Antônio Pires reforça prestígio no PCdoB ao confirmar apoio ao “trio camarada”

 

O vice-prefeito Antônio Pires (PCdoB), mostrou força durante evento político realizado ontem (28), no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – STTR de Coelho Neto.

O evento serviu também para que o comunista colocasse uma pá de cal ns blefes ordinários do prefeito Américo de Sousa (PT), que junto com a imprensa alugada do governo, tenta a todo custo minimizar a força do comunista dentro do próprio partido, simplesmente porque mantém o presidente do PCdoB municipal, Francisco Duduzinho, encabrestado pelo beiço.

Para confirmar sua força, Antônio Pires e a esposa vereadora Liza Pires aproveitaram a reunião política para anunciar o apoio ao trio camarada: Adelmo Soares (pré-candidato a deputado estadual), Márcio Jerry (pré-candidato a deputado federal) e o governador Flávio Dino que disputará a reeleição.

“Recebo com muita alegria essa declaração de apoio do vice-prefeito Antônio Pires, da vereadora Liza e de todo esse grupo. Tanto eu, como o nosso pré-candidato a federal Márcio Jerry e o nosso governador Flávio Dino estamos agradecidos por essa demonstração de fidelidade ao partido e de confiança em nosso projeto”, disse Adelmo, aos presentes.

Pires chegou ao PCdoB com as bênçãos de Jerry e com o passar do tempo conquistou respaldo com o diretório estadual da legenda. O evento realizado para um auditório lotado contou com a presença do prefeito de Duque Bacelar Jorge Oliveira (PCdoB), a vereadora de Caxias Aureamélia Soares, do ex-prefeito Raimundo Guanabara, do vice-prefeito de Duque Bacelar Carreta Silveira, do vice-prefeito de Buriti Antônio Fora, o representante da Fetaema Jonilso, do ex-vereador Pino, do presidente do STTR Nhozinho Araújo, do empresário Neemias Viana e do suplente de deputado federal Claudio Furtado.

“Estamos apoiando estes dois pré-candidatos por entender que após eleitos terão como ajudar nosso município, como ajudaram no decorrer desse primeiro mandato do governador Flávio Dino, onde sempre estiveram atentos aos interesses da cidade”, disse Pires.

A ausência do presidente municipal Francisco Duduzinho sequer foi sentida, afinal ele é tão alérgico a votos quanto o próprio prefeito. Pois bem, os ataques da imprensa alugada do prefeito ao evento de Pires só confirmam o tamanho do incômodo com a performance bem sucedida do comunista.

Da parte do governo até houve torcida para que ninguém fosse.

Mas a certeza de que não foi preciso coagir contratados, não prometer empregos e nem usar da estrutura da máquina para garantir público é a prova de que o evento foi um sucesso!

Fotos: João Osório

Antonio Pires e Liza realizarão evento amanhã (28), para recepcionar Jerry e Adelmo em Coelho Neto

O vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires e a vereadora Liza Pires, ambos do PCdoB, liderarão amanhã (28), o primeiro evento político com linha independente, após o rompimento com o governo municipal.

A atividade política recepcionará os pré-candidatos Márcio Jerry (federal) e Adelmo Soares (estadual), dobradinha que deverá receber o apoio do casal comunista local.

O evento ocorre a partir das 07h: 30, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Antônio Pires desmente factóide do governo e diz que não dividirá palanque com Américo

Pires recebeu comissão ligada ao governador

O vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires (PCdoB), emitiu nota através de sua rede social desmentindo factóide de blog apócrifo ligado ao governo dando conta de que ele estaria no palanque durante a recepção do governador Flávio Dino (PCdoB).

Pires reafirmou sua condição de aliado do governo do Estado, mas descartou qualquer chance de dividir o mesmo palanque com Américo de Sousa (PT), a quem fez duras críticas.

Confira a integra da nota:

Ao chegar da zona rural, fui surpreendido com uma matéria tendenciosa de um blog ligado ao governo municipal, onde insinuam que eu procurei o atual prefeito para selarmos acordo e que o vivia pressionando e por isso rompi.

Todos que não aceitam o desmando e a irresponsabilidade desse ditador, eles vem com essa história que todos querem dinheiro, cargos e blá-blá-blá, dando uma de bom moço e super honestos, o que na realidade estamos diante de um dos governos mais corrupto de Coelho Neto.

