Imagem do dia: Quando o governo desmente o próprio governo…

Desperados por criar alguma notícia positiva que minimize o desgaste perante a opinião pública, o governo liderado pelo prefeito Américo de Sousa (PT), cometeu a proeza de se auto desmentir. 

Mais cedo o “blogueiro do prefeito” fez uma matéria e para agradar o chefe disse que a prefeitura já tinha recuperado “centenas de quilômetros de estradas vicinais”, mesmo sabendo que isso não é verdade. Pouco tempo depois, a Secretaria de Comunicação divulgou um banner desmentindo a matéria e afirmando que foram apenas 16 km. 

Já ouviuram dizer que panela em que todo mundo mexe ou sai insosso ou sai salgado? Pois é, esse é o saldo de um governo onde ninguém se entende, todo mundo mexe e o resultado é esse desastre a olho nu. Mudou ou não mudou?

 

Boicote? Presidente e funcionários faltam e sessão da Câmara fica prejudicada…

Osmar Aguiar: subserviência total “ao chefe”

O presidente da Câmara Osmar Aguiar (PT), parece ainda tonto com a derrota do governo na sessão da semana passada.

Fontes do blog dizem que o presidente “teve que ouvir uma conversa de pé de orelha” bem dada do prefeito-chefe Américo de Sousa (PT) pelo fracasso na articulação que culminou com a derrota do governo.

Talvez ainda tonto com a “taca”, o presidente da Câmara não deu as caras na sessão desta segunda (23). Se tivesse só faltado não ia fazer falta, mas um fato curioso aconteceu: pela primeira vez na história recente da Câmara a sessão deixou de ser realizada mesmo com os vereadores presentes.

“Estranhamente” todos os funcionários administrativos da Casa resolveram faltar. Tudo foi deixado trancado e até o livro de presença dos vereadores para iniciar a sessão não foi achado. O episódio nada comum deixa um cheiro cheiro de boicote no ar, já que ninguém sabe o que se passa na cabeça da “dupla dinâmica” após a surra de 10×3.

Os vereadores Sillas do Louro, Reginaldo Janse – Cará, Rafael Cruz, Marcos Tourinho Wilson Vaz, Dr. Ricardo e Camilla Liz estiveram na sessão, mas deram com a cara na porta, graças a presepada do presidente atrapalhado.

Esse fato no mínimo inusitado vem para ilustrar a que ponto a cidade chegou.

Sabemos onde estamos, mas no comando da dupla Américo e Osmar não sabemos onde vamos parar…

Pense na tampa e na panela…

Quase R$ 30 milhões: É o número “da crise” de mentira na educação de Coelho Neto…

Américo: crise de mentira

Crise coisa nenhuma! O chororô do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) é pura invencionice e não tem razão de ser. Chora com os cofres abarrotados de dinheiro e não tem a menor vergonha de ir na rádio dizer que precisa demitir servidores.

Pois bem, ao assumir o mandato Américo retirou gratificações, prometeu que pagaria contratado igual concursado e até hoje o povo espera, retirou auxílio transporte dos contratados da zona rural e está diminuindo o ano letivo para economizar. Economizar pra que e pra quem?

Já que o prefeito não tem coragem de falar nos números, apenas vomita crise, vamos analisar os dados disponibilizados pelo Banco do Brasil friamente. Só de Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb, já entraram em Coelho Neto desde janeiro até hoje (23), a bagatela de R$ 31.322.796,90 (trinta e um milhões, trezentos e vinte dois mil, setecentos e noventa e seis reais e noventa centavos) que após o desconto da parcela única do Governo Federal que o prefeito tanto se reclama ficaria em caixa R$ 29.781.900,07 (vinte e nove milhões, setecentos e oitenta e um mil, novecentos reais e sete centavos).

Ora, se olharmos o Portal da Transparência da Prefeitura, a pasta da educação tem R$ 5.420.261,88 (cinco milhões, quatrocentos e vinte mil, duzentos e sessenta e um reais e oitenta e oito centavos) de valor empenhado e destes R$ 2.990. 986,01 (dois milhões, novecentos e noventa mil, novecentos e oitenta e seis reais e um centavo) estão pagos.

Dados do Portal da Transparência do Município confirmam que crise é mentira deslavada: onde estão os mais de 24 milhões?

