Anúncio de “reparos” em escolas feito por Américo desmente cenário de crise inventado por ele…

Américo de Sousa: reformas das escolas  inventadas de última hora é aceno do prefeito para tentar melhorar a imagem de “tirador de empregos”

 

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), aproveitou a empolgação do pós-Carnaval para anunciar os “reparos” em todas as escolas municipais. A medida foi pensada para tentar criar uma imagem positiva para o governo pós a festa momesca.

Em evento com professores no ano passado, Américo condenou aquilo que ele chamou de “maquiagem” a reforma das escolas que eram feitas pelo governo anterior. Segundo ele, as reformas em seu governo seriam completas.

Pois bem, depois de conseguir reformar apenas duas escolas durante o ano (mesmo ainda sem as ter entregue) e aproveitando o ano eleitoral para tentar se limpar perante a opinião pública, o petista anuncia repentinamente os “reparos” (para não chamar de reforma) em todas as escolas. Ou seja, as unidades de ensino da rede municipal serão pintadas e receberão as mesmas melhorias que eram feitas no governo anterior tão criticadas pelo petista.

O anúncio da contratação de cerca de 200 trabalhadores para dar conta do serviço logo foi usado pelo governo para vender a imagem de “empregador de gente”. Se farão todos esses reparos a lógica é de que se tem dinheiro em caixa. Mas no ano passado não foi de crise e o prefeito não estava de pires na mão alegando perda de receitas?

Toda essa balbúrdia confirma a falta de planejamento do governo e abre questionamentos sobre a ausência de informações do processo licitatório de quanto esses “reparos” custarão aos cofres públicos.

Incompetente, Américo terminou o ano letivo em novembro para iniciar as ditas reformas e despudoramente determina esses serviços praticamente no meio do mês de fevereiro, ou seja, três meses depois. E como ficará o ano letivo?

Essa é uma outra história…

O esforço do prefeito de Coelho Neto…

Américo em meio ao povo e as maizenas: esforço para garantir melhora na popularidade 

Popularidade, simpatia e carisma nunca foram os pontos fortes do hoje prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), e isso nem o mais cego de seus aliados é capaz de negar. Pouco mais de um ano após assumir o comando da cidade, o petista vem se esforçando para se livrar do perfil carrancudo e antipático e encarnar uma figura com característica mais aparzível.

Para isso, tem sido obrigado a engolir os discursos, mudar as atitudes e fazer coisas que para ele até eram inimagináveis, sendo a primeira delas o redesenho do seu grupo político.

Após eleito, achava que daria conta de governar com meia dúzia dos lacaios que lhe serviam durante o tempo em que militava como sindicalista. No exercício do governo viu que grande parte dos companheiros não se prepararam para governar e está sendo obrigado a compor sua gestão com nomes criticados por ele e pelos seus aliados até então.

No Carnaval essa tentativa de mudança pôde ser vista de forma mais nítida. Américo não tem qualquer histórico de identidade com manifestações culturais. Nunca promoveu nenhum evento do gênero em nenhum tempo e aparecia em um dos blocos de carnaval de ano em ano, apenas para manter a evidência do seu nome para a próxima disputa eleitoral.

Desde o início da Festa de Momo na última sexta (09), Américo tem se esforçado para se parecer um folião desde criança. Se esforça para manter sorrisos, garantir acenos e esbanjar uma simpatia em fotos nunca antes vista, talvez motivado pela própria pressão do ano eleitoral.

Parece que as mudanças nos métodos pelo menos aparentemente começaram a surtir efeito e o clima pesado de sua impopularidade pelo menos no Carnaval foi deixado de lado, não se tendo notícia de qualquer represália contra o mandatário.

As mudanças nos quadros do governo repercutiram positivamente também na organização do Carnaval.

Mas essa é uma outra história…

Foto: Euclides Filho

Professores criticam discurso do prefeito de Coelho Neto durante Conferência de Educação

Platéia lotada esperou novidades que não vieram e esnobaram discurso intimidatório do petista. Foto: Portal da Prefeitura

Professores ouvidos pelo blog, criticaram o discurso do prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), proferido na durante a abertura da Conferência de Educação realizada na última terça (30), no Teatro Municipal.

Incomodado com as críticas que tem recebido, o petista mais uma vez deixou de lado a liturgia do cargo e partiu para um discurso intimidatório e cheio de indiretas. O mandatário deixou claro seu incômodo com os posicionamentos contrários das redes sociais e deixou nas entrelinhas que gostaria de ouvir elogios, mesmo quando não há motivos para tê-los.

Aquilo que Américo dizia que nos governos anteriores era obrigação, como o pagamento do salário dos sevidores por exemplo, hoje ele trás para sua realidade como se fizesse algo inédito. Hoje vende um reajuste salarial para profissionais do magistério de acordo com o piso nacional, mas esquece que maltratou servidores ao cortar o incentivo deslocamento de contratados que trabalharam na zona rural e deu calote no pagamento de horas extras de professores que trabalharam aos sábados no ano passado, por exemplo.

Nem parece a mesma pessoa. Américo cobrou união quando ele mesmo com seu perfil perseguidor é quem divide a cidade em dois lados: um com seus poucos aliados e outro formado pela grande maioria da população que rejeitam seu governo desastroso.

A pessoa que criticou a tudo e a todos durante 20 anos hoje não quer ouvir críticas. Mesmo liderando um governo fraco, desorganizado e sem resultados práticos.

O vendedor de ilusões é um engodo…

Coelho Neto: água de coco para uns e dieta da pêta para outros…

Para eles água de coco, para os professores a dieta da pêta: tratamento desigual

As fotos acima representam bem a disparidade do tratamento e da realidade do governo em Coelho Neto atualmente, nada diferente do que fora tão criticado outrora.

Para o lançamento do Carnaval, o prefeito Américo de Sousa (PT) reuniu secretários e vereadores cercados com uma mesa bem posta, recheada de água de coco e outras iguarias.

Ontem (30), durante abertura da Conferência de Educação, mesmo com a secretária Williane Caldas dando calote nos contratados no ano passado e raspando o tacho para uma economia que não tem fim, os professores foram recepcionados com um vidro de pêtas postas numa mesa apenas de enfeite.

Não se entende o por que de tanta pobreza se ano passado foram quase R$ 51 mil/mês só para lanche e a licitação de buffett do ano passado já foi aditivada esse ano.

Já que os lacaios do governo fizeram tanta festa com o discurso do secretário de Educação de Afonso Cunha, professor Milton Bastos durante  evento, poderiam ter seguido seu exemplo, já que na conferência dele os participantes foram recebidos com café da manhã e concluíram a manhã de trabalhos com um almoço muito farto por sinal.

É muita diferença do que diziam quando eram oposição para o que estão fazendo hoje na condição de governo.

E tome pêta no governo do PT!

Prefeito de Coelho Neto e o medo das vaias no Carnaval…

Américo: temor de novas vaias

 

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) é o nervosismo em pessoa nos bastidores com a proximidade da chegada do Carnaval.

Desde que fora vaiado durante o aniversário da cidade em outubro do ano passado pela multidão que comparecia a um sorteio realizado pelo seu próprio governo, o petista que já não era sociável ficou ainda mais retraído. O episódio foi tão constrangedor, que o deputado federal Zé Carlos (PT) – em seu primeiro evento depois de longo tempo sem pisar na cidade – não teve coragem sequer de discursar.

Após o episódio das vaias, o petista desmarcou uma agenda com a presença do governador Flávio Dino que chegou a ser ensaiada e não realizou a festa de réveillon que ele mesmo chegou a dizer que estava resgatando em 2016, horas antes de tomar posse.

Além disso, tem evitado eventos com multidão, se limitando apenas a pequenos eventos e reuniões com vereadores e aliados mais próximos no gabinete.

Rejeitado, Américo teme que a aglomeração de gente o faça sofrer represálias novamente. Nos bastidores já se estuda se o prefeito se recolhe a um camarote ou se arrisca a dar uma palhinha.

É aguardar e conferir.

Prefeito de Coelho Neto e a propaganda: Fotos novas, promessas velhas…

Meme com as propagandas passou a circular nas redes sociais

Para tentar minimizar o desgaste de sua desastrosa falta de gestão, o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) e seus lacaios anunciaram com festa e pompa a presença de três auxiliares do governador Flávio Dino ontem (24), na cidade.

