Em resposta a ataques da oposição, governo relembra quem de fato abandonou Afonso Cunha…

Em resposta a ataques da oposição, governo relembra quem de fato abandonou Afonso Cunha…

Parte da oposição de Afonso Cunha aproveitou a não realização do aniversário da cidade para centrar fogo no governo, acusando o prefeito Arquimedes Bacelar (PTB), de abandonar a cidade.

O vereador da oposição que cobra resolução de problema de lama na cidade esquece que foi o ex-prefeito aliado dele que em oito anos não realizou nenhuma ação de drenagem na cidade. Esquece que o problema da lama se agravou quando ruas foram abertas pelo ex-prefeito aliado dele sem nenhum planejamento e sem nenhuma pavimentação.

O vereador que se diz voz da oposição poderia contribuir para resolver o problema, já que o aliado dele não fez. Como? Destinando para o município o recurso do Lava Pratos que no ano passado foi feito, mas que esse ano ninguém falou absolutamente nada. Será que era porque esse ano não ia ter eleição?

A resposta para lembrar quem realmente abandonou a cidade veio através de um vídeo, onde numa rápida retrospectiva é possível lembrar quem fez da cidade um cemitério de obras inacabadas.

Confira:

Abandono de rua facilita assaltos em bairro de Coelho Neto

Abandono de rua facilita assaltos em bairro de Coelho Neto

Moradores da Quadra 28 do Bairro Bonsucesso em Coelho Neto, denunciam o descaso com aquela via.

Segundo moradores ouvidos pelo blog, a cobrança das condições da rua já foram denunciadas para a Secretaria de Obras que deu de ombros para o problema.

Com o período das chuvas, a lama dificulta a locomoção, facilitando a ação de assaltantes no período noturno.

É mais uma das vias em que a população clama por uma ação mínima por parte da Prefeitura.

Sobra descaso…

Moradores denunciam descaso em avenida de Coelho Neto

Moradores denunciam descaso em avenida de Coelho Neto

Nem o curto trecho da Avenida Nossa Senhora do Carmo tem sido visto pela Secretaria de Obras de Coelho Neto.

A via está praticamente abandonada. Sem o simples serviço de capina, o mato cresce desordenadamente em contraste com o asfalto.

Aliado a isso, o lixo no canteiro principal fotografado no último sábado (02), mostra o descaso da Prefeitura com as principais vias da cidade, seja do centro, seja dos bairros.

Enquanto o contribuinte paga as festas do Corredor da Folia, os serviços básicos vão ficando para trás.

E será esse o cenário que vai ficar quando chegar a quarta-feira de cinzas…

Situação caótica de ruas do Bairro Sarney é tema de debate em sessão da Câmara de Coelho Neto

Situação caótica de ruas do Bairro Sarney é tema de debate em sessão da Câmara de Coelho Neto

A situação caótica de algumas ruas do Bairro Sarney foi tema do discurso do vereador Ricardo Chaves (PPS), durante o Grande Expediente da sessão da última quinta (28).

A sessão fora presidida pelo vice-presidente da Casa Rafael Cruz (MDB), não teve inscritos no pequeno expediente e a eleição do Corregedor que constava na Ordem do Dia não fora apreciada pela falta de quórum para a votação.

Participaram da sessão ainda os vereadores Luiz Ramos, Liza Pires, Camilla Liz, Sillas Alexandre, Reginaldo Janse, Júnior Santos e Wilson Vaz. Ao final o vereador Rafael Cruz fez uma defesa dos parlamentares sobre a ausência na Audiência Pública realizada pela Prefeitura.

Ele esclareceu que os vereadores haviam apreciado a liberação do prédio para um evento em março e não para dois dias depois da sessão. Deixou claro que o erro do governo foi decisivo para a não presença dos parlamentares, pois a nova data não havia sido colocada sob apreciação. Classificou o ocorrido como manobra e disse que por ele, em casos de mudanças de datas de última hora sem a apreciação dos vereadores a autorização de cessão do prédio não deverá ser mais concedida. Ele justificou a ausência do presidente Marcos Tourinho (PDT), que estava em viagem para resolver questões de ordem pessoal.

DEBATE

O vereador Ricardo Chaves foi enfático na situação de abandono de ruas como a D, E, K e N, todas no bairro Sarney. Após visita in loco, o parlamentar destacou que além de não ter nenhuma ação do governo para recuperar as vias, não havia sequer por parte do governo a preocupação com a segurança pois não havia sinalização.

Ele criticou a falta de planejamento do governo, a ausência de recuperação de ruas prometido pela própria gestão e a situação de abandono que vive as ruas da cidade.

APARTES

Em seu discurso o parlamentar foi aparteado pelos colegas Júnior Santos (MDB), Reginaldo Janse (MDB) e Luiz Ramos (PSD). O primeiro corroborou com as cobranças e solicitou a capina da praça Pedro Cialdine Silveira (próxima a De Um Tudo), os dois últimos reconheceram as necessidades, mas pontuaram o cenário de crise e as dificuldades financeiras do município.

