Abre o olho Leitoa! Prefeito de Coelho Neto faz graça para Luiz Henrique

 

 

Não é de hoje os comentários de que o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), não vê com bons olhos o apoio a reeleição do deputado estadual Rafael Leitoa (PDT).

Apesar da presença quase constante no município, Leitoa não tem simpatia de boa parte do grupo do prefeito, que o consideram fraco e apático.

Acontece que desde muito tempo, Américo mantém uma relação de amizade estreita com o também petista Luiz Henrique, assessor do deputado federal Zé Carlos. Henrique decidiu brigar por uma vaga na Assembleia e pelo visto terá o apoio do amigo de longas datas.

Luiz Henrique e Américo: relação política e de amizade pessoal

No próximo sábado (07), Luiz Henrique fará o lançamento oficial de sua pré-candidatura na cidade de Nina Rodrigues e terá o prefeito de Coelho Neto como participação especial.

Fontes do blog já haviamos dito que um vereador da base já teria pedido ao prefeito durante reunião em tom bem animado, que anunciasse logo o apoio a Henrique.

A presença do petista no lançamento da pré-campanha do amigo, põe em risco ao favoritismo que Rafael Leitoa acha que terá em Coelho Neto.

E ameaça sobremaneira a “intera” dos votos que Leitoa espera ter na cidade para não voltar a suplência…

Após afronta de assessores do prefeito, campanha que pede respeito aos professores ganha as redes sociais…

O simples fato de discordar da proposta de aumento da carga horária dos professores imposta pelo governo municipal, fez com que pelo menos dois dos assessores do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), perdesse a compostura e apelassem para a baixaria.

O ataque começou ao professor Gilson Rocha de Morais, a quem um dos assessores mandou que ele trabalhasse e dois deles se referissem a ele como preguiçoso. Só alguém muitos desrespeitoso para se referir ao trabalho do professor Gilson dessa forma, que diga-se de passagem de tão eficiente, chegou a ser tema de matéria do Fantástico.

Em se tratando de uma entidade corporativista, a mexida com um fez com que outros professores tomassem as dores e repudiassem a atitude. Morais foi um fundadores do Sindicato dos Servidores e militante histórico do PT. Após cortar os vínculos com o hoje prefeito, passou a ser visto como figura non grata e talvez por isso, alvo mais fácil dos ataques. O próprio prefeito por exemplo, enche a boca para dizer para se enaltecer como representante da classe, mas já tem um certo tempo que deixou de frequentar a sala de aula.

Tudo indica que o mau comportamento dos assessores tem o aval do governo, tanto que depois do episódio não houve qualquer manifestação nem do prefeito e nem da secretária de educação Williane Caldas repreendendo o ato. Desde ontem (30), passou a circular nas redes sociais uma campanha que pede respeito aos professores.

Independente do lado que militam, professor é professor e deve ser respeitado como tal. Achando pouco o desgaste que já tem, o prefeito perdido pela própria falta de articulação política segue colhendo o fruto da inabilidade dos aliados e se tornando cada vez mais antipatizado em meio a classe que o ajudou a eleger por duas vezes.

Seria cômico se não fosse trágico…

O dia em que o prefeito de Coelho Neto chorou…

Print do vídeo do discurso do prefeito: choro e emoção em público

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), teve um momento de emoção durante o discurso que proferiu ontem (29), durante a inauguração do Procon/Viva.

A cena ocorreu durante uma homenagem póstuma que ele mesmo decidiu fazer ao servidor Francisco Pereira Lima, que havia falecido horas antes do evento.

“Nosso apoiador filiado ao PT que contribuiu muito com a minha luta. O Chico faleceu hoje, o Chico era um sonhador”, disse as lágrima sob aplausos da plateia. Américo chorou novamente até retomar o discurso.

“Não há como não se emocionar pessoal quando um cidadão trabalhador rural, assim como muito trabalhadores rurais construíram uma luta em Coelho Neto… O Chico era um dos muitos que sonharam essa realidade hoje que é o Procon”, disse ele. Ele pediu um minuto de silêncio em homenagem ao aliado.

