Servidores de Coelho Neto pressionam Conselho de Educação e mudança em carga horária não é votada

 

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT) e sua secretária de Educação Williane Caldas estão com a batata assando desde que resolveram ensaiar um aumento na carga horária de professores para reduzir os contratados do município.

Desde que a matéria se tornou pública, os servidores colocaram o pé na parede e estão decididos a não aceitar a medida. Na última sexta (09), o assunto seria pauta do Conselho de Educação mas em decorrência da pressão deuma comissão de  servidores o assunto não foi colocado em votação.

Outra coisa grave revelada na reunião é que a Secretaria de Educação sequer havia encaminhado o calendário escolar de 2018, comprovando que a onda de reformas foi idealizada sem planejamento algum, frustrando as previsões da própria secretária em rede de TV local de que as aulas começariam na próxima segunda (12).

Após a reunião do Conselho, a comissão seguiu para a sede do Sindicato dos Servidores do Serviço Público da Microrregião de Coelho Neto – SINTASP/MCN, para cobrar providências. A simples presença do sócio fundador da entidade Gilson de Morais no recinto foi o bastante para deixar o presidente-tampão Izaque Vale com os nervos a flor da pele.

Arrogante, prepotente e cheio de si tal qual o patrão que lhe faz de capacho, o presidente se trancou em sua sala e disse que só receberia os servidores em Assembleia. Pense num vexame e numa falta de educação! A entidade sindical que antes defendia os interesses da classe hoje foi transformada em um feudo, num puxadinho da prefeitura e sob o comando de alguém extremamente despreparado.

A batalha está só começando e durante a semana uma assembleia no sindicato deverá servir de termômetro para o nível dessa guerra. Os servidores prometem não recuar…

É aguardar e conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *