filho: consolidado a frente da SNJ

O secretário Nacional de Juventude Assis Filho, fechou a semana com chave de ouro, contabilizando mais uma importante conquista para a pasta que comanda no Governo Federal.

Em solenidade concorrida realizada na última quinta (15), no Palácio do Planalto, o secretário ao lado de diversas autoridades, movimentos e entidades juvenis acompanharam o presidente Michel Temer (MDB), na assinatura do decreto que regulamenta o Sistema Nacional de Juventude – Sinajuve. O documento é uma reivindicação antiga e determina as responsabilidades da União, Estados e Municípios na execução da Política Nacional de Juventude (PNJ).

Durante o cerimonial, Assis Filho fez questão de destacar o histórico de militante iniciado na sua Pio XII, no interior do Maranhão. Foi interrompido durante a fala pelo atleta Wanderson Geremias, o WG, que roubou a cena ao equilibrar uma bola de basquete na caneta do presidente. Temer quebrou a formalidade, gostou da façanha e se empolgou. Estava à vontade e se mostrou o tempo todo bastante descontraído.

Michel Temer ao lado de Assis: presidente se mostrou a vontade e descontraido em evento da juventude

O Sinajuve integra o Brasil Mais Jovem 2018, pacote de ações e programas voltados aos jovens de 15 a 29 anos a ser executado durante esse ano com outras 11 (onze) iniciativas.

Assis Filho assumiu a SNJ em meio a um desgaste nacional e em pouco tempo oxigenou a pasta. A maratona de atividades, ações e projetos foram tão significativas, que no ano passado foi convidado a compartilhar experiências sobre juventude no Encontro Internacional de Ministros da Juventude no Festival da Juventude na Rússia e nesta sexta (16), recebeu o convite para participar da Cúpula Ministerial de Juventude no G20 em maio, na Espanha e Portugal.

Após o sucesso absoluto do evento e a boa desenvoltura no comando da pasta, o status quo do secretário diante dos auxiliares do presidente muda completamente.

E o coloca na vitrine nacional de expoentes em ascensão, na ala que representa a nova geração do MDB…

Temer assina decreto que regulamenta Sistema Nacional de Juventude

O presidente Michel Temer assinou nesta quinta-feira (15) o decreto que regulamenta o Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve). Na mesma cerimônia, no Palácio do Planalto, foram anunciadas ações voltadas para jovens de 15 a 29 anos.

Antes de discursar, o presidente pediu um minuto de silêncio em memória da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada junto com o motorista que a acompanhava, Anderson Gomes, na noite de quarta no Rio de Janeiro.

“Quero pedir a todos que façamos um minuto de silêncio para lembrarmos de Marielle e de todos aqueles que foram vítimas de violência em nosso país”, disse Temer.

Durante a solenidade, o presidente tentou equilibrar uma bola de basquete em uma caneta, incentivado por um dos jovens presente no evento (veja no vídeo acima). Contudo, Temer deixou a bola cair. No discurso, ele citou o movimento atrapalhado.

“Quero dizer a vocês que a bola caiu, mas eu segurei a caneta, sabem para quê? Para assinar todos os atos necessários ao desenvolvimento da juventude neste país”, afirmou.

A regulamentação do Sinajuve, cujo decreto foi assinado nesta quinta, está prevista no Estatuto da Juventude, conforme o governo federal. O sistema determina responsabilidades de União, estados e municípios na execução da Política Nacional de Juventude (PNJ).

O decreto prevê “transparência e “ampla divulgação” em ações na área e a realização a cada quatro anos de Conferências da Juventude. As iniciativas do sistema contemplarão 11 eixos do Estatuto da Juventude.

A regulamentação integra o pacote de medidas anunciado nesta quarta, dentro do programa Brasil Mais Jovem, que, ao todo, reúne 91 ações de 13 ministérios. O programa tenta possibilitar que ações do governo federal cheguem a 51 milhões de jovens no país.