Se eu vivia pressionando, porquê não aceitei as duas secretarias que me ofereceram pouco antes de eu romper? Rompi, por não aprovar o descaso e a falta de respeito com o povo coelho-netense, rompi por não aceitar a perda do ano letivo dos alunos, rompi, por não aceitar a inércia e perseguição desse Governo. E para aqueles que acreditam que eu possa voltar atrás, é, perca de tempo, pois jamais me acovardaria diante de um governo tirano.

Em nenhum momento fui a procura dele nem em prefeitura e nem em lugar nenhum e jamais irei. Em relação ao PCdoB, continuo filiado, defendendo e apoiando o nosso governador Flávio Dino incondicionalmente, farei o que puder para ajudá-lo, por tudo que ele representa ao nosso estado e não serei em nenhum momento entrave na sua reeleição. Tive duas reuniões com sua equipe, ontem e hoje, fui taxativo em minhas colocações, que não me farei presente e jamais subirei em palanque que o atual prefeito esteja, mesmo sabendo que o palanque é do Governador do meu partido, mas não fugirei as minhas convicções políticas, já tinha uma outra agenda e irei atende-lá fora do nosso município!

É lamentável que mesmo após o termino das eleições e com o silênciamento dos microfones da rádio, o gestor municipal se utilize de blogs locais para propagar mentiras, unicamente para tentar desqualificar seus adversários. Avante Governador, estamos juntos!

É mentira! Filho de Antônio Pires não presta mais serviços a Prefeitura de Coelho Neto

Dr Daniel Oliveira entre os pais Pires e Liza: nenhum vinculo com o governo

Tentando confundir a opinião pública, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), tem insistido em colocar seus asseclas para plantar factóides sem qualquer razão de ser. Na verdade ele não engole o rompimento político porque achava que o vice não teria coragem pra isso.

O último factóide inventado na manhã desta sexta (11) é a de que o filho do vice continuaria prestando seus serviços a Prefeitura. Tudo mentira! É bem verdade que mandaram chamar o engenheiro Daniel Oliveira para continuar prestando seus serviços pois a prefeitura estava sem esse profissional. A tática na verdade era manter o discurso de que o vice havia rompido mas continuava se beneficiando do governo. Quem iria cair numa esparrela dessas?

Alguém acredita que perseguidor como Américo é isso seria possívei? A matéria rídicula ainda diz que o engenheiro trabalhava por imposição de Pires. Desde quando alguém impõe alguma coisa ao prefeito se ele mesmo faz questão de dizer que as coisas são do jeito dele? Quer dizer que o vice mandava tanto assim ao ponto de impor a prsença do filho? Conte outra prefeito.

As quatro pessoas que o governo haviam demitido no Serviço Autônomo de Água – SAAE por ser próximas a Pires foram chamadas de volta com a desculpa de que agora estavam sendo contratadas pelo próprio prefeito. Porque o blogueiro do prefeito não postou uma foto do engenheiro na secretaria dando expediente?

Para reforçar e provar que tudo não passa de mentira, Dr Daniel Oliveira segue em Teresina-PI onde deve fazer um mestrado.

Quem usou uma foto antiga com Jademil para tentar criar um fato político, faz coisa muito pior…

Rompimento do vice-prefeito de Coelho Neto repercute…

Charges sobre o episódio passaram a circular em grupos de whatsapp

O assunto não foi outro. A notícia oficial do rompimento do vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires e sua esposa Liza Pires dada por esse blog, dominou as principais rodas de conversa e deu a tônica em grupos de whatsapp. O comunicado mexeu com a classe política e deixou a oposição em polvorosa e ver o governo perder dois aliados de peso do quilate do casal Pires.

O ex-prefeito de Coelho Neto Soliney Silva (MDB), se manifestou através da redes social enaltecendo e parabenizando a coragem do casal. Elogiou o período em que Pires foi aliado e lembrou que quando este decidiu romper com ele, o fez decentemente e deixou o governo pela porta da frente.