O fato poderia ser algo corriqueiro se o prefeito tivesse esse hábito, mas não o tem.

É a primeira vez que Américo se emociona em um evento público. E confirma a deferência que o mandatário tinha pelo amigo falecido.

O SAAE na gestão de Soliney e o SAAE na gestão de Américo…

Jademil e Américo: água e óleo

 

 

Quem puxar um pouco na memória vai lembrar que quando o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) apresentava um programa de rádio, mentindo para chegar ao poder, vai lembrar que uma das maiores críticas era voltada a questão da água.

Atrás do microfone o petista dizia que no Bairro Bonsucesso por exemplo, tinha uma pedra de sal no poço que servia água para a população. Passado um ano do mandato, alguém sabe dizer se o prefeito retirou a pedra de sal do poço?

Pois bem, no governo do ex-prefeito Soliney Silva (MDB), o atual diretor Jademil Gedeon tinha autonomia e o setor funcionava. Foram 10 poços perfurados na sede e 10 poços perfurados na zona rural, transporte exclusivo, duas motos, combustível e autonomia ao diretor de manutenção de redes e bombas.

No governo do prefeito Américo o SAAE virou um órgão amarrado. O diretor perdeu a autonomia diante do modelo centralizador do governo, a Prefeitura não perfurou um poço sequer, não tem transporte para manutenção, uma moto parada sem combustível e o diretor de manutenção sem moral pra comprar uma torneira.

Pela lógica, a entrada de uma pessoa do nível de Jademil Gedeon num desgoverno como esse do PT não poderia funcionar, afinal não ganhou a boa fama de administrador da noite para o dia. Américo nunca tinha administrado nada a não ser uma caixa de picolé, que nem foi para frente.

Pense numa união que nunca dará certo.

É como a água e o óleo: não se une gente competente com gente incompetente.

É simples assim!

Olha ai Américo: Flávio Dino contempla Paço do Lumiar com um hospital-maternidade

Domingos Dutra tem o deputado Neto Evangelista como seu representante. Enquanto os benefícios vão para os outros municípios, Coelho Neto permanece na janela vendo o bonde passar…

A falta de articulação política do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) tem sido determinante para que Coelho Neto fique sem ter as grandes obras que estão sendo executados Maranhão afora.

Com o deputado estadual Rafael Leitoa (PDT), o prefeito de Coelho Neto fica apenas chupando o dedo, já que os milhões vão apenas para Timon. Com o deputado federal Zé Carlos (PT), esse é um pra nada, é fraco em Brasília e se mantém bem distante do município.

A promessa de um hospital do município caiu no esquecimento e as mentiras do prefeito também. Américo chegou a dizer que se o governador Flávio Dino não desse o dinheiro para o hospital ele faria com o dinheiro da prefeitura. Por que nunca fez?

No último sábado (17), o governador Flávio Dino esteve em Paço do Lumiar para autorizar a ordem de serviço do Hospital-Maternidade do município no valor de quase R$ 5 milhões de reais, fora a ordem de serviço R$ 1,4 milhão para a pavimentação de 7 quilômetros de ruas.

Coelho Neto está tão tão ruim de representantes, que o próprio ex-prefeito Dr Magno Bacelar – que é aliado do prefeito – externou recentemente sua frustração com os representantes do prefeito. É construção de hospital aqui, manutenção de UPA ali enquanto a saúde de Coelho Neto patina numa proposta de mudança que até agora nunca chegou.

Enquanto isso, tem gente morrendo no Hospital Maternidade simplesmente porque não conseguiu uma porta de entrada no Hospital de Caxias.

Pense num descaso…

Abandonado pela base aliada, prefeito de Coelho Neto apela para a oposição…

Prefeito Américo cobra comportamento da oposição que ele nunca teve: sem noção

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), reuniu parte do seu staff para “festejar” a reforma das escolas José Barreto e Leozinho Sabido, quase um anos após o início dos trabalhos.

