Rafael Cruz “enquadra” Luiz Ramos…

O vereador Rafael Cruz (PMDB) deu um verdadeiro chega pra lá no líder do governo Luiz Ramos (PSD) durante sessão na Câmara de Coelho Neto realizada na última segunda (10). O fato ocorreu após Rafael Cruz usar a tribuna para comunicar que em conjunto com o vereador João Paulo (PMDB) solicitando da Prefeitura a autorização para que um caminhão pipa disponibilizado por um empresário da cidade fosse abastecido por um dos poços do Serviço Autônomo de Água e Esgoto – SAAE e assim ficasse a disposição da população que tem sofrido com a falta de água nos bairros.

No afã de agradar o chefe e fazer as vias de líder do governo “de fato e de direito”, Luiz Ramos reagiu negativamente ao saber que o caminhão pipa era de propriedade do ex-prefeito Soliney Silva e disparou inúmeras críticas ao ex-aliado.

“O vereador Luiz Ramos pode não ter visto tudo na política, mas eu já vi essa cena acontecendo porque mais uma vez ele não entende o que é dito, ele não consegue, ele não tem a capacidade de escutar uma coisa e interpretar ela. Quem está o carro não é o ex-prefeito Soliney, nós vereadores é que solicitamos o carro dele para tentarmos suprir os vários reclames sobre falta de água que são feitos pra nós diariamente… E Vossa Excelência não deveria reclamar porque tudo o que o ex-prefeito Soliney fez também foi com sua autorização porque Vossa Excelência também era da base do governo”, disparou Rafael Cruz.

Para quem não lembra, Luiz Ramos foi eleito no palanque do ex-prefeito Soliney Silva e durante grande parte do mandato era seu fiel aliado. Rompeu , passou a integrar a oposição e se fez de esquecido dos anos que manteve as regalias de aliado. No final do ano passado, Ramos voltou a se aproximar querendo disputar a presidência da Câmara com as bençãos de Soliney contra o petista Osmar Aguiar (PT), até então candidato do prefeito.

É esse capítulo não tão distante que Luiz Ramos insiste em ignorar, mesmo que para isso passe por constrangimento, pois a história por si só se encarregará de trazer estes fatos a tona, já que contra fatos, não há argumentos.

Simples assim.

Por onde andará Luiz Ramos?

Líder do governo vereador Luiz Ramos

 

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) continua patinando em meio a uma crise de rejeição sem precedentes. Acuado por um governo fraco e uma gestão sem resultados, o petista se vê sozinho e totalmente desprestigiado por sua base aliada.

Estamos diante de administração tão desastrosa que o prefeito  acabou por sepultar a figura da liderança do governo, exercida pelo vereador Luiz Ramos. Líder de direito, cabia ao parlamentar fazer a defesa do governo no parlamento e em todas as ocasiões o que na prática não ocorre.

Por se tratar de uma figura individualista, Américo trata de tolher todo mundo que está ao seu redor sem qualquer cerimônia. Luiz Ramos não tem qualquer prestígio no governo. Não participa de atos oficiais, não integra caravana do governo pra lugar algum e sequer tem acesso a deliberações mais governistas.

Consciente de que está diante de um governo fracassado, Luiz Ramos optou por não fazer qualquer força para defender o indefensável e optou pelo silêncio como tem feito todos os seus demais colegas. Não há ninguém em sã consciência e com um pingo de bom senso capaz de defender esse desastre administrativo instalado em Coelho neto desde o dia 1 de janeiro.

Ramos poderia ter tido um papel de destaque no papel que lhe foi delegado, mas nesse governo ninguém pode brilhar sem quem a “estrela principal” seja o próprio prefeito, que anda longe de expressar algum brilho, senão o ranço da perseguição, do discurso debochado e do ataque gratuito a adversários para justificar a inoperância de um governo incompetente.

Luiz Ramos faz bem em manter-se calado, pois o governo de Américo é como uma cerca velha: quem encostar se não caiu, cedo ou tarde cairá…

Luiz Ramos: Por que não te calas?

Luiz Ramos: diz uma coisa e faz outra

O vereador Luiz Ramos (PSD) deu uma pequena amostra na sessão da última quinta (16), que vai pro “vale tudo” quando o assunto é tentar ganhar notoriedade e deu demonstrações claras de quão pífia será sua passagem como líder do atual governo.

No afã de tentar “fazer graça” ao prefeito Américo de Sousa (PT) que se fazia presente na galeria, Ramos tentou alfinetar o colega Rafael Cruz (PMDB) dizendo que este “em seu primeiro passo político havia precisado do petista para ser eleito vereador” e que hoje fazia oposição a este.