Pois muito bem, a pergunta que não quer calar é: onde estão os outros R$ 24.361.638,80 (vinte e quatro milhões, trezentos e sessenta e um mil, seiscentos e trinta e oito reais e oitenta centavos)? Por que ao invés de citar que tá em crise, o prefeito não tem coragem de mostrar o saldo das contas da educação? Por que não cita para onde estã indo esse dinheiro? Não mostra e não cita números porque sabe que essa crise é invenção da cabeça dele.

Cabe aos servidores da educação fazerem a devida cobrançaa época dos ex-prefeito Márcia, Magno e Soliney), porque se forem esperar do Sindicato dos Servidores do Serviço Público Municipal – Sintasp o fazer, vão ter que esperar deitado, porque em pé vão cansar.

O sindicato hoje morre calado e inventou um tal ato público com um café da manhã para tentar enganar os servidores e assim tentar “tapar o sol com a peneira”.

Fica enganado quem quiser. Os números estão ai para desmentir a farsa…

Uma semana para o prefeito de Coelho Neto esquecer…

Américo: semana para esquecer

A série de desculpas esfarrapadas dadas pelo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), semanalmente em seu programa de rádio chegou no limite e parece não convencer mais a ninguém, nem os próprios aliados.

Ao invés de contornar a situação positivamente, a coisa só tem agravado, prova disso foi a última semana em que o petista teve várias derrotas significativas o colocando em situação ainda mais vexatória perante a população, o Legislativo e o Governo do Estado.

A idéia de impor um projeto de lei reduzindo salários sem qualquer estudo de impacto – ele diz que apresentou para os vereadores mas não tudo não passa de uma mentira – sofreu uma derrota humilhante de 10 x 3, com votação em massa da sua própria base. Para tentar desgastar a imagem dos vereadores perante a opinião pública, disse que terá que demitir funcionários em razão da não aprovação do projeto.

A sua declaração infeliz contra o Governo do Estado também o coloca “ingrato” diante do Palácio dos Leões. Com todas as ajudas que recebeu até agora, o prefeito classificou as conquistas viabilizadas pelo governador Flávio Dino como “muito tímidas”.

Por último, viu a manobra orquestrada para barrar as obras da rádio do ex-prefeito Soliney Silva irem por água abaixo, graças a inabilidade e truculência do secretário de meio ambiente Gabriel Delano – o pior do governo – que se achando juiz deu voz de prisão a quem estava presente e acusou de montagem um documento oficial.

Nos grupos de whatsapp os defensores do governo sumiram e os poucos que restam não conseguem fundamentar uma linha de raciocínio sequer que justifique tanto desajuste em tão curto espaço de tempo.

E foi mergulhado no desgaste e em derrotas pessoais que o petista concluiu a semana.

Uma semana para ele esquecer…

Ingrato, prefeito de Coelho Neto desdenha das ajudas de Flávio Dino: “apoio muito tímido”

Ingrato, Américo teve a coragem de desdenhar das ajudas que vem recebendo do Governo do Estado: “muito tímida”

Perdido numa gestão inerte e com índices cada vez maiores de rejeição, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), saiu atirando para todo lado no seu famigerado programa de rádio deste sábado (21).

Com inabilidade para gerir a máquina pública e as dezenas de milhões que já entraram nos cofres da prefeitura desde que assumiu o mandato, o petista tem procurado alguém para culpar pela sua  gestão pífia que não consegue apresentar um resultado.

Além de declarar guerra contra os vereadores, o prefeito resolveu alfinetar pela segunda vez o governador Flávio Dino (PCdoB), de quem diz ser aliado. Em junho, num discurso durante a plenária da Conferência de Saúde, o petista chegou a dizer que se o governador não mandasse dinheiro ele fecharia a Unidade de Pronto Atendimento – UPA. Ora pois, se o governador tem dado demonstrações claras que seus gastos com saúde estão extrapolados vai assumir gasto que não é de sua competência por quais motivos? Me comprem um bode!

Dessa vez, Américo fez um discurso a “mea boca” e fez pouco caso das ajudas que já recebeu do Governo do Estado. “É assim que a gente tem funcionado e com apoio do Governo do Estado que ainda tem sido muito tímido, embora a gente já tenha recebido apoio do governador Flávio Dino, mas para as nossas necessidades ainda é um apoio tímido”, disse o prefeito.

Para repor a verdade dos fatos, o prefeito apenas revela toda sua ingratidão com respeito ao Governo do Estado que tem ajudado o município sim e não é ajuda tímida coisa nenhuma. Se o petista agradecesse o governador de manhã, de tarde e de noite ainda era pouco, pois se nós tirarmos as ações do Estado não sobra nada de responsabilidade da gestão dele nestes 10 meses.

O governador definiu Coelho Neto como a primeira cidade a receber ainda no ano passado a Unidade Tática das Cidades composta de viatura e aumento de efetivo policial. As reclamações dos 84 km de asfalto da MA-034 eram grandes e o governador mandou recuperar, além da conclusão da MA-123 Afonso Cunha – Coelho. O governador encaminhou para o município logo na primeira etapa exatos 7.000 kg de sementes para 1274 produtores rurais beneficiados, disponibilizou ajuda financeira para o Carnaval e São João (não tem culpa do município está inadimplente e ter ficado de fora), além de ter disponibilizado ajuda para reformar o Hospital Ivan Ruy (não tem culpa do prefeito ter se enrolado nos problemas judiciais e não ter ganhado uma na justiça até agora. O governador confirmou o IEMA – Instituto Educação Tecnológica do Maranhão (que deve ser iniciado nos próximos lotes), a cidade teve 500 famílias beneficiadas com o Programa Mais Bolsa Família, parceria no Aprova Coelho Neto, 01 ambulância nova Semi-Intensiva, quase 20 km de asfalto no perímetro urbano da cidade entre o recapeamento das avenidas José Silva e Coelho Neto, além de uma operação tapa-buracos, isso sem falar em doação de 02 viaturas para a Polícia Militar, 01 motoniveladora, 01 patrulha mecanizada, tudo isso só para ilustrar.

Diante de todas essas ações enumeradas é isso que o prefeito Américo de Sousa classifica como ajuda tímida? Quer mais o que, que o governador assuma a cadeira e governe a cidade por ele? Se enchergue homem e assuma seu papel. Quem tem um aliado desse não precisa de inimigo. Abre o olho Flávio Dino!

A seguir a declaração do prefeito em seu programa de rádio:

Truculento e arbitrário, secretário de Meio Ambiente de Coelho Neto paga mico novamente…

Inconformado com a rádio que o ex-prefeito Soliney Silva está montando em Coelho Neto, o atual prefeito Américo de Sousa (PT), mostrou mais uma vez seu lado perseguidor para tentar a todo custo impedir o projeto da rádio saia do papel.

Como não tem coragem para mostrar a cara em ações como essa, o prefeito designou seu atrapalhado secretário de Meio Ambiente Gabriel Delano para liderar uma abordagem fajuta no intuito de barrar as atividades da rádio. Delano é conhecido na cidade pelas abordagens desastrosas que tem feito desde que foi investido no cargo.

Se achando uma mistura de juiz, advogado e oficial de justiça ao mesmo tempo, o secretário usou o aparato policial da PM para fazer uma abordagem totalmente sem sentido. Chegando na rádio foi recebido pelo ex-prefeito Antônio Cruz que coordena o projeto de reforma do prédio e a montagem da torre.

Visivelmente alterado e totalmente truculento, começou a cobrar um calhamaço de documentos. A medida que ia solicitando, Cruz ia mostrando que todos os documentos solicitados estavam de acordo com o solicitado. Cobrou documentação que sequer havia sido requerida e não foi capaz de mostrar nenhuma notificação feita solicitando documento algum. Quando viu que não tinha o que exigir, chegou ao ponto de afirmar que o Alvará expedido pela Prefeitura era uma montagem. Um verdadeiro absurdo – para a mando do chefe – barrar a rádio de qualquer forma.

Alvará assinado pelo Secretário de Obras que Delano acusou de ser montagem: desespero

Se achando o todo-poderoso, “mandou” todo mundo para ir à delegacia como se ele tivesse esse poder. Acompanhados do advogado Dr Val Filho e conscientes de que a documentação estava correta, o ex-prefeito Cruz por livre e espontânea decidiu comparecer para prestar os devidos esclarecimentos.