Da Ascom/Câmara

Prefeitura emite nota e explica “descaso” com obra em Afonso Cunha

 

A Prefeitura de Afonso Cunha emitiu nota nesta terça (18), para explicar a “situação de abandono” cobrada pelo ex-prefeito José Leane (MDB), em sua rede social sobre a obra do Balneário Prainha.

A seguir a integra da nota:

Sobre o “total estado de abandono” do Balneário Prainha cobrado pelo ex-prefeito José Leane em sua rede social e para reparar a verdade dos fatos, a Prefeitura expõe o que abaixo segue:

1. O prefeito cobra a conclusão de uma obra que sequer foi iniciada, ou melhor, foi deixada com umas marcações no solo, bem longe do que representa o valor recebido pela prefeitura;

2. O projeto de implantação de infraestrutura no Balneário Prainha é fruto de um convênio celebrado pela Prefeitura e o Ministério do Turismo cujo primeiro contrato foi assinado em 16 de janeiro de 2013 no valor de R$ 487.500,00 (quatrocentos e oitenta e sete mil e quinhentos reais), tendo sido liberado para a obra 50% do valor desse recursos, ou seja, R$ 243.750,00 (duzentos e quarenta e três mil, setecentos e cinquenta reais), pago no dia 30 de junho de 2014;

3. Para a mesma obra foi feito um novo contrato para a execução da segunda etapa no dia 31 de dezembro de 2013, no valor de R$ 400.000,00 (quatrocentos mil reais), tendo sido liberado o valor de R$ 195.000,00 (cento e noventa e cinco mil reais), pago no dia 21 de dezembro de 2015;

4. Se juntarmos os dois recursos foram repassados para a Prefeitura o montante de R$ 438.550,00 (quatrocentos e trinta e oito mil, quinhentos e cinquenta reais), para a execução da obra que não saiu de meios fios. Para onde foi o dinheiro? Quem é o verdadeiro culpado pelo abandono e pela paralisação da obra?

5. O Balneário Prainha se junta a tantas outras obras paralisadas pelo governo anterior, na sua maioria por má-versação de recurso público;

6. O atual governo acionou o governo anterior judicialmente e articulou com a Caixa Econômica os trâmites legais para a retomada da obra. Com a assinatura de um novo contrato com vigência até 2020, a Prefeitura deve iniciar nos próximos dias o começo da obra e as garantias de sua entrega para a população.

A situação de abandono dos equipamentos de Educação Física da rede municipal de Coelho Neto

 

A foto abaixo é da Quadra de Esportes da Escola Leozinho Sabido, que integra a rede municipal de ensino de Coelho Neto.

É nesse espaço que dezenas de alunos fazem a prática de Educação Física e são submetidos ao desrespeito da Secretaria de Educação.

Mesmo com os milhões que caem nas contas todos os meses, a secretária de Educação Williane Caldas faz vistas grossas da necessidade de manutenção desse equipamento.

A incompetência e o descaso é tamanho que nem dá pra colocar a culpa no governo anterior, pois já se fazem 02 (dois) anos em que a situação é a mesma. A quadra de esportes da Escola Raimundo Guanabara também não fica atrás.

Confira o vídeo e a veja a forma desrespeitosa em que são tratados alunos, professores e atletas que precisam fazer uso desse equipamento:

Jovens promovem Concurso de Danças e confirmam falência do setor de cultura em Coelho Neto

 

Os jovens que integram o Whin Dance (Emerson Hoffmam, Aline Keyla, Rannylson e Yelle), estão organizando um Concurso de Música e Dança em Coelho Neto.

A inciativa vinda dos jovens só foi possível porque contou com apoio de pessoas físicas, já que prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), acabou por sepultar o setor cultural do município. É bom frisar que a cultura da cidade não se resume a carnaval e a São João, muito pelo contrário, a pasta vai muito além disso. A promessa de que recriaria a secretaria de Cultura foi mais uma mentira vendida no período eleitoral, permanecendo o setor subordinado a educação, tal qual ele criticava no governo anterior. Se a secretária de Educação Williane Caldas não está dando conta da pasta dela, que dirá dar suporte para o funcionamento de uma outra pasta da dimensão da cultura.

O caso é tao grave, que a subsecretaria de cultura sequer tem sede. Estava funcionando provisoriamente nas dependências da biblioteca que mais parecia um depósito em meio a uma quantidade de instrumentos musicias parados devido a incompetência do governo.

O retrato da cultura no governo Américo: abandono total

Leia mais:

Américo e o abandono da cultura de Coelho Neto

 

A competição de talentos organizada pelo grupo de jovens, será antecedida de vídeos dos interessados que deverão ser entregues a  apartir do dia 11 de junho. A inscrição será 2kg de alimento não perecível com premiação de R$ 1.400,00 (um mil e quatrocentos reais). Um dos principais apoiadores da iniciativa é o ex-candidato a deputado Albino Klauberth. Mesmo transferido para Açailância como forma de anularem sua presença na cidade, ele continua dando apoio a iniciativas realizadas no município sempre que é solicitado.