De fato Rafael foi eleito no palanque da oposição e tempos depois se tornou aliado do ex-prefeito Soliney Silva (PMDB) se mantendo fiel até hoje. Acontece que Luiz Ramos é o único vereador que não tem condições de apontar o dedo na cara de ninguém cobrando fidelidade a quem quer que seja, simplesmente porque seu passado fala por si.

Não custa lembrar que a primeira eleição de Luiz Ramos só foi possível graças a benção que recebeu do ex-prefeito Soliney (que hoje ele espraqueja) em 2009, repetindo a dose em 2012, embora tempos depois tenha rompido e se declarado oposição.

Na campanha de 2016 começou apoiando a candidatura a prefeito do ex-deputado Bacelar, logo depois abraçou a candidatura a prefeita da vereadora Lú e por fim acabou se elegendo as custas do empresário Luis Serra (PSDB).

Como o vereador parece sofrer de amnésia latente, esse mesmo Luiz Ramos voltou a pedir benção ao ex-prefeito Soliney no final de dezembro do ano passado quando quis ser o presidente da Câmara.

No episódio dos três vereadores cassados, Ramos não hesitou em tratorar os colegas para assumir mesmo que interinamente a presidência da Casa e só não disputou contra o vereador Osmar Aguiar (PT), devido a um problema de ordem familiar que lhe atingiu quase as vésperas da eleição.

Agora, o vereador aparece dando uma de Américo desde criancinha como se as pessoas não conhecessem seu histórico político… me comprem um bode! Vereador se atenha a exercer a função de liderança do governo que nada tem haver com a vida política dos seu colegas, até porque nesse âmbito, o senhor não possui condições morais de criticar quem quer que seja.

Luiz Ramos perguntar não ofende: se é pra falar tanta bobagem, por que não te calas?

Deve sobrar pra Luiz Ramos…

Luiz Ramos: missão quase impossível

Na atual conjuntura de total desgaste político, o prefeito Américo de Sousa (PT) precisaria de um líder forte na Câmara de Vereadores.

Desempenhar bem esse papel não é tarefa fácil, principalmente porque o governo não consegue avançar e atender minimamente os anseios da população, logo a função não pode ser delegada sem avaliar o perfil do escolhido: bom discurso, combatente e que saiba assumir os ônus do status sem perder as estribeiras (como fez o Presidente da Casa na última sessão).

Depois que esse blog questionou o nome de quem responderia pela liderança do governo, uma mobilização discreta ocorreu para que o “felizardo” fosse de de vez definido.

É lógico que se o nome do vereador Marcos Tourinho (PDT) fosse confirmado como antecipamos, o governo ganharia na loteria, pois poucos dos atuais vereadores tem know-row para exercer com maestria, uma função tão desgastante nos dias atuais.

No entanto, mesmo tendo sido de fato ventilada, essa hipótese se tornou remota pelo simples fato de Tourinho não se submeter aos caprichos do petista que não gosta de ser questionado e tem uma certa preferência por pessoas de perfil mais subserviente.

Quem ele pensou para a missão? Isso mesmo, vereador Luiz Ramos (PSD). Mesmo com o histórico de ter se rebelado contra Américo durante a eleição da Casa, tendo inclusive se reconciliado com o ex-prefeito Soliney Silva para tentar derrotar o atual presidente Osmar Aguiar (PT) na disputa pela Mesa Diretora, Ramos tem tudo para ser confirmado para a difícil missão de “defender” o marasmo do atual governo.

Na sessão da última segunda, o vereador já ensaiou a defesa do governo, quando procurou dar respostas ao quadro desolador do início das aulas na rede municipal de ensino, inclusive criando uma tal “falta de professores formados” para justificar o déficit no quadro de docentes que encontra-se incompleto.

A situação de Luiz Ramos como provável líder do governo não será nada confortável.

Mas como diz o ditado popular, se não tem tu, vai tu mesmo…

Soliney, Luiz Ramos e o abraço dos afogados…

Há cada dia que passa, a população tem mais motivos para desacreditar da classe política devido ao comportamento dubio que seus representantes desempenham no dia a dia.

A cidade de Coelho Neto por exemplo, assistiu estupefata nesta terça (20), pela tv local, a retomada da “velha parceria” do agora presidente-biônico da Câmara vereador Luiz Ramos (PSD) e o ainda prefeito Soliney Silva (PMDB).