Na delegacia foi que o “projeto de secretário” pagou mais um mico. Com a documentação dentro da legalidade, o secretário foi proibido de se dirigir a rádio, já que ele tentou entrar num prédio particular de forma arbitrária e sem autorização judicial, inclusive chegou a dar voz de prisão em flagrante segundo relato do vereador Rafael Cruz, como se fosse um delegado. Os trabalhos da rádio portanto continuam e o truculento secretário e se prefeito ditador mais uma vez deram com a cara na porta e tiveram que colocar a viola no saco.

E assim segue o governo do PT, perdido e querendo transformar a cidade em um feudo. Felizmente não conseguirão. Segue o vídeo com parte da atuação arbitrária do secretário desastroso:

O troco: Américo estaria decidido a baixar salários através de um decreto…

Américo: pacote de maldades para dar o troco ao vexame imposto a ele pela maioria de sua base aliada

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) não engoliu a derrota na sessão de ontem (19) e segundo fontes do blog, já arquiteta um pacote de maldades para se vingar do vexame imposto a ele por sua base aliada.

A crise teria começado numa reunião antes da votação do projeto em que o mandatário deixou claro que queria o projeto aprovado e teria chegado a ameaçar inclusive chamar vereadores da oposição para compor o governo. Teria sido a gota d´agua.

Para dar o troco a primeira medida estudada segundo apurou o blog, seria cortar o salário dos servidores editando apenas um decreto. É que o prefeito pretende se valer da reforma administrativa aprovada pelos vereadores no início do ano e bastante criticada por ser visto como um “cheque em branco” para o Executivo fazer o que rege essa Lei lhe dando autonomia plena sem passar pelo crivo da Câmara.

Enfurecido, o prefeito também estaria disposto a reduzir sua base. Américo contava até então com 10 (dez) vereadores e teria decidido a diminuir esse número e “escantear” quem ele considera “persona non grata”. Com a decisão o prefeito ficaria apenas com um número de vereadores que considerasse tranquilo para garantir as votações. Estariam na lista de alvos preferidos do “paredão do prefeito” os vereadores Marcos Tourinho, Wilson Vaz, Moabe Branco e Camila Liz.

Há comentário também, que o prefeito teria tido uma reunião com os vereadores que lhe foram fiéis (Luiz Ramos e Sillas do Louro) para comunicá-los que algumas demissões deveriam ocorrer a partir do próximo dia 1, em resposta a derrota do governo na Câmara.

Apesar de ser aconselhado a não entrar na disputa com os vereadores, o petista estaria decidido a esticar a corda.

 Vamos ver se ele tem coragem de comprar essa briga…

Discursos efusivos deram o tom da sessão que impôs derrota ao governo em Coelho Neto

Rafael Cruz, João Paulo e Dr Ricardo: discursos protagonistas na sessão que derrotou projeto do governo contra servidores

A polêmica sessão extraordinária que impôs a primeira derrota histórica ao prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), foi um suspende do início ao fim. Inseguro, o presidente da Câmara Osmar Aguiar (PT) – defensor ferrenho do governo – pela primeira vez dirigiu uma sessão sem saber como tudo terminaria.

Quando abriu as discussões os vereadores da oposição fizeram o uso da palavra, a começar pelo vereador Rafael Cruz (PMDB). Ele destacou a complexidade da matéria, falou da ausência de estudos da situação financeira do município, disse que a redução era fictícia para alguns casos já que a diminuição é insignificante do aumento dado no início do ano, mostrando a falta de planejamento do governo e declarou voto contrário para não punir os trabalhadores já que o projeto sequer tinha tempo para término da vigência.

O vereador João Paulo (PMDB) começou falando do desenho de reforma administrativo errôneo enviado pelo governo no início do ano que já falava em racionalização de recursos, criticou o motivo do prefeito não fazer corte nos aluguéis de carros, na quantidade de combustível e nos secretários que tem pasta mas não trabalham. Ele destacou ainda que era a favor da valorização e não da desvalorização dos servidores.

Em sua fala o vereador Dr Ricardo Chaves (PPS), iniciou criticando a decisão do presidente de fazer sessões extraordinárias pela manhã, quando poderia fazer no horário das sessões ordinárias. Ele lamentou o discurso do governo de que a prefeitura está sem dinheiro, disse que diminuir salário era ofender a dignidade do cidadão e que a administração está mais perdida do que cego em tiroteio.

