Coelho Neto e a insegurança de uma “cidade tranquila”…

Mesmo com a onda de violência crescente, ainda somos obrigados a ouvir declarações públicas de que “a cidade é tranquila”.

Policiais recentemente incomodados com as críticas de jovens ao prefeito expressas no asfalto: perda de tempo e bobagem

Editorial

Dias atrás o blogueiro aliado do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) – que funciona como uma espécie de porta voz do governo – publicou uma matéria voltada a questão da segurança pública em que teve a desfaçatez de afirmar “que a cidade desfruta de uma rotina de tranquilidade”.

Logo em seguifa foi a vez do delegado Sidney Tenório em entrevista a rede de TV local afirmar que o “clima na cidade é de relativa tranquilidade”, segundo matéria veiculada pelo mesmo blog.

Primeiro é bom dizer que ao contrário do que o delegado falou, a sensação de intranquilidade e medo não se mede por número de homicídios. Há muito tempo a cidade não é mais tranquila e a população deixou de andar nas ruas sem receio de ser assaltada a qualquer momento.

Ficar na porta de casa jogando conversa fora com vizinhos se tornou coisa do passado por uma série de fatores, dentre os quais, o aumento no número de assaltos e a deficiência no setor de iluminação pública. Nos últimos dias essa sensação de intranquilidade só aumentou e os relatos de violência nos mais diversos locais começaram a pipocar na rede social.

Questionar segurança nem sempre está relacionado a criticar o trabalho da polícia, o que parece que para alguns inclusive é proibido. Está errado. Ao contrário do que muitos pensam, a polícia não faz favor quando prende o ladrão, muito pelo contrário, é o trabalho da polícia e logicamente, reconhecemos que a corporação tem feito seu papel. Ainda assim, a população tem o direito de cobrar por mais segurança, tem legitimidade de exigir que as autoridades garantam o direito de ir e vir e tanto podem, como devem, usar a rede social para externar suas revoltas contra os desmandos e os abusos.

É inaceitável por exemplo, que a polícia ao invés de garantir a segurança do cidadão perca tempo se incomodando com jovens que pintam o asfalto criticando o prefeito, como se a cidade fosse um feudo onde ninguém pode dizer nada contra o “coronel”. Onde já se viu isso?

Se quiserem dizer que os dados de violência diminuiram tudo bem, mas dizer que Coelho Neto é uma cidade tranquila é o cúmulo do absurdo. Achar que viaturas por si só resolvem a questão da segurança também é uma falácia, porque nunca se distribuiu tanta viatura e ainda assim os dados da violência são alarmantes… São necessárias, mas não resolvem o problema.

Infelizmente quando autoridades abrem a boca para negar o óbvio, logicamente é porque a coisa é mais séria do que se imagina. Para alguns, é mais fácil se iludir jogando a sujeira pra debaixo do tapete, do que admitir o problema e enfrentá-lo.

Coelho Neto segue experimentando roubo a luz do dia e da noite, assalto de forma indiscriminada, mortes no trânsito e homícidios.

Se isso é “tranquilidade”, mudaram o sentido dessa palavra e esqueceram de me avisar…

Um governo de improviso e vale-tudo…

Os quase 100 dias do governo liderado pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) foi de resultados tão pífios, que talvez nem o maior pessimista pudesse imaginar.

É difícil crer que alguém que passou 20 anos fazendo oposição ferrenha e com sede de sentar na principal cadeira do Poder Executivo fosse apresentar um desempenho tão abaixo da média, como tem sido nesse início de governo.

Porém nem tudo está perdido. A imprensa através dos blogs tem feito um papel de cobrança impecável e por incrível que pareça é quem tem dado o tom e  pautado as poucas movimentações do governo.

Nesses mais de 03 meses “vale –tudo” se a ordem é tirar o da gestão da reta,  não importando quais os meios que serão utilizados para isso. Para ilustrar esse episódio falaremos da postagem sob os casos de violência na Escola Moacyr Bacelar.

Deixamos bem claro que nem Prefeitura e nem a Secretaria de Educação fizeram qualquer menção aos dois casos ocorridos na referida escola na mesma semana até então. Incrivelmente, após matéria veiculada por esse blog, a Polícia Civil prendeu na noite de ontem (08) o indíviduo envolvido no caso e que negou em depoimento que o fato tenha ocorrido dentro da escola.

Pronto, foi o bastante para que blogs do governo até então mudos, usassem a declaração do indíviduo para criticar a postagem e tentar minimizar o fato, como se isso resolvesse a questão.