Para quem não lembra, Ramos foi um dos vereadores que impuseram em Soliney a famosa derrota na disputa da Câmara em 2014, quando o prefeito desejava a eleição de Raimundão e os vereadores rebelados optaram por eleger o então vereador Márcio Almeida (PMDB).

Depois disso, Luiz Ramos passou a fazer oposição sistemática contra o governo municipal. Ao fazer uso da tribuna, por diversas vezes vociferava contra o governo de Soliney, suas práticas e seus métodos.

Para contrapor o adversário, o prefeito decidiu usar de sua influência para tomar o comando do PSD (partido do vereador), a fim de liquidá-lo politicamente. A operação só não surtiu efeito porque o presidente Claudio Trinchão não aceitou.

Respeitado pela posição firme que manteve contra o prefeito, Ramos disputou a reeleição no palanque do empresário Luis Serra (PSDB), e garantiu a renovação do mandato.

Com a inesperada posse na cadeira principal do Poder Legislativo na semana passada, Luiz Ramos resolveu mostrar sua verdadeira faceta e fazer jus ao ditado “quer conhecer alguém dê-lhe a ele poder”. Foi esse motivo e interesse nada republicano de se manter no comando da Câmara que fez o parlamentar esquecer o passado recente, deixar a dignidade de lado e “pedir benção” a quem ele até poucos dias atrás condenava.

Soliney na ânsia de ainda mostrar força no encerramento do mandato, também decidiu fazer vista grossa do tratamento que recebeu do agora neo-aliado, já que tenta a todo custo  interferir na eleição da Mesa Diretora para ganhar dividendos políticos com a disputa.

Juntou a fome com a vontade de comer.

E o resultado é um verdadeiro abraço dos afogados…

Pedido de vistas adia votação relacionada à postos de gasolina em Coelho Neto

luis-ramos
Luiz Ramos apresentou pedido de vistas ao projeto

Um pedido de vistas apresentado na sessão desta quinta (24), pelo líder do PSD vereador Luiz Ramos adiou a votação do Projeto de Lei 17/2016 de autoria do Executivo regulamentando o raio de 3km como parâmetro de distância entre os novos postos de combustível a ser instalado no município.

No entendimento de Ramos, a aprovação da matéria como está, pode implicar na inviabilização do surgimento de novos investimentos no setor, sem falar que a dificuldade poderia acabar incentivando a formação de cartel.

Os vereadores Antônio Pires, Lú e Osmar Aguiar foram unânimes em afirmar que são a favor da regulamentação, mas que são contrários ao tamanho da delimitação, que diverge do que tem sido estipulado a nível de Congresso Nacional. O projeto só será apreciado agora na próxima segunda (28).

Após o término da sessão, os vereadores já andavam com o projeto da Lei Orçamentária do próximo ano debaixo do braço. Alguns rindo a valer disseram ao blog que iriam se debruçar e estudar as cifras.

Mas essa é uma outra história…

“Ele não contou a verdadeira história”, diz Kassyano sobre briga com Luiz Ramos

kassyano
Kassyano: reação contrária a versão de Luiz Ramos

O ex-candidato a vereador Kassyano Rodrigues (PPS), reagiu a versão exposta pelo vereador de Coelho Neto Luiz Ramos (PSD), sobre a briga envolvendo os dois na noite de ontem (18).

“Eu estava no Bar do Maná quando ele chegou tão bêbado que chegou a bater na moto que eu andava. Na hora fui reclamar com ele e ele reagiu com ignorância foi quando começou a confusão”, disse ele.

Segundo ele a postura do vereador é condenável e que a versão dele envolvendo o empresário Luis Serra não condiz com a verdade, já que foi ele que atacou o prefeito eleito Américo de Sousa (PT), apoiado por Kassyano. “Impossível dar crédito as palavras de alguém que estava tão embriagado que duvido que ele lembre do que de fato aconteceu”.

Kassyano reafirmou ainda que está à disposição da Justiça para esclarecer a verdade dos fatos.

Luiz Ramos declara apoio a Bacelar…

O vereador Luiz Ramos (PSD), aproveitou o lançamento oficial da plenária Fala Coelho Neto realizada ontem (10), para declarar apoio a pré-candidatura a prefeito do ex-deputado Bacelar (PCdoB). Ao fazer uso da palavra, o vereador fez questão de destacar a folha de serviços prestados do comunista para justificar seu apoio.