A festa teve o gosto amargo do desastroso início do calendário letivo, onde pais e alunos se depararam com uma “acolhida” nada acolhedora vendida pela secretária de Educação Williane Caldas e sua equipe.

Abandonado pela base aliada na Câmara durante o evento, o prefeito apelou geral e cobrou a ausência de vereadores da oposição em seu palanque. É ou não é uma pessoa senil? Américo foi vereador durante 04 (quatro) anos no campo da oposição e nunca participou de uma inauguração sequer, vive falando mal da oposição com a imprensa paga para esse fim e numa hora dessas quer ser prestigiado? É muita cara de pau!

Dos 10 vereadores da base aliada, pelo menos 08 faltaram aos comes e bebes. Na sessão da última segunda (12), os vereadores deram um recado duro ao petista e detonaram a bagunça da Semed, a falta de merenda escolar, a preocupação com o combustível e a idéia de ampliar o tempo de aulas para reduzir os contratos.

Ora pois, se Américo não deu conta de levar seus vereadores para lhe prestigiar, vai querer contar justamente com a ajuda da oposição que ele tanto faz pouco caso?

Parece que não estão dando o remédio de Sua Excelência…

Proposta de Américo e Williane atingirá em cheio professores com esperança de contrato…

Prefeito Américo e secretária de Educação Williane: sanha para perseguir contratados

 

 

Se não bastasse o calote que deram nos contratados no ano passado, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) e a secretária de Educação Williane Caldas preparam um novo golpe para quem tinha a esperança de um contrato.

A idéia projetada pelo governo municipal é para aumentar a aula para 60 minutos. Antes eram 05 aulas de português e matemática cada, além de 01 aula de ciências e com a mudança passa-se a 4 aulas de português e matemática cada. Com isto permanece 13 aulas só que de 60 minutos.

No modelo em vigor os professores de matemática por exemplo, trabalham 02 diários com 10 aulas e complemento era com Ciências com mais 03 horas. Com as mudanças serão 03 diários totalizando 12 aulas e mais 01 diário com Arte ou Ensino Religioso para completar as 13. A regra valerá também para os professores de Língua Portuguesa.

Há cada nova combinação desta, o governo deixará de fora um contratado. Segundo informações a que o blog teve acesso serão uma média de 170 contratos que serão eliminados se as mudanças forem realmente aplicadas.

A notícia não foi bem recebida pelos professores que já reagiram. Acionaram o SINTASP para que fizesse uma Assembleia para discutir o assunto e nos bastidores a conversa é de que o se o sindicato não reagir, haverá uma força-tarefa de desfiliação em massa da entidade.

Quanto eram oposição, tanto Américo quanto Williane eram “defensores” ferrenhos dos direitos de professores. Do outro lado da cadeira, são dois perseguidores que tem feito estrago quando o assunto é servidor contratado.

Felizmente não descerão a medida goela abaixo. E poderão sofrer desgaste ainda maior em ano eleitoral, caso insistam com a história.

Quem tinha a esperança de um contrato, pode acabar sobrando na história…

E a Escola Justino Bastos, prefeito Américo?

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), renovou recentemente os contratos de aluguel de alguns prédios para abrigar as escolas da rede municipal de ensino. Que explicação se dá pra isso quando a prefeitura tem uma escola pronta e com toda estrutura física para receber alunos nos três turnos?

A Escola Justino Bastos localizada na Avenida Coelho Neto, foi pauta de vários abaixo-assinados e inúmeras reivindicações de alunos e ex-alunos que sempre sonhavam em ver aquela escola reformada.

A unidade foi reconstruída pelo governo anterior e só não foi entregue em decorrência de um muro e de uma calçada. Quer dizer que por não ter sido entregue pelo ex-prefeito, o atual governo vai deixar aquele prédio se acabando? Será que o dinheiro dos contratos renovados não dariam para concluir o acabamento e mobiliar para fazer a entrega de uma nova escola para a comunidade?