Embora tenhamos nos baseado em depoimento de dois professores, o que se constata é que o assunto só veio a tona após a postagem. Para o atual governo, melhor do que encarar a problemática da violência nas escolas que é o caso, o que importa mesmo é se eximir de qualquer culpa mesmo que o assunto em pauta seja a segurança das pessoas.

O governo do improviso que ai está não tem noção de suas responsabilidades. Sem dar importância a fala de um indivíduo que não merece qualquer respaldo, qual a diferença do fato ter ocorrido dentro ou fora? A segurança das pessoas não valem? Fora da escola vale tudo? Quer dizer que professores e alunos devem ficar expostos a insegurança pois o governo não tem obrigação com isso?

Lamentavelmente essa postura confirma a incapacidade da gestão. Quando se poderia convocar uma força tarefa e mobilizar comunidade, polícia e reforçar a segurança na escola, o governo prefere “dar de ombros” ao caso como se o fato da fala do indivíduo tivesse dado tranquilidade ao governo de que o problema não existe

Aos alunos e professores o cuidado então precisa ser redobrado, pois o governo que ai está não responde pela falta de segurança… pelo menos não fora da escola.

Decepcionante tamanho despreparo em quase 100 dias…

Reconhecer é preciso…

A onda de violência que a cidade de Coelho Neto viveu até poucos dias atrás era crescente e parecia não ter fim. Todo dia os grupos de whatsapp noticiavam assaltos a mão armada e roubos de todas formas quase que em série.

A Polícia Militar e a Polícia Civil com o pouco de condições que tinha, se esforçavam para mostrar resultados, mas a onda de violência e o clima de insegurança só crescia.

Novo comandante da PM Tentente Paulo Jamerson: tolerãncia zero para a bandidagem e ordem na casa

A implantação da UTC, a retomada da parceria com a Prefeitura e a troca no comando da PM oxigenou o sistema de segurança, que sem medo, partiu para a rua.

Presença da polícia na rua trouxe resultados imediatos

A forte mobilização da polícia no centro e nos bairros, inibiu a ação dos meliantes que circulavam livremente pelas ruas dia e noite, procurando a próxima vítima para atacar.

Equipe da UTC: reforço na equipe

O fator positivo dessas simples intervenções, mas de grande impacto local, vai tranquilizando a população que estava se tornando refém da ousada e descarada ação dos bandidos.

E em apenas duas semanas, a cidade já respira ares totalmente diferente.

E isso não há o que discutir.

Simples assim!

Violência assusta e Arquimedes diz que buscará parcerias para conter insegurança em Afonso Cunha…

O prefeito eleito de Afonso Cunha Arquimedes Bacelar (PTB), demonstrou preocupação com o clima de insegurança instalado na cidade. Nos últimos dias, tem sido crescente a onda de assaltos a mão armada, roubo de motos e até uma ação de bandidos para roubar armamento da guarnição de polícia deixou a cidade em polvorosa.

delgacia-1
Arquimedes verificou in loco situação da delegacia

Diante do silêncio e da inércia do ainda prefeito José Leane (PMDB), o prefeito eleito resolveu agir e garante que buscará as parcerias necessárias para retomar a segurança e conter o crescimento da violência.

Durante uma visita realizada na Delegacia de Polícia nesta segunda (07), Arquimedes constatou o descaso ocasionado pela falta de parceria com a Prefeitura. A moto da guarnição quando não está quebrada fica sem combustível e vice versa. O computador está ultrapassado, a cela é a pior possível, as janelas estão comprometidas e a situação de acomodação dos policiais também deixa a desejar.

Computador e impressora sem quaisquer chances de funcionamento para registro de ocorrência
Computador e impressora sem quaisquer chances de funcionamento para registro de ocorrência

Por iniciativa própria Arquimedes determinou que a moto fosse encaminhada para oficina e garantiu a manutenção do combustível. Deixou claro que buscará viabilidade para solicitar aumento do efetivo e após assumir buscará a construção de um novo espaço para abrigar a Delegacia de Polícia.

É o prefeito eleito começando bem, aliás muito bem!

O descaso com a segurança pública…

Na mesma sexta feira (12), que o governador Flávio Dino (PCdoB), entregava em solenidade pomposa 12 novas viaturas policiais para a região tocantina, a única em estado “mais ou menos” da Delegacia de Coelho Neto era metralhada por bandidos fortemente armados que durante longos minutos aterrorizaram a cidade. Trágico não?

foto 1
Viatura da Polícia metralhada por assaltantes em Coelho Neto

Nada de novo. Estamos falando da 37ª agência alvo de bandidos desde janeiro desse ano no Maranhão. Em Coelho Neto a situação ainda é mais grave, já que a cidade padece com a perseguição implacável do governador Flávio Dino (PCdoB).