Para defender o projeto o vereador Luiz Ramos (PSD), líder do governo, foi o único com coragem para defender uma matéria contrária aos servidores. Ele já iniciou na defensiva ao dizer que o voto era facultativo, falou em crise, alegou que diminuir salários era melhor do que redução

 Após do discursos, os vereadores seguiram para a votação e por 10 x 3, os vereadores derrotaram a matéria. A platéia reagiu a atitude com aplausos efusivos e cumprimentos.

Quando soube que havia sido derrotado, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa teria ficado uma arara e segundo fontes do blog já teria prometido retaliação aos infiéis.

Mas essa é uma outra história.

CAPS de Coelho Neto sofre com o descaso do governo…

Denúncias recebidas por esse blog mostram o verdadeiro descaso que o atual governo municipal vem tratando o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS de Coelho Neto.

Uma das revoltas se deve em decorrência do aumento de carga horária sem um real a mais no salário. No governo anterior funcionava até as 17h e agora passou para as 18h dos servidores nível médio mesmo com os pacientes sendo liberados as 16h, o que representa uma prestação de serviço de 50hs, pois segundo as denúncias o trabalho é ininterrupto.

O profissional psicólogo também teve sua atuação ampliada já tinha carga horária de 30h e está tendo que cumprir 40h. A pedagoga e artesã segundo informações estão bancando as oficinas muitas vezes do próprio bolso, mesmo recebendo pouco e sem direito a insalubridade.

No governo anterior tinha um carro pra pegar os pacientes em casa, hoje o carro só pega uma paciente (sobrinha de uma autoridade do governo) e na terapia é todo mundo no calor, pois não tem sequer um ventilador.  O prédio está em péssimas condições, os colchões rasgados e sem qualquer conforto para os pacientes que precisam do repouso.

A ausência do psiquiatra que já foi alvo de denúncia por esse blog e que chegaram a dizer que já tinha sido contratado é tudo balela, pois até agora ainda não havia dado as caras, isso sem falar na ausência do profissional de educação física que também não existe.

E é aos trancos e aos barrancos que o CAPS de Coelho Neto vai funcionando, sem qualquer atenção por parte da Prefeitura e da Secretaria de Saúde…

Mais impostos! Prefeito de Coelho Neto fecha o cerco e manda arrochar comerciantes…

Fiscais da Fiscalização Tributária: cerco fechado a arrocho nos comerciantes

A coisa em Coelho Neto não está para brincadeira. Mesmo com todos os milhões que já entraram nos cofres do município, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) não para de chorar miséria e tem feito de tudo para manter os cofres cheios.

De cuia na mão como se o município estivesse à beira de um colapso (o que não é verdade), o petista perde mais tempo reclamando de R$ 1.7000.000,00 (um milhão e setecentos mil reais) que deixaram de entrar do que prestando contas do que ele já fez com os mais de R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais) que já entraram desde janeiro de 2017, isso sem falar no saldo deixado em conta pelo ex-prefeito.

De acordo com o Portal da Transparência do municípios, estão empenhados R$19.184.480,47 (dezenove milhões, cento e oitenta e quatro mil, quatrocentos e oitenta reais e quarente e sete centavos) e destes R$ 11.560.720,09 (onze milhões, quinhentos e sessenta mil, setecentos e vinte mil reais e nove centavos) já foram pagos. Se subtrairmos os mais de 66 milhões que entraram com o valor de 19 milhões que tem entre pago e empenhado, o prefeito falta dizer onde ele colocou os outros 47 milhões. Que crise é essa com milhões no cofre?

Ainda assim o prefeito sedento por engordar ainda mais o caixa da prefeitura, resolveu lançar nesta quarta (18), o Programa Mais Impostos fechando o cerco e mandando arrochar os comerciantes que amanheceram com os fiscais batendo na porta.

O prefeito determinou que fiscais tributários visitassem todos os pontos comerciais da cidade para mapeamento e devida cobrança de todos os impostos pertinentes. A cidade sem emprego, o prefeito demitindo e cortando salário de servidores e ainda se acha no direito de cobrar imposto de quem está tendo mal para sobreviver?

Estamos diante sem dúvida alguma, do pior prefeito da história política de Coelho Neto.