Os secretários Felipe Camarão (Educação), Jefferson Portela (Segurança), Duarte Júnior (Procon) além do deputado estadual Rafael Leitoa (PDT), teriam vindo na cidade para prometer investimentos em diversas áreas. Nada mal, afinal estamos em ano eleitoral e subir no palanque com um aliado do jeito que o petista se encontra é levar vaia tal qual na comemoração do aniversário da cidade.

Pois bem, sem entrar no mérito dos novos investimentos anunciados, há grande dúvida é sobre o destino das promessas velhas.

Há exatamente um ano atrás, Américo se reunia com o governador Flávio Dino (PCdoB) e um dos porta-vozes do prefeito anunciava “boas novas” para Coelho Neto com duas em especial que nunca mais houve retorno: a primeira a recuperação do Farol da Educação e a segunda seria a reforma, equipagem e reabertura do hospital Ivan Ruy. Passado um ano, nem uma coisa e nem outra.

Propagandas cairam no esquecimento

Américo e o deputado Rafael Leitoa chegaram a fazer visita ao Mercado para pedir a reforma do prédio que se deteriora e o parlamentar chegou a se comprometer a buscar os recursos para assegurar a obra. Nenhuma palavra mais foi dita a respeito do assunto.

Visitas que não resolvem nada fazem parte da rotina do prefeito

Américo e o mesmo Leitoa já tinham feito uma visita ao esqueleto da obra de captação de água do rio Parnaíba. Voltaram a fazer a mesma visita, falaram em interesse de repassar a obra para a Caema concluir, mas no fundo nada de concreto.

Com o titular da Segurança e da Educação fizeram novas visitas a Unidade de Pronto Atendimento – UPA e ao Hospital Municipal. O que os dois que não tem qualquer relação com o assunto foram fazer lá não se sabe ao certo, pois nada a respeito das duas unidades foi anunciado.

As fotos podem até ser novas, mas as promessas são velhas.

Antes de fazerem novos compromissos deveriam olhar para trás e cumprirem o que já haviam prometido. Eles podem até ter esquecido. Mas nós não.

E fazemos questão de lembrá-los…

 

Versículo do dia: Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. I João 1, 10

Perdido na gestão, prefeito de Coelho Neto pede socorro para Flávio Dino…

Américo na gestão: totalmente perdido

Concluindo o primeiro ano de mandato sem ter inaugurado uma obra sequer, o prefeito Américo de Sousa correu no Palácio dos Leões para pedir socorro para o governador Flávio Dino (PCdoB). Como se trata de ano eleitoral e o com o índice alarmante de rejeição do aliado, o comunista resolveu colaborar mesmo já tendo suas ajudas esnobadas pelo petista.

Perdido no apoio para estadual e com um deputado federal mais fraco que caldo de peteca, o prefeito se vê contra a parede em meio a crescente cobrança popular e o governo sem acertar uma.

Sua chegada ao poder é uma farsa alicerçada em mentiras. Vendeu facilidades para se eleger e agora sentado na cadeira de prefeito não consegue cumprir o básico e a cidade está completamente abandonada.

Cercado por uma equipe perdida tanto quanto ele, o petista tem ido atrás de nomes ligado ao ex-prefeito Soliney Silva, para tentar fazer com que seu des-governo deslanche. Mesmo assim a coisa não tem funcionado.

Nesta terça (23), o prefeito recebe uma comitiva do Governo do Estado para tentar ajuda-lo e quem sabe assim, fazer algo que ele ainda não teve competência nem cacife para fazer.

Porque lidera um governo incompetente.

É simples assim!

Guerra de forças marca briga de bastidores pelo controle do SINTASP

Guerra de bastidores: Américo não quer mais Lima Júnior no comando do SINTASP; perfil capacho de Izaque Vale o torna preferido pelo petista

Não chamem para a mesma mesa o presidente licenciado do Sindicato dos Servidores do Serviço Público da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP, Lima Júnior e o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT).