Odiento como é, Dino tem feito política com o fígado e resolveu descontar no povo a raiva mortal que sente pelo fato de nunca ter visto o Prefeito de Coelho Neto Soliney Silva (PMDB), com o “pires na mão”, tomando chá de sofá numa das salas de espera do Palácio dos Leões, como muitos costumam fazer.

Flávio Dino entrega viaturas em todo o estado. Coelho Neto sempre de fora.
Flávio Dino entrega viaturas em todo o Estado. Coelho Neto sempre de fora.

Ignorando a votação consagradora que a cidade lhe deu, Dino tem feito questão de esquecer as demandas e necessidades da população local. A segurança pública está abandonada e a guarnição da Polícia só não fechou as portas ainda, porque dispõe do auxílio dado pela Prefeitura de Coelho Neto mensalmente. Como exigir dos nossos esforçados policiais que enfrentem bandidos tão perigosos se o Governo do Estado não consegue manter o básico?

Já cobramos das mais diversas formas. Flávio Dino já mandou viatura para Caxias, Timon, região tocantina e Coelho Neto nada. Aumentou o efetivo mas para cá não foi destinado um policial sequer. Cadê essa mudança que por essas bandas não chega?

Nos resta pedir a Deus para que assim como ontem, os assaltos Maranhão afora possam terminar sem nenhuma fatalidade. O pânico vivido pela população parece não incomodar o governador comunista.

Nessas horas os aliados de Flávio Dino na cidade simplesmente somem, talvez com vergonha por não conseguirem justificar para a população tanta má vontade…

Ou uma boa dose de incompetência!

Quadrilhas de assalto a banco fazem a festa no interior do Maranhão…

BB

A lista abaixo traz a relação das agências bancárias assaltadas no Maranhão somente em 2016. São 16 assaltos em 45 dias, média de um assalto a cada três dias.

E o governo Flávio Dino e seu sistema de Segurança não sabem explicar como os explosivos entram no Maranhão.

Ontem, mais um banco foi pelos ares, em Colinas. Resultado: uma mulher morta no tiroteio ente polícia e bandidos.

Relação dos caixas eletrônicos/bancos explodidos/assaltados em 2016:

Dia 04 de janeiro – Alto Alegre do Pindaré – Banco Bradesco

Dia 06 de janeiro – Igarapé Grande – Banco do Brasil

Dia 06 de janeiro – Igarapé Grande – Banco Bradesco

Dia 08 de janeiro – Bacuri – Banco do Brasil

Dia 10 de janeiro – Maracaçumé – Banco Bradesco

Dia 12 de janeiro – Grajaú – Banco do Brasil

Dia 12 de janeiro – Icatu – Banco Bradesco

Dia 18 de janeiro – Alcântara – Banco Bradesco

Dia 18 de janeiro – Paulo Ramos – Banco Bradesco

Dia 19 de janeiro – Paraibano – Banco Bradesco

Dia 25 de janeiro – Araguanã – Banco Bradesco

Dia 26 de janeiro – Paraibano – Banco do Brasil

Dia 29 de janeiro – Duque Bacelar – Bradesco

Dia 01 de fevereiro – Tufilândia – Bradesco

Dia 03 de fevereiro – Peri Mirim – Bradesco

Dia 15 de fevereiro – Colinas – Banco do Brasil

Do Blog do Marco d´Eça

E como mudou…

Flávio-Dino-só-anda-de-helicoptero-e1453944736790 (1)
Flávio Dino: o que pra ele hoje é normal no passado já foi alvo de duras críticas

Pode até passar despercebido para alguns observadores menos atentos, mas a volta a um passado não tão distante nos permite lembrar as inúmeras denúncias do então candidato a governador Flávio Dino (PCdoB) contra o governo Roseana Sarney (PMDB).

Um dos motivos das duras críticas, era o uso indiscriminado das aeronaves do GTA para deslocamento da ex-governadora para os eventos no interior.

Naquele período, Dino argumentava que era um absurdo tirar a aeronave da disponibilidade da Secretaria de Segurança Pública para servir de transporte da governadora para eventos oficiais… o que era uma verdade.

Pois bem, foi só deixar de ser oposição e passar a ser governo para Flávio Dino mais uma vez esquecer do que dizia e fazer justamente o contrário. Hoje é ele que corta os céus do Maranhão usando a aeronave do GTA…

Mesmo o Estado tendo contrato milionário com empresa de táxi aéreo…

Enquanto isso o clima de insegurança e banditismo reina Maranhão afora…

Mudou ou não mudou?