O vereador Rafael Cruz (MDB) também se manifestou favorável a coragem da decisão do casal diante da apatia do governo municipal. “Gostaria de parabenizar pela coragem do vice-prefeito, com a paciência peculiar de um político experiente, ainda resistiu 1 ano e 5 meses em um governo apático e sem compromisso com nosso povo, na esperança de melhoras, mais como o povo já perdeu as esperanças nesse governo, e desacredita, hoje, Antonio Pires e vereadora Liza Pires sua esposa, como filhos legítimos da nossa terra assim como eu, não suportaram mais em ver o sofrimento do povo, nossa gente hoje aplaude seus posicionamentos, mostrem para todos que não é um rompimento eleitoreiro, mais sim uma legítima atitude de um político que quer fazer diferente, não sei se seremos da mesma ala oposicionista, mais só em se posicionarem e a partir de agora combaterem esse governo desastroso assim como eu, já lhes agradeço em novo do povo Coelhonetense”, disse ele.

O ex-vereador Antônio Lustosa, um dos mais massacrados pelo atual prefeito e que também rompeu recentemente,  aproveitou o momento para tornar público seu pensamento sobre o ocorrido. “Primeiramente felicidades a todos de minha querida cidade eu nao sou muito postar nada e nem de comentar nada em redes sociais mais faço exceção para falar sobre isso, amigo ex companheiro parlamentar e atual vice prefeito sou conhecedor de suas lutas. quero aqui parabenizar pela a atitude de rompimento com o atrazo e descaso e agora volta para o meio de nosso povo”, destacou.

O ex-candidato a vereador Raimundo Silva, também manifestou apoio ao casal. “Nobre Antonio Pires, tendo em vista a sua experiência política e sua capacidade de entendimento, quero aqui dizer que , sua atitude é muito sensata, Pois o povo que vc sempre defendeu está sofrendo nas mãos dessa má gestão. Seja bem vindo de volta ao lado do povo”, pontuou.

O empresário Bruno Silva, também engrossou o coro dos contentes com a decisão anunciada. “Quero parabenizar o vice-prefeito de Coelho Neto, Antonio Pires e a sua esposa vereadora Liza Pires, pela decisão de romper politicamente com a atual administração da nossa cidade. Conheço o Sr. Antônio Pires e sei da sua luta em defesa do povo de Coelho Neto, jamais compactuaria com um governo opressor, agressivo e desastrado. Estamos em lados opostos no campo político, mas juntos pelo bem do povo da nossa terra. A partir de hoje essa administração encontrará resistência e uma oposição que não recuará um milímetro diante de tanta incompetência”, escreveu ele em sua rede social.

Acossado pelas baixas sequentes n governo, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) se esconde. Sem ter a coragem de se posicionar publicamente, se limitou a designar seus assesclas para fazer uma nota tão mal elaborada, digna de um governo perdido e sem rumo. O governo do PT agoniza e os poucos aliados que restam se esforçam para se submeter as vontades do chefe e tentar mostrar tranquilidade, mesmo sabendo que o barco segue a deriva. Quem será o próximo?

Bomba! Vice-prefeito e vereadora anunciam rompimento com o prefeito de Coelho Neto

Antônio Pires e Américo: paciência chegou ao limite

Às 08h: 43

Em entrevista concedida a esse blog, o vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires anunciou oficialmente o rompimento com o grupo do prefeito Américo de Sousa (PT).

Filiado ao PCdoB, Antônio Pires de Oliveira é sindicalista, ex-vereador e ex-presidente da Câmara. Abdicou da disputa para o cargo de prefeito em 2016 para compor na chapa com o PT que há quase duas décadas lutava para chegar a Prefeitura de Coelho Neto.

Na entrevista concedida na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – STTR, o comunista estava acompanhado da esposa, a vereadora Liza Pires.

1) O que levou o senhor a romper com o governo do prefeito Américo de Sousa?

Rompemos com o governo por não acreditarmos mais no governo. Há quase um ano e cinco meses a nossa população espera por aquela cidade perfeita que era cobrada pelo prefeito Américo quando ele apresentava um programa de rádio. Rompi com o grupo político que tinha, para correr atrás do sonho de ser prefeito e abdiquei desse sonho para compor com o Américo por achar que ele representava o sentimento de mudança que o povo tanto almejava. Passado esse tempo vejo que na prática a coisa tem sido bem diferente daquilo que ele pregava.

  1. Muitos problemas no governo?

Muitos. Começou tão logo quando assumiu e esqueceu de colocar em prática os compromissos defendidos durante a campanha: a recriação da secretaria de Cultura e a criação da secretaria de Juventude que foram prometidas e estão no plano de governo encaminhado a Justiça Eleitoral foram simplesmente esquecidas, só para exemplificar. No ano passado o governo não inaugurou uma obra sequer e não há um projeto com a marca desse governo. A gestão é centralizadora e não funciona.

  1. Mas o senhor não participava do governo?

Nunca. Participei de alguns eventos como convidado, mas nunca fui convocado para colaborar com nada, ao contrário, fui vítima de toda ordem de perseguição. Deixaram de beneficiar várias famílias com uma estrada vicinal porque diziam que lá tinha propriedade do Antônio Pires, tentaram aliciar associados para tentar me prejudicar na eleição do sindicato e a vereadora Liza sempre foi tratada como adversária. Aguentamos tudo calados para não sermos apontados como empecilho para o governo.

  1. Por incrível que pareça a perseguição tem sido a tônica desse governo e nós como veículo de imprensa temos sentido isso na pele. Isso não é prejudicial ao próprio governo?

Claro que sim. É prejudicial do governo e a democracia. Quem imaginaria que o governo de um sindicalista do PT fosse perseguir adversários e veículos da imprensa? Vivemos em outros tempos. Por último acompanhei denúncia de assédio moral com servidores, demissões de contratados sem o devido pagamento, enfim práticas que deveriam ter ficado no passado. Como já disse, deixaram de beneficiar várias famílias com arados de terra por serem próximos a mim e a minha região que é a mais populosa da zona rrual, isso sem falar nas estradas vicinais e iluminação pública. Ele tentou financiar uma chapa com a própria diretoria do sindicato para me deixar de fora, retirou os pouquissimos contratos da vereadora e meus pedidos não eram aceitos pelos secretários. É normal esse tratamento com um companheiro de chapa?

  1. E essa posição é sua ou do partido?

Essa é uma decisão pessoal minha, da vereadora Liza e devidamente comunicada ao nosso grupo político. Não faz sentido manter esse faz de conta de que integramos um governo sem de fato fazer parte dele. A nossa importância foi só até o prefeito garantir a eleição, após a posse nos foi reservado o papel de meros expectadores.

  1. E o governador Flávio Dino onde fica nessa história?

O governador Flávio Dino é quem de fato sem sido o prefeito de Coelho Neto. Ai de nós se não fosse as obras e as ações do Governo do Estado. Mesmo o prefeito tendo dito certa vez que as ajudas do governador eram tímidas, na prática se tirarmos elas, constatamos quem o governo municipal praticamente não fez nada, fato que se confirma com a rejeição do próprio prefeito.

  1. E a agricultura que é uma de suas bandeiras, não tinha como ter avançado?

Logicamente. Não há projetos com a cara desse governo em execução, as áreas de terras aradadas não chegaram a 70 hectares, na agricultura familiar foram contempladas 20 famílias que vendiam produtos comprados de Teresina-PI e as ações de campo agrícola foram simplesmente esquecidas. A inúmera frota que o governo dispõe hoje está praticamente parada, quando deveria está a serviço do homem do campo.

  1. Um dos grandes defeitos do atual governo é a falta de articulação política. A que o senhor atribui isso?

Ao próprio prefeito. Ele se fecha em copas, não conversa com a classe política, não responde as reivindicações dos vereadores e assim a tal articulação política é inexistente. Para se ter uma idéia, o governo perdeu o ex-vereador Lustosa, que foi um dos primeiros a apoiar o Américo nas votações de matérias importantes para o novo governo na época. O governo acaba de perder o Jademil, que tinha tudo para está revolucionando o SAAE, mas que saiu por falta de condições de trabalho. Infelizmente, essa é a realidade.

  1. E para finalizar: o Antônio Pires e a vereadora Liza Pires hoje, são oposição?

Sim, somos oposição porque não foi esse modelo de governo que defendemos em palanque e ajudamos a construir. Nos comprometemos a fazer um governo participativo, em que a população teria voz e que as ações chegariam de fato a quem precisa. Não há como compactuar com um governo de poucos, de perseguição, feito de autoritarismo e que ignora os cidadãos. Os empregos sumiram, a população está à mercê da própria sorte e não vemos uma luz no fim do túnel. Estamos tranquilos por estarmos fazendo a coisa certa e conscientes de que a população entenderá nosso posicionamento. A nossa missão de defender os interesses da população permanece de pé. Vamos continuar fazendo política independentes, tendo por base nosso grupo e trilhando os caminhos que o povo achar que devemos trilhar, pois somos servidores do povo.

