A arte de saber ser oposição…

Rafael Cruz: atitudes de oposição responsável

O ex-presidente do Uruguai Pepe Mujica, disse em certa ocasião que toda vez que perdemos a capacidade de discordar a democracia se fragiliza. Na concepção dele, não saber lidar com quem pensa de maneira diferente é ignorar a principal característica do regime democrático.

Na tarde deste sábado (28), o vereador Rafael Cruz (PMDB), elogiou a atitude do prefeito Américo de Sousa (PT), de se comprometer durante entrevista em resolver a questão do salário pendente dos servidores do mês de dezembro deixados pela gestão anterior.

Sem entrar no mérito do que escreveu o peemedebista, o gesto chamou atenção desse blogueiro, sobretudo após ler alguns comentários em que se percebe claramente que muitas pessoas ainda desconhecem o significado de “ser oposição”.

Nem tudo está certo ou errado o tempo todo, logo a política não é feita só de elogios, quando se há espaço e há necessidade para as críticas. Para quem se apega a uma concepção errada da política, a atitude do parlamentar logo é interpretada como uma tentativa de se aproximar do governo, ou coisa do tipo. Quanta pequenez!

Não há desmerecimento em ser oposição, muito pelo contrário. Quem desconhece o papel da oposição, termina por diminuir a essência da democracia.

Fazer oposição não é ser inimigo do governo ou ser contra A ou B, é apenas ter o direito de exercer um olhar diferenciado sobre as coisas. E as pessoas precisam respeitar isso.

Com sua atitude, o peemedebista colabora com uma oposição assertiva, propositiva e que também sabe reconhecer os méritos. Uma oposição intolerante promove a politicagem e quem perde é a sociedade como um todo.

O blog defende e reconhece que o papel do vereador como oposição é importante, pois só assim a dialética no parlamento estará assegurada.

E a democracia sairá fortalecida…

Simples assim!

Américo e a espinhosa missão do “ser governo”…

Américo: de pedra para ser vidraça
Américo: missão árdua e grandes desafios pela frente

O prefeito eleito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), conseguiu a façanha de realizar um sonho pessoal, mas talvez no pior momento para ocupar o cargo.

O quadro de crise financeira que afeta a União com foco nos Estados e municípios, os recursos a conta-gotas enviados pelo Governo do Maranhão apesar do superávit anunciado, a dificuldade na liberação das emendas dos deputados mostram que o cenário para o próximo ano é de bastante cautela.

Américo assumirá o município em terreno totalmente movediço, já que pela primeira vez experimentará gerir a máquina pública. Por ter sido oposição durante toda a vida, o petista estará próximo de experimentar o maior de seus desafios: deixar de ser pedra e passar a ser vidraça.

A tarefa não será fácil e as cobranças serão diárias, talvez na mesma proporção do programa de rádio que o mesmo apresentava ao meio dia. O crítico passará a ser o criticado.

A saúde como calcanhar de Áquiles de qualquer gestão atualmente, será cobrada para apresentar respostas muitas delas imediatas. Questões relacionadas ao carnaval, abastecimento de água, a coleta de lixo, a trafegabilidade das ruas e recuperação das estradas vicinais pós-inverno estarão no foco da gestão nos primeiros 100 dias.

O prefeito eleito ainda não conseguiu costurar as alianças que lhe garantam a maioria confortável na Câmara. A Prefeitura não disporá nos primeiros dias do novo governo de uma rede de comunicação que possa servir de base forte para a promoção das ações do Executivo. Como rever tudo isso? É uma incógnita ainda.

A futura oposição que já se articula como “fogo de monturo”, promete ir pra cima e não dar um dia de trégua ao governo petista a fim de fazê-lo “provar do próprio veneno”. Os professores, classe mais defendida pelo prefeito eleito, já espera o anúncio de medidas que possam soar como novos tempos a ser vivenciados no governo do “companheiro”.

O petista precisa aproveitar bem o intervalo da eleição até a posse, pois como bem pontuou o ex-prefeito Magno Bacelar, esse é o período de namoro entre a população e o eleito.

Se pudesse dizer algo, diria a Américo as mesmas palavras que o Presidente do Banco do Brasil Dr. Nestor Jost disse ao conterrâneo Raimundo Bacelar na inauguração da Cepalma em 1973: “Agora é que seus problemas vão começar”…

Afinal 1º de janeiro está logo ali…

Os cotados para a Secretaria de Obras e Meio Ambiente em Coelho Neto…

montagem
Delano e José Orlando: espaço garantido no governo por fidelidade ao prefeito eleito

Às 12h:29

Diferentemente do que tenta plantar o blogueiro “Rubinho Barrichelo”, esse blog nunca o usou como base para fazer qualquer referência a composição do novo governo em Coelho Neto, porque simplesmente os nomes começaram a ser ventilados por esse blog.

A matéria postada ontem (16), sobre a indicação do professor Milton Mourão foi postada primeiro e compartilhada na mesma hora nos grupos de whatsapp da cidade e nos grupos do Facebook, logo não há chance de termos copiado simplesmente porque essa não é uma pratica muito adotada por esse blog.

Pois bem, em continuidade as possíveis indicações do novo governo a Secretaria de Obras e Meio Ambiente devem ficar a cargo da indicação do PPS, cuja maioria se manteve aliada ao prefeito eleito Américo de Sousa (PT).

Para a Secretaria de Meio Ambiente deve assumir o ex-candidato a vereador Gabriel Delano e para a Secretaria de Obras o mais cotado é o Presidente do PPS José Orlando.

E assim vai se desenhando o governo do PT.

E as informações chegam aqui com velocidade e fontes confiáveis, não privilegiadas.

Aceitem ou não os incomodados….

Simples assim!

Estrago feito: Oposição perde aliados em Coelho Neto…

Pouco mais de três dias: esse foi o tempo necessário para que a articulação política do prefeito Soliney Silva (PRTB), promovesse um verdadeiro estrago nos grupos ligados a oposição em Coelho Neto.

A primeira grande perda se deu com saída do vereador Raimundo Sousa (ex- PHS) seguido do ex-candidato a deputado estadual Albino Klauberth (ex-PPS) que deixaram seus partidos de origem para integrar a base de apoio ao governo e assinar filiação no PRTB.

Albino e Raimundo
Raimundo Silva e Albino Klaubert: perda pegou oposição de calças curtas

A devassa maior todavia se deu no Solidariedade que perdeu de uma vez só os pré-candidatos a vereadores Marcelo Crediário e Agildo Mecânico que chegam para engrossar as fileiras dos aliados governistas.

Marcelo e Agildo
Marcelo Crediário e Agildo Mecânico foram as perdas sentidas pelo Solidariedade

Do outro lado a perda de lideranças acabou atingindo o PT e o PCdoB que perderam os pré-candidatos Elias Viana e Ezequias do Esporte, respectivamente que também se integram aos quadros de aliados do prefeito.

Elias e Ezequias
Elias Viana e Ezequias do Esporte optaram pelo apoio ao governo

O projeto do mandatário de Coelho Neto está focado em chegar com todo gás em 2016 e consequentemente garantir a eleição do seu sucessor. A habilidade e a rapidez com que o processo de conversações com os neo-aliados fora conduzido, mostrou que a simples presença do prefeito no processo garante o fortalecimento do seu grupo e promove fissuras irreparáveis nas hostes de seus adversários.

Na verdade Soliney e a oposição andam na contramão: enquanto o primeiro se aproveita do tempo final dado para as siglas partidárias garantirem as lideranças para o pleito que se avizinha a oposição segue tentando a todo custo criar algum factóide que promova mal estar no governo.

Não se subestima um adversário. Foram dormir no ponto e deu nisso. Agora não adianta chorar porque o leite já foi derramado… Simples assim!

Stênio Rezende anuncia inauguração de quatro grandes hospitais no Maranhão

141105505-1044678580noticia
deputado Stênio Rezende

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado Stênio Rezende (PRTB) anunciou nesta terça-feira (5), durante pronunciamento na tribuna da Casa, que o secretário de Estado da Saúde, Marcos Pacheco, vai agendar visita ao município de Santa Inês para verificar, in loco, a situação do Hospital Macrorregional do Município, construído na gestão anterior.

No pronunciamento, Stênio Rezende disse que é uma determinação do secretário Marcos Pacheco visitar todos os grandes hospitais estão sendo construídos no Estado do Maranhão como os de Pinheiro, Caxias, Santa Inês e Balsas. “Esses quatro hospitais estão na agenda de compromissos do governador Flávio Dino e serão inaugurados ainda este ano”, revelou.

O anúncio foi feito depois que o deputado Souza Neto (PEN) foi à tribuna para cobrar a abertura do Hospital Macrorregional de Santa Inês. Segundo o deputado, o secretário Marcos Pacheco  havia prometido que no dia 25 de abril, vindo de Pinheiro, passaria em Santa Inês para ver de perto a situação do hospital,  que está pronto para atender a população, inclusive com  tomógrafo. 

COBRANÇA PERTINENTE

Na ocasião, o deputado Stênio admitiu que realmente o secretário da Saúde, Marcos Pacheco, tinha uma agenda para o final de abril, e se deslocaria ao município de Pinheiro e posteriormente até a cidade de Santa Inês, mas sua agenda foi atrasada por até 15 dias, por causa do processo das licitações que aconteceram na Secretaria de Saúde, em relação às OSCIPs.

O parlamentar garantiu que o secretário Marcos Pacheco e sua equipe amanhã mesmo estarão na Secretaria de Estado da  Saúde, para ver essa agenda e incluir a visita ao município de Santa Inês, onde a população cobra a abertura do Hospital Macrorregional, projetado pelo governo do Estado para disponibilizar importantes serviços públicos de saúde à população.

Stênio reconheceu que a cobrança do deputado Sousa Neto é pertinente, porque a abertura do hospital é seu desejo e uma vontade do povo de Santa Inês. “Quem sem dúvida nenhuma quem vai ganhar com a abertura do hospital é o povo de Santa Inês e de toda a região, que terá serviços de saúde de boa qualidade, disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmou