Flávio Dino silencia sobre chacina envolvendo jovens em São Luís

Gestor, ao contrário do que faz de costume quando convém ao próprio, não fez uso das redes sociais para, ao menos, prestar condolências às famílias.

O governador do Maranhão licenciado, Flávio Dino (PCdoB), ainda não se manifestou publicamente acerca da chacina em que três jovens foram brutalmente assassinados na comunidade Mato Grosso, zona rural de São Luís. A cúpula da SSP confirmou que pelo menos um policial militar, identificado por Hamilton Linhares, teria participado do crime.

Nas redes sociais, nas ultimas horas, Dino divulgou apenas pautas consideradas positivas para a sua imagem e relacionadas aos setores de saúde e infraestrutura. Se em relação ao crime bárbaro, o titular do Executivo do estado não se pronuncia, no dia 30 do mês passado, o governador usou sua conta no Twitter para reproduzir reportagem que apontava queda no número de homicídios no Maranhão nos últimos quatro anos.

Flávio Dino também não se manifestou acerca do saldo de homicídios na Região Metropolitana somente nos seis primeiros dias deste ano. De acordo com o relatório diário da SSP em seu site oficial, no período, oito pessoas foram assassinadas na Grande Ilha. Destas vítimas, duas eram menores de idade.

Do Blog do Marco d´Eça

Preso PM acusado de participação na chacina de adolescentes em São Luís

A Polícia Militar acaba de prender o soldado da Polícia Militar, Hamilton Caires Linhares, lotado na Companhia de Operações Especiais (COE), apontado como um dos envolvidos na chacina de três adolescentes na zona rural de São Luís.

Hamilton foi preso ao se apresentar para trabalhar na COE, na manhã desta segunda-feira, 7. E, segundo apurou O INFORMANTE, ele já estava acompanhado de advogado.

O militar será ouvido nas próximas horas a respeito da chacina

Os adolescentes Gustavo Feitosa Monroe, de 18 anos; Joanderson da Silva Muniz, 17; e Gildean Castro Silva, 14, foram encontrados mortos na sexta-feira (4), por moradores, dentro de um matagal, próximo a uma área na qual estão sendo construídas residências do “Minha Casa, Minha Vida”, na comunidade do Mato Grosso – região do bairro Santa Bárbara, na zona rural de São Luís.

Eles estavam desaparecidos desde a manhã de quinta-feira (3), e foram vistos pela última vez no horário da tarde por vigias que trabalham na obra. O delegado afirmou que os jovens foram executados a tiros.

As primeiras informações davam conta de que os jovens teriam ido catar caranguejo no mangue, localizado nas proximidades da obra em construção. Vigilantes de uma empresa privada responsável pela segurança do local foram chamados para prestar depoimento, pois familiares das vítimas e populares disseram que o crime teria sido cometido pelos vigias.

De O Informante