De acordo com o governo, o Brasil Mais Jovem 2018 é a continuidade de iniciativas em curso desde agosto de 2017, com o acréscimo de 12 novos projetos e programas, que superam R$ 50 milhões em investimentos. Entre as ações do Brasil Mais Jovem 2018 estão:

  • Diagnóstico sobre a juventude LGBT
  • Diagnóstico sobre juventude rural
  • Inova Jovem
  • Plano Nacional de Empreendedorismo e de Startups para a Juventude
  • Ampliação do programa Forças no Esporte no Rio de Janeiro.
  • Atlas da Juventude
  • Identidade Jovem 2.0
  • Juventude Viva

Dos programas anunciados, o secretário nacional da Juventude, Assis Filho, destacou o apoio de R$ 6 milhões no Forças no Esporte, que beneficiará 2,7 mil alunos das periferias do Rio de Janeiro.

Ele também citou o Inova Jovem voltado para capacitar jovens negros que vivem em comunidades de baixa renda.

“O projeto Inova Jovem na sua primeira fase de implantação vai capacitar 2 mil jovens negros e negras nas periferias do Brasil com cursos de empreendedorismo”, disse.

Do G1

Conjuve e SNJ lançam Campanha Conselhos em Rede

O ConseNalho cional de Juventude (Conjuve) e a Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) lançam, em parceria com o Fórum Nacional de Gestores Estaduais e Municipais de Juventude, uma campanha nacional de mapeamento dos conselhos de juventude nos estados e municípios.

A campanha “Conselhos em Rede” irá realizar uma pesquisa, com informações mais aprofundadas sobre os conselhos e sua atuação, o que permitirá a avaliação do desempenho destes. O levantamento será feito através de um formulário disponibilizado no portal Juventude.gov.br. Com isto, o Conjuve espera ampliar os espaços de participação e controle social voltados para as políticas públicas para os jovens. A ideia é fomentar a criação de novos conselhos em estados e municípios e fortalecer os já existentes.

Anderson Pavin, presidente do Conjuve, diz que mapear os conselhos é apenas uma etapa desta campanha. Em seguida, será elaborado um material de formação e distribuído um novo guia de Conselhos de Juventude. “Precisamos saber quantos conselhos estão em funcionamento, se foram criados por lei, por decreto, se a formação abre espaço para a sociedade civil e o mais importante é que eles nos ajudem a identificar os verdadeiros anseios e necessidades da juventude de acordo com a realidade de cada lugar do país”, explica.

Marcus Barão, vice-presidente do Conjuve, diz que esta campanha surge em resposta ao fenômeno que ocorre no Brasil chamado de bônus demográfico. “O país está mais jovem e passa por um momento demograficamente ideal para crescer”, disse. Para ele, o diálogo é necessário. “Precisamos conversar com outras iniciativas, como a Caravana Conjuve, que inicia um processo de descentralização e avança para todas a cinco macro regiões do país”, completa.

O Brasil tem uma série de desafios sociais que afetam diretamente a juventude e a participação e o controle social são relevantes neste contexto. Os conselhos são muito importantes para que as políticas públicas sejam efetivadas e corresponda a necessidade real da população. Em um momento em que contamos com a maior geração de jovens no país, totalizando 51,4 milhões de pessoas, é fundamental que se faça os investimentos certos, para, assim, conseguir levar políticas públicas adequadas a esses jovens.

O presidente do Fórum Nacional de Gestores Municipais de Juventude (Fomjuve) Maicon Nogueira acredita que mapear, criar e fortalecer os conselhos de juventudes em todo país é fazer valer na íntegra o próprio Estatuto da Juventude.  “Estamos unidos, Conjuve e Fomjuve, para que a sociedade civil se una ao poder público e consolidem cada vez mais uma agenda positiva que torne o jovem protagonista em todos os cenários”, disse.

Desire Queiroz, conselheira nacional da juventude e relatora da Comissão de Empreendedorismo e Inovação, lembra que uma política pública de juventude impactante tem que vir de baixo para cima, isto porque os Conselhos Municipais de Juventude têm uma capacidade muito maior de traduzir os conflitos e dificuldades vividas por sua população, justamente por estarem em contato diário com suas especificidades. Para ela, só assim haverá efetividade nas mudanças positivas para jovens de periferia e em situação de vulnerabilidade. “A iniciativa de fortalecer os espaços de participação e controle social voltados para a juventude é de extrema importância para garantir a efetividade das políticas públicas para a juventude”, disse.

Os conselhos são órgãos de participação e controle social que caracterizam um canal de diálogo entre governo e população, aproximando os dois e permitindo aos criadores de políticas públicas um conhecimento maior das necessidades dos jovens.