“Não tenho qualquer ingerência na atual administração”, diz Antônio Pires sobre governo de Américo…

Vice-prefeito Antônio Pires

O vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires deu um verdadeiro chega pra lá no blogueiro Ezequias Martins por tentar atribuir a ele o desgaste dos últimos governos, incluindo o atual, comandado pelo prefeito Américo de Sousa (PT).

“Sou vice-prefeito e continuo não tendo qualquer ingerência na atual administração e nem respondo por ela, ao contrário, ajudo como posso e apenas quando sou consultado, disse o comunista, confirmando que não participa das decisões do governo petista como já é do conhecimento de todos.

A seguir a íntegra da nota:

Prezado Blogueiro, Não é de hoje que esse blog usa da liberdade de imprensa para publicar postagens que atacam e vilipendiam a minha honra, por motivos subalternos e que desconheço. Fazendo bom uso do Direito de Resposta que me assiste a Lei, em respeito a verdade do fatos, aos leitores desse blog e diante da postagem Antônio Pires: o exterminador de gestões publicada na última sexta (10), venho expor o que abaixo segue:
1. Não tem base alguma além de ser uma mentira deslavada tentar nos culpabilizar pela rejeição do governo do ex-prefeito Magno Bacelar. Como posso ser culpado pelos erros de um governo se não tinha cargo na gestão e nem usufruía de qualquer interferência na administração? Se cometi algum erro na gestão do ex-prefeito foi o de integrar sua base política e lhe dar sustentação na Câmara, mesmo diante dos inúmeros erros do governo apontados pela população e comprovados pelas urnas em 2008;
2. A ex-prefeita Márcia Bacelar assinou filiação ao PSB e como filiada tinha legitimidade de disputar o cargo de prefeita. Não cabia a mim como presidente municipal, interferir ou tentar tolhê-la de um direito que lhe era assegurado pela legenda que tinha interesse como qualquer partido em ampliar sua representação no processo eleitoral;
3. Estive na base de apoio do governo do ex-prefeito Soliney Silva e sai de cabeça erguida e pela porta da frente. Todos sabiam que eu era pré-candidato a prefeito e no momento que não concordei com a forma como se deu a escolha do candidato, optei por sair e comuniquei isso oficialmente ao ex-prefeito. Tanto que até hoje não temos qualquer problema e sempre que pode, destaca nas redes sociais o respeito comigo e minhas contribuições ao seu governo;
4. Desconheço o que o blogueiro quer dizer como “aproveitou como pôde da gestão ajudou a estragar o desgoverno do companheiro”. Sou vice-prefeito e continuo não tendo qualquer ingerência na atual administração e nem respondo por ela, ao contrário, ajudo como posso e apenas quando sou consultado;
5. Ao contrário de suas afirmações – essas sim maliciosas – a vereadora Liza Pires não é objeto de manobra nem meu e nem de ninguém, nunca foi e nunca será. É uma mulher que detém o mandato dela e responde por ele. Não interfiro no posicionamento político dela e muito menos em suas decisões, pois ela tem responsabilidade com o mandato que lhe foi outorgado pelo povo e sempre foi séria, destemida e corajosa para assumir seus posicionamentos;
Por fim, lamento que o Senhor se utilize desse meio de comunicação para faltar com a verdade e me atacar quase que diariamente de forma gratuita. Esse viés utilizado pelo Senhor para fazer suas matérias é um desserviço que presta aos seus leitores, mas que a partir de agora não ficará sem resposta, pois utilizaremos dos meios legais para contrapor as invencionices e matérias criadas sem fundamento algum.
Antônio Pires

Tô dizendo! Antônio Pires se reúne no Palácio com Adelmo e Márcio Jerry…

Antônio Pires e Liza Pires com Jerry e Adelmo

Acompanhado da esposa e vereadora Liza Pires (PCdoB), o vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires (PCdoB), foi recebido em audiência ontem (09), pelos secretários Adelmo Soares (Agricultura Familiar) e o todo-poderoso Márcio Jerry (Articulação Política).

Conforme relatamos ainda em agosto (relembre AQUI), o vice-prefeito estava cada vez mais próximo do Palácio. Habilidoso, de fino trato e raposa política, Pires tem aproveitado todas as oportunidades para se mostrar como fiel aliado do governador Flávio Dino e essa postura tem agradado.

Pires conta a seu favor a antipatia que o Palácio nutre ao prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), que dias atrás ignorou todas as parcerias que recebeu do Governo do Estado e classificou as ajudas como “tímidas”, fato que não deve ter sido visto com bons olhos pelos comunistas. As vaias ao prefeito durante um evento público constrangendo o deputado federal Zé Carlos (PT) acabou por confirmar seu alto índice de rejeição e sua gestão desastrosa a frente do município.

Pires faz o caminho inverso e embora não saibamos o teor da conversa, não há a menor dúvida que a situação da cidade e as Eleições de 2018 foram assuntos prioritários da pauta. Adelmo é candidato e Márcio Jerry também, ambos pelo PCdoB, mesmo partido de Pires, ou seja, a combinação perfeita numa velha união da fome com a vontade de comer.

Com o respaldo do Palácio, Pires e fortalece e tem tudo para deixar o prefeito isolado com sua rejeição. Sem grupo político e com a base na Câmara toda ouriçada, Américo demonstra que perdeu o controle da condução política do próprio governo.

E Pires assiste de camarote a derrocada de um governo que já nasceu fracassado por natureza. Pense!

Américo e Antônio Pires: racha está cada vez mais evidente…

Antônio Pires e Américo: racha cada vez mais evidente

O clima de racha entre o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) e seu vice Antônio Pires (PSB) é cada vez mais evidente e aguarda apenas alguns pormenores para ser sacramentado.

A grande verdade é que os dois nunca se suportaram. Américo só aceitou Pires como companheiro de chapa por uma determinação do PCdoB e por saber que sem ele perderia a eleição fácil, já que não tinha nome de vice com musculatura política que agregasse votos. Da parte de Pires até que a “boa convivência” teria demorado mais, mas como Américo é um ser intragável, o vice conseguiu aguentar até além do limite.

O espaço de poder do vice-prefeito no governo é praticamente inexistente. A secretaria de Agricultura já não pode mais ser contabilizada como sua cota pois o poder subiu à cabeça do secretário Albertino Veríssimo (o mesmo que andou ameaçando gente) ao ponto dele já se achar auto-suficiente e tentar peitar quem lhe estendeu a mão. Esqueceu que jabuti trepado ou é enchente ou mão de gente e no seu caso específico não teria chegado a lugar algum sem uma mão generosa para lhe colocar onde está hoje.

A secretaria de Juventude que também ficaria na cota vice-prefeito sequer foi criada. O espaço de poder do comunista hoje estaria reduzido a alguns poucos penduricalhos desproporcional ao seu tamanho, a importância do seu partido e ao papel que desempenhou durante a campanha eleitoral.

A vereadora Liza Pires (PCdoB), também não anda satisfeita com o governo e segundo fontes do blog foi a primeira a dizer que votaria contra o polêmico projeto que reduzia salário dos servidores. Não só disse como realmente votou contra o governo. Os filhos do vice-prefeito também tem se posicionado nas redes sociais em tom muito independente: primeiro foi Gabriel Oliveira e ontem (09) foi a vez de Janielle Oliveira fazer questão de deixar seu recado em algumas linhas que por si só são bastante explicativas. Pires deixou de ser visto nos eventos oficiais já há algum tempo e no aniversário da cidade também não apareceu.

Se romper com Américo, o vice-prefeito não perderá nada, ao contrário, ganhará muito mais respaldo junto à população por esse ato de coragem, além assumir naturalmente a condição de expoente importante na política local, cuja envergadura e tamanho dependerá apenas dele.

Como o Palácio dos Leões também não suporta Américo, caberia a Antônio Pires ocupar essa lacuna, pois Flávio Dino em sã consciência jamais dividiria o mesmo palanque com o petista com o risco de levar vaias e perder votos, pois é esse o destino de quem ousar se encostar na “cerca velha”.

A demissão de pessoas ligadas ao vice-prefeito feita por Américo esta semana pode ser a pá de cal que faltava para que o racha se cconfirme. Sabendo que não tem mais como segurar essa corda que já esticou o máximo que deveria, Antônio Pires que de besta não tem nada, já começou a se movimentar.

Mas essa é uma outra história…