Albino tem trabalho social reconhecido no município

Albino é conhecido pelo trabalho social que desenvolve desde que chegou na cidade. Tanto na área da educação como em ações sociais, atividades esportivas e culturais, sua participação já tem um legado que ao que parece segue intacto. “Pensavam que iam me parar com uma transferência, mas não conseguiram, ao contrário, me motivaram ainda mais a continuar com o trabalho que sempre desenvolvi. Se o governo não ajuda os grupos e as inicitiavas que fortaleçam a cultura do nosso município, cabe  a cada um de nós dar a nossa parcela de contribuição para que a coisa aconteça”, disse Albino em conversa com o blog.

As ações e projetos de governo na área da cultura é coisa do passado. É mais um setor enterrado de forma irreponsável pela gestão do PT em Coelho Neto.

Com o abandono da Prefeitura, população entra em ação e decide limpar estádio em Coelho Neto

 

A população do bairro Novo Astro comemora nesta quinta (31), os dez anos de abandono por parte do poder público local do Estádio Municipal Gonçalo Francisco dos Reis.

O espaço esportivo construido na gestão do ex-prefeito Magno Bacelar foi literlamente jogado as traças. Apresentador de um programa de rádio em que tinha receita pronta para todos os problemas da cidade, o hoje prefeito Américo de Sousa (PT), por várias vezes cobrou o ex-prefeito Soliney Silva a recuperação e o cuidado do espaço.

Passado 1 ano e 5 da atual gestão, o retratao é de que nada mudou. Mesmo contando com R$ 600 mil para o esporte, a Prefeitura de Coelho Neto segue sem fazer qualquer mantuenção nas praças esportivas, mas decidiu sabe se lá por quais motivos garantir a compra de um estádio com necessidades urgentes de reparos. Pense no investimento!

Para celebrar o aniversário de abandono, a família do homenageado que dá nome ao estádio e demais membros da comunidade se uniram para fazer uma limpeza e assim ter condições de fazer um evento esportivo na comunidade., tudo de forma independente já que a secretaria de Esporte praticamente não existe. Foi marcado esta manhã uma disputa entre as equipes do Novo Astro, Santana e RRB FC.

Se a prefeitura não faz, cabe ao povo a obrigação de fazer. Lamentavelmente…

Moradores denunciam descaso com o sistema de abastecimento de água no Parque Amazonas

A dupla Joilson e Ronaldo que tem percorrido a cidade de Coelho Neto para denunciar os demandos da gestão do prefeito Américo de Sousa (PT), foram chamados pelos moradores do Parque Amazonas.

O convite feito pela comunidade foi para denunciar a situação de abandono do serviço de abastecimento de água, principalmente do reservatório.

Segundo moradores, a caixa d água está com a tampa quebrada há mais de um ano e exposta a diversas situações de contaminação, inclusive sem qualquer manutenção.

Com o Serviço Autônomo de Abastecimento de Água – SAAE, jogado as traças desde a saída de Jademil Gedeon, a situação está cada vez mais crítica.

E tome descaso. Confira o vídeo:

Enquanto faz politicagem na rede social, Delano deixa de cumprir com suas obrigações…

Gabriel Delano ao lado do prefeito Américo de Sousa: gestão desastrosa e truculenta a frente do Meio Ambiente

A situação de Coelho Neto é a pior possível. Além de um prefeito que não consegue dizer a que veio, a gestão está cercada de secretários inoperantes, descompromissados e sem qualquer respeito com os cidadãos.

Um dos secretários mais desastrados é sem dúvida alguma o de meio ambiente, Gabriel Delano. Ontem (09), ele aproveitou a notícia da saída do vice-prefeito Antônio Pires – talvez escalado pelo chefe – para falar abobrinha em grupos de whatsapp, como se alguém na cidade desse alguma importância para o que ele pensa.

Enquanto gasta o tempo que deveria está trabalhando com asneiras e opiniões não solicitadas, o secretário deixa de cumprir com aquilo que realmente interessa e que é custeada pelo cidadão da cidade que lhe paga um gordo salário.

O blog recebeu o vídeo de uma denúncia de um morador da Rua Valentim Antônio de Sousa – aquela mesma que denunciamos recentemente que está as escuras. Pois bem, Delano teria aparecido lá com a promessa há mais de dois meses de reforma da pracinha. Derrubou um pouco de areia por lá, deu uma capinada e a tal obra não saiu do lugar. Então secretário, vai executar o serviço ou não?

Se não bastasse a incompetência para cumprir o que promete, Delano – que é conhecido como capitão do mato pela forma de agir na pasta – ainda vai responder na justiça pela abordagem truculenta feita recentemente a um empresário da cidade, que deve ser pauta da Câmara nos próximos dias.

Mas essa é uma outra história…