Secretaria de Educação termina ano letivo “com taca” nos contratados em Coelho Neto…

Américo: tratamento de chicote em contratados

Humilhação. É esse o tratamento dispensado pela Secretaria de Educação de Coelho Neto em pleno encerramento do ano letivo.

Se não bastasse a redução do calendário escolar e a diminuição no salário de algumas categorias, a Secretaria de Educação não cumpriu o prometido e fez os contratados trabalharem praticamente de graça.

Acontece que com o encerramento das aulas para o final de novembro, os professores tiveram que dar aulas aos sábados, com a promessa de quem receberiam por estes dias, até porque as aulas do final de semana seriam as que seriam dadas no mês de dezembro.

Pois bem, os contratados correram nesta sexta (01) para o banco para receber seus proventos e tal qual não foi a surpresa desagradável: o salário do mês estava nas contas limpo e seco. Já haviam sido despachado de receber décimo correspondente aos meses trabalhados e de quebra não receberam um real pelas aulas extras pagas no sábado.

Para fechar o pacote de maldades, o governo ainda pediu um relatório de cada contratado e só serão recontratados no próximo ano quem tiver se “destacado”. Quer dizer não basta ser mal remunerado é necessário ainda colocar a qualidade do trabalho em cheque.

E aquela história que o prefeito Américo de Sousa (PT) falava na rádio que contratado tinha que ser tratado igual concursado porque trabalhava até mais? Isso é coisa do passado, esse discurso era penas para chegar ao poder, chegou e não está mais nem ai para ninguém.

É esse o tratamento que o vendedor de picolé-professor dispensa para com aqueles que um dia tanto defendeu…

É tesoura! Prefeito de Coelho Neto corta mais de R$ 500 reais no salário de professores contratados…

Os professores de Coelho Neto tem sido os mais atingidos no bolso com os cortes promovidos pela desastrosa gestão do prefeito-professor Américo de Sousa (PT).

Nenhum prefeito tem sido tão perverso com a classe docente quanto o atual gestor. Quando queria ser eleito, Américo dizia que contratado deveria receber igual um concursado pois o valor diferenciado era uma injustiça.

Após sentar na cadeira nunca igualou os salários, ao contrário, os professores que já recebiam menos vem sofrendo perdas significativas.

Os professores contratados da zona rural por exemplo, já haviam perdido o auxílio deslocamento que era pago pelo governo anterior. Agora foi a vez dos professores da Educação Infantil que perderam mais de R$ 500,00 (quinhentos reais) nos salários.

Além disso a Secretaria de Educação tem montado uma verdadeira força tarefa para promover descontos em salários de professores que tem faltado nas aulas de sábado para reduzir o ano letivo e economizar. Não escapa ninguém e a ordem é cortar onde tiver que cortar.

No final de novembro serão uma média de 300 professores contratados que ficarão em seus empregos graças ao arrocho promovido pelo governo do PT em Coelho Neto.

E olha que já entraram nos cofres do FUNDEB mais de R$ 30 milhões.

Pense num governo que veio de encomenda…

Prefeito de Coelho Neto prepara a “tesoura” para demitir contratados…

Américo: incompetência para gerir a máquina e demitir quem ele mesmo contratou

É triste o cenário político-administrativo de Coelho Neto comandado pelo ex-sindicalista Américo de Sousa (PT)

Sete meses depois de tomar posse no comando do município quando se elegeu com o discurso de que a prefeitura tinha milhões mas o que faltava era gestão, Américo é a materialização do engodo fabricado durante o período eleitoral.

Já no comando do município, os milhões que antes tinham milagrosamente desapareceram e a prefeitura virou uma bomba-relógio, onde segundo ele só existem problemas de todos os tipos e em todos os lugares.

Durante entrevista de rádio ontem (05), o prefeito que só nos 25 dias do mês anterior recebeu de FPM e FUNDEB a bagatela de R$ 6 milhões de reais, anunciou contingenciamento de despesas. E quem vai pagar a conta? Os servidores contratados, já que o prefeito disse que terá que fazer um corte na folha de no mínimo R$ 1 milhão de reais.

Por outro lado se confirma o desastre que é esse governo, já que sete meses depois se prepara para reduzir uma lista de servidores contratados por eles próprios, mostrando que o governo desconhece a essência das palavras gestão e planejamento.

Não pode haver redução é nas licitações pra buffet, pra aluguel de carros e máquinas pesadas, pra compra de fardamentos que ninguém sabe pra onde vai, pra compra exacerbada de gás, mas para pagar os servidores ai o dinheiro não dá.

Segundo fontes do blog, serão cerca de 50 a 70 pessoas que perderão seus empregos, graças a incompetência do governo que ai está. Agora quem vai querer “está na folha” de um governo desses (como os governistas gostam de se referir a quem faz oposição aos desmandos do PT local), se o prefeito não consegue manter os próprios aliados?

É cômico se não fosse trágico…

Vereador Cará constrange Presidente da Câmara: E os contratados?

Veerador Cará: preocupação com os contratados

Durante a sessão de ontem (09), o presidente da Câmara vereador Osmar Aguiar (PT), aproveitou para fazer uma graça e tentar puxar brasa pra sardinha do governo.

Enquanto rasgava elogios a portaria baixada pelo prefeito Américo de Sousa (PT), que após a pressão dos servidores concursados resolveu definir o impasse do pagamento, o petista foi constrangido em meio ao discurso pela pergunta do vereador Reginaldo Janse – Cará (PMDB):

E os contratados não vão receber não? Contratado não come né, não paga energia, não tem despesa, teria dito ele.

Visivelmente constrangido pelo questionamento do colega, coube a Osmar responder de forma lacônica: os contratados não são citados na portaria.

Enfim, na prática é o velho discurso indo por água abaixo de que contratado deveria ser tratado da mesma forma que o concursado.

Na sequência coube ao vereador Rafael Cruz (PMDB), engrossar o discurso em favor do direito dos contratados também receberem seus pagamentos.