Após denúncia do blog, fantasmas da Saúde são retirados do sistema e informações são alteradas

Mudanças após a denúncia

No dia 14 de maio, este blog fez uma denúncia contra a Prefeitura de Coelho Neto  que através da Secretaria de Saúde estaria fraudando informações no banco de dados do Ministério da Saúde.

A denúncia que ganhou repercussão estadual estava relacionado ao Programa de Agentes Comunitários de Saúde onde servidores demitidos, aposentados e que haviam abandonado o serviço eram mantidos no sistema como se estivessem na ativa.

A servidora Elzenita Bastos da Silva Rocha por exemplo, cuja questão específica motivou a denúncia já teve seu nome retirado do sistema, assim como as demais servidoras Edineth Rodrigues Silva Lima, Maria das Graças Lima da Cunha e Maria das Graças Rodrigues Lima.

A servidora Marinalva Lima Pereira que ocupa cargo comissionado mas que permanecia como agente comunitária de saúde na ativa teve seus dados alterados e passou a ser gerente de serviços de saúde. Ora, se Marinalva está como coordenadora, quem está ocupando o lugar dela?

A alteração das informações por parte do governo não altera em nada as irregularidades cometidas até então. Outra questão relacionada ao programa diz respeito as contratações irregulares de contratados mesmo com um seletivo em vigência e cujos aprovados aguardam a posse.

O caso que já está aos cuidados do Ministério Público deverá por fim na desordem e o prefeito Américo de Sousa (PT), deverá mesmo a contra gosto empossar os agentes de saúde seletivados e acabar com a situação de contratos irregulares e áreas descobertas, mesmo com o recurso do programa sendo depositado todo mês.

Os fantas denunciados na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, incluindo o marido da secretária de saúde que mora em Salvador também já foi alterado.

Fantasmas na Saúde: Promotora dá 10 dias para Prefeitura de Coelho Neto se manifestar…

 

 

O Ministério Público já iniciou a atuação no que se refere a denúncia formalizada por esse blogueiro no caso dos servidores fantasmas da Secretaria de Saúde mantidos pela Secretaria de Saúde de Coelho Neto.

A frente do caso, a promotora Dra. Karini Kirimis Viegas já expediu ofício determinando que a Prefeitura de Coelho Neto preste os devidos esclarecimentos sobre o caso nos próximos 10 dias.

Esse blogueiro denunciou ao Ministério Público a maquiagem de dados oficiais mantida pela Secretaria de Saúde no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES. A denúncia iniciada a partir do Programa Agentes Comunitários de Saúde – ACS identificou servidores demitidos, aposentados, ocupação irregular de cargos comissionados e contratos irregulares mantidos como ativos pela gestão da ex-secretária Cristiane Bacelar e mantido pela atual secretária Olimpia Delgado, em descumprimento a normativa do Ministério da Saúde.

Leia mais:

O caso se alastra por outras unidades de saúde e diversos servidores, incluindo o marido da secretária de Saúde Olímpia Delgado, que consta como servidor da UPA, mesmo morando em Salvador-BA. Por se tartar de recursos federais, o fato também fora denunciado ao Ministério Público Federal, a Polícia Federal e ao Ministério da Saúde.

Marido da Secretária de Saúde que mora em Salvador aparece na folha da UPA de Coelho Neto

Dr Ronald foi inserido no quadro de servidores em janeiro desse ano

Os escândalos na Secretaria de Saúde de Coelho Neto não param. Um leitor do blog chamou atenção sobre a presença do nome de Ronald Henrique Delgado Bocanegra na folha se servidores da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, divulgada nesta tarde pelo blog.

Para quem não sabe, Dr Ronald é marido da secretária de Saúde Olímpia Delgado. Ele foi inserido no sistema em janeiro de 2018, mas  na prática segundo apurou o blog nunca trabalhou na Upa.

O blog investigou e constatou que entre janeiro e março ele fazia residência médica no Instituto Nacional do Câncer – INCA, no Rio de Janeiro – RJ. No mesmo período aparece como servidor da Upa de Coelho Neto.

Em abril, Dr Ronald passou a trabalhar no Hospital Geral do Estado em Salvador -BA e continuou como prestador de serviço em Coelho Neto, mesmo sem pisar na unidade.

Quer dizer que o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), não tem dinheiro para pagar um outro médico para a Upa, mas mantém um fantasma de outro Estado entre os servidores? Assim não tem como mesmo, não é prefeito?

A Secretaria de Saúde pelo visto virou um mar de lama.

Que quanto mais mexe, mais fede…