Fala Coelho Neto: sucesso em sua primeira edição
Fala Coelho Neto: sucesso em sua primeira edição

“Decido militar politicamente nesse momento ao lado do Bacelar, em respeito a sua longa folha de serviços prestados a Coelho Neto, como legítimo representante de nossa terra na Assembléia Legislativa durante cinco mandatos. Durante essa pré-campanha permanecerei ao seu lado dentro da proposta aprovada por nosso grupo político, na certeza de que da oposição sairá o melhor nome para dirigir os destinos de nossa terra”, disse ele.

bacelar 1
Vereador Luiz Ramos: apoio a pré-candidatura de Bacelar

Luiz Ramos teve seu posicionamento elogiado por Bacelar, que agradeceu o apoio e a deferência ao seu nome.

13211051_10210060643898310_1986301663_o
Bacelar: elogio ao posicionamento do vereador Luiz Ramos

“Estou muito feliz por essa declaração de apoio. Luiz é um companheiro de antigas lutas, é um grande vereador e seu apoio espontâneo engrandece essa nossa caminhada. Tenha na minha pessoa um aliado, um amigo e um apoio para grantirmos dias melhores para Coelho Neto”, agradeceu Bacelar.

Participaram do evento diversas lideranças dentre as quais as vereadoras Cristiane Bacelar (Solidariedade) e Lú (PSD), o ex-vereador Toinho da Emater e diversos pré-candidatos a vereadores e representantes de partidos.

O mau exemplo do vereador Luiz Ramos…

foto_2134
Luiz Ramos: em menos de quatro meses agindo como governista e oposicionista

O ex-líder político e ex-prefeito de Coelho Neto Duque Bacelar (1948-1951) dizia que na política existiam os descompromissados que eram como água na gamela, já que dependiam das conveniências políticas para saber para que lado penderiam.

Pois bem, não precisa bater muita cabeça com essa reflexão para se chegar facilmente ao nome do vereador Luiz Ramos (PSD), que atualmente ilustra muito bem esse perfil político na cidade simplesmente porque não se sabe de que lado ele está.

Apesar de ter se mostrado aliado do Prefeito Soliney Silva (PRTB) durante as duas eleições que disputou para o Executivo, foi no turbulento episódio da eleição da Câmara em dezembro ano passado que Ramos resolveu colocar “as unhas de fora” e arrotar independência se autoproclamando como novo oposicionista.

Em abril desse ano (quatro meses depois), o mesmo Luiz Ramos esteve presente na residência do Secretário de Obras e Infraestrutura Chico Vereador defendendo a unidade do grupo do governo para as eleições em 2016, tendo feito inclusive uso da palavra, oportunidade em que rasgou a chita para o atual prefeito.

Para surpresa dos mais descrentes pasmem, esse mesmo Luiz Ramos compareceu recentemente na mesa de lideranças oposicionistas que participaram do evento do PPS, novamente como oposição, mas filiado a um partido do governo.

Que tipo de confiança um político com esse histórico espera passar para a classe política ou para os seus eleitores? Será que os anos de mandato não serviram para que o parlamentar entendesse que o político sem palavra não tem respaldo algum?

Na palavra de qual vereador se acredita: no governista de abril ou no oposicionista de agosto? É por comportamentos dessa natureza que a classe política está tão desacreditada. Simplesmente lamentável!

Vereador Osmar Aguiar alfineta os colegas Lú e Luiz Ramos

10731159_557877951022919_7936598839849848378_n
Osmar Aguiar: crítica aos colegas

O vereador de Coelho Neto Osmar Aguiar (PT) utilizou um programa de rádio local neste sábado (28) para alfinetar os colegas de parlamento Luiz Ramos e Lucinete Gonçalves, ambos do PSD.

Durante a fala o petista se mostrou incomodado com o fato do possível retorno dos vereadores Luiz Ramos e Lú para a base do governo.

Toda a discussão foi criada após a discussão do imbróglio envolvendo a eleição da Câmara que havia criado uma fissura entre os governistas, situação adversa que aos poucos passou a ser contornada.

União do grupo

Mesmo após o episódio envolvendo a eleição da Mesa Diretora, o Prefeito de Coelho Neto Soliney Silva (PRTB) sempre se mostrou aberto ao diálogo todas as vezes que tratou do assunto.

É claro que se usarmos a lógica, o mandatário que comanda o maior grupo político do município não tinha e não tem interesse em perder aliados. Para isso tem se utilizado da habilidade que adquiriu ao longo dos mais de 20 anos de vida pública para contornar essa pequena crise interna.

Além de trabalhar para garantir a governabilidade, Silva não pode deixar de olhar para a frente e saber que a disputa para sua sucessão se avizinha.

Isso se a proposta de ampliar em dois anos o mandato dos atuais prefeitos e vereadores em todo o país qnão for aprovada pelo Congresso.

Mas esta é uma outra história…