Essa sim seria uma grande demonstração de economia e zelo com recursos públicos por parte do prefeito, além de uma demonstração de respeito a todos que tiveram a oportunidade de estudar e trabalhar naquela escola, tendo a oportunidade de vê-la de novo na ativa.

Faça esse gesto de nobreza prefeito. A comunidade agradece!

Anúncio de “reparos” em escolas feito por Américo desmente cenário de crise inventado por ele…

Américo de Sousa: reformas das escolas  inventadas de última hora é aceno do prefeito para tentar melhorar a imagem de “tirador de empregos”

 

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), aproveitou a empolgação do pós-Carnaval para anunciar os “reparos” em todas as escolas municipais. A medida foi pensada para tentar criar uma imagem positiva para o governo pós a festa momesca.

Em evento com professores no ano passado, Américo condenou aquilo que ele chamou de “maquiagem” a reforma das escolas que eram feitas pelo governo anterior. Segundo ele, as reformas em seu governo seriam completas.

Pois bem, depois de conseguir reformar apenas duas escolas durante o ano (mesmo ainda sem as ter entregue) e aproveitando o ano eleitoral para tentar se limpar perante a opinião pública, o petista anuncia repentinamente os “reparos” (para não chamar de reforma) em todas as escolas. Ou seja, as unidades de ensino da rede municipal serão pintadas e receberão as mesmas melhorias que eram feitas no governo anterior tão criticadas pelo petista.

O anúncio da contratação de cerca de 200 trabalhadores para dar conta do serviço logo foi usado pelo governo para vender a imagem de “empregador de gente”. Se farão todos esses reparos a lógica é de que se tem dinheiro em caixa. Mas no ano passado não foi de crise e o prefeito não estava de pires na mão alegando perda de receitas?

Toda essa balbúrdia confirma a falta de planejamento do governo e abre questionamentos sobre a ausência de informações do processo licitatório de quanto esses “reparos” custarão aos cofres públicos.

Incompetente, Américo terminou o ano letivo em novembro para iniciar as ditas reformas e despudoramente determina esses serviços praticamente no meio do mês de fevereiro, ou seja, três meses depois. E como ficará o ano letivo?

Essa é uma outra história…

O esforço do prefeito de Coelho Neto…

Américo em meio ao povo e as maizenas: esforço para garantir melhora na popularidade 

Popularidade, simpatia e carisma nunca foram os pontos fortes do hoje prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), e isso nem o mais cego de seus aliados é capaz de negar. Pouco mais de um ano após assumir o comando da cidade, o petista vem se esforçando para se livrar do perfil carrancudo e antipático e encarnar uma figura com característica mais aparzível.

Para isso, tem sido obrigado a engolir os discursos, mudar as atitudes e fazer coisas que para ele até eram inimagináveis, sendo a primeira delas o redesenho do seu grupo político.

Após eleito, achava que daria conta de governar com meia dúzia dos lacaios que lhe serviam durante o tempo em que militava como sindicalista. No exercício do governo viu que grande parte dos companheiros não se prepararam para governar e está sendo obrigado a compor sua gestão com nomes criticados por ele e pelos seus aliados até então.

No Carnaval essa tentativa de mudança pôde ser vista de forma mais nítida. Américo não tem qualquer histórico de identidade com manifestações culturais. Nunca promoveu nenhum evento do gênero em nenhum tempo e aparecia em um dos blocos de carnaval de ano em ano, apenas para manter a evidência do seu nome para a próxima disputa eleitoral.

Desde o início da Festa de Momo na última sexta (09), Américo tem se esforçado para se parecer um folião desde criança. Se esforça para manter sorrisos, garantir acenos e esbanjar uma simpatia em fotos nunca antes vista, talvez motivado pela própria pressão do ano eleitoral.

Parece que as mudanças nos métodos pelo menos aparentemente começaram a surtir efeito e o clima pesado de sua impopularidade pelo menos no Carnaval foi deixado de lado, não se tendo notícia de qualquer represália contra o mandatário.

As mudanças nos quadros do governo repercutiram positivamente também na organização do Carnaval.

Mas essa é uma outra história…

Foto: Euclides Filho