Para quem não sabe o clima é de guerra nos bastidores em relação ao controle da entidade sindical. Tudo começou logo no início do ano passado, quando o então presidente do SINTASP Lima Júnior, pressionado por servidores sobre o pagamento do 1/3 de férias de 2016 confessou que Américo sequer respondia os ofícios do sindicato.O clima esquentou e para apaziguar os ânimos, Lima Júnior decidiu pedir licença.

Assumiu em seu lugar o vice-presidente Izaque Vale, que de lá para cá tem se comportado como um verdadeiro capacho do governo. Durante o tempo que responde pelo sindicato nunca realizou uma assembleia sequer para tratar das demandas dos servidores, ao contrário, é como se isso nem existisse, figura perfeita para assumir a entidade e não criar problemas para o governo.

Acontece que o tempo de licença de Lima Júnior está se findando e ele se prepara para retomar ao comando da entidade. Mas Américo não quer. Isso mesmo, nos bastidores é grande o corre-corre para evitar que Lima Júnior retorne a presidência do sindicato.

Nesse interim tem sido grande o número de interlocutores do prefeito que tem feito propostas das mais diversas para que Lima Júnior não retorne ao sindicato, mas não há acordo. Lima Júnior é o presidente legitimamente eleito e tem respaldo para retornar e cumprir seu mandato. Américo na verdade teme que no comando da entidade, Júnior comece fazendo cobranças ao seu governo incompetente e que tem massacrado os servidores, principalmente os contratados.

Nos bastidores a guerra é feia. É aguardar e conferir!

SINTASP continua mudo para reivindicações de servidores…

O presidente “tampão” da entidade Izaque Vale e o “patrão” Américo de Sousa: lado a lado na mesma mesa e de costas para as demandas dos servidores

Presidido por um serviçal antigo do atual prefeito Américo de Sousa (PT), o Sindicato dos Servidores Público da Microrregião de Coelho Neto – Sintasp, se tornou uma entidade sem qualquer tipo de serventia para os servidores.

Inerte, a entidade no ano passado não realizou uma assembleia sequer para debater interesse dos servidores, ou melhor, se houve assembleia não se sabe. As velhas convocatórias desapareceram e os problemas enfrentados pela classe são ignorados a olho nu pelos dirigentes do órgão.

O decreto assinado pelo prefeito de que pagaria o 1/3de férias de 2016 até o final de 2017 passou despercebido e o sindicato se mantém de olhos fechados para o assunto. Os professores que em outras gestões eram tão combativos parece que desaprenderam a arte de reivindicar os próprios direitos e preferem se reclamar pelos cantos do que ir para o embate com a administração desastrosa que ai está.

Se quiserem algo, os professores terão que correr atrás, pois esperar qualquer atitude do Sintasp é perder tempo e paciência.

Hoje faz sentido o pedido de afastamento do então presidente Lima Júnior. Ele não tem perfil de que engoliria goela abaixo a interferência que o Executivo visivelmente mantém sobre a entidade.

E não se submeteria ao papel de “capacho” que o atual presidente Izaque Vale desempenha tão bem…

 

Para meditar: Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. Jo 14, 18

Classe política ignora e não comparece a evento de Américo na zona rural…

Américo com um vereador e um secretário: articulação política e prestígio em baixa. Foto: Ezequias Martins

Um verdadeiro fiasco! Assim podemos definir o peso político do evento organizado pela Prefeitura no último domingo (14), no povoado Carmo, zona rural de Coelho Neto.

A “festa” era o primeiro evento de grande porte realizado após a troca de comando da secretaria de Articulação Política que só motrou que a nova secretária Cristiane Bacelar começou sua gestão com o pé esquerdo.

Apesar dela mesma ter disparado convites para autoridades impresso e via via whatsapp, a classe política da cidade simplesmente ignorou o evento. O vice-prefeito Antônio Pires não participou. O presidente da Câmara Osmar Aguiar também não foi visto. Dos 10 vereadores da base do governo, apenas o líder do governo Luiz Ramos foi visto pousando para fotos.

O ex-candidato a prefeito Jademil Gedeon, que foi propagado como aquisição de peso do governo mais uma vez não se fez presente numa agenda oficial.

Além da rejeição popular, Américo mostra que seu governo também padece de prestígio político, que nem a troca de comando da pasta foi capaz de resolver.

Porque o petista trocou seis por meia dúzia.

Simples assim!