Saúde de Coelho Neto fracassa nas metas de vacinação…

Coelho Neto: gestão da saúde fracassa também nos números

Que a Secretaria de Saúde de Coelho Neto vai mal das pernas até uma criança sabe que sim e por diversos motivos. Se tivesse braços sem dúvida alguma precisaria recorrer ao uso das muletas para poder se locomover.

Sem qualquer autonomia na pasta que comanda, a secretária Cristiane Bacelar segue empurrando com a barriga e fazendo de conta que está tudo bem, quando nos bastidores os desentendimentos quase que diários com o prefeito Américo de Sousa (PT) já corre a boca miúda e expõe a fragilidade da gestão.

Se não bastasse isso, Cristiane comanda a gestão que ficará na história como a que mais massacrado direito dos servidores até aqui. A política de desvalorização dos funcionários da pasta é tamanha, que tem sido constante os pedidos de demissões dos profissionais por não aceitarem os baixos salários praticados pela gestão petista.

Acontece que isso tudo acaba por refletir nos resultados práticos da gestão. Na semana passada, durante uma reunião na regional de saúde em Caxias, o governo sentiu o doce amargo da ineficiência da gestão ao tomar conhecimento do fracasso do município nas metas de vacinação.

Das 04 (quatro) metas estipuladas pelo Ministério da Saúde na área de cobertura vacinal, o município de Coelho Neto só alcançou a meta em apenas 01 (uma), diferente de Afonso Cunha por exemplo, que menor alcançou cobertura de 100%.

Um dos maiores técnicos que a secretária tinha na área de alimentação de sistemas por exemplo, foi perdido pela desvalorização e isso tem causado sérios problemas ao município.

A gestão da saúde não fracassa apenas no discurso, pois começa a fracassar também nos números. É esse seu modelo de saúde prefeito? Ou vai recorrer mais uma vez a Timon para ensinar o que o senhor deveria saber de cor e salteado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *