Rafael Cruz denuncia abuso de autoridade do secretário de Meio Ambiente e recebe apoio dos vereadores

Rafael Cruz denuncia abuso de autoridade do secretário de Meio Ambiente e recebe apoio dos vereadores

O vereador Rafael Cruz (MDB), utilizou o Grande Expediente da última segunda (29), para denunciar uma situação de abuso de poder e perseguição política cometido pelo secretário de Meio Ambiente Gabriel Delano.

Segundo o parlamentar “houve uma invasão ao prédio da Rádio Meio Norte, na qual o meu pai é diretor e eu estava lá no momento, passar pelo constrangimento de receber voz de prisão por um homem descontrolado, um homem que não sabe o cargo que ocupa, não sabe as suas limitações, que é o seu secretário de Meio Ambiente, Gabriel Delano. Ele faz papel de secretário de infraestrutura, faz papel de secretário de administração, faz papel de capanga e capacho do prefeito e ai ele vai se perdendo na frente de suas atividades”, disse o parlamentar.

Conforme informou o vereador, o secretário quis lacrar o prédio da rádio por conta de um alvará através de uma ordem administrativa e passando por cima de uma ação judicial. Segundo ele a tentativa do governo de fechar a rádio já fora feito duas vezes e que o secretário cometeu excessos como invasão de propriedade privada, abuso de poder, ameaça e sabotagem (mandando cortar a energia). Ele parabenizou atuação da Polícia Militar que agiu com isionomia e negou a voz de prisão.

“Coelho Neto ainda vive o tempo do capitão do mato, quando querem mandar fazer o enfrentamento direto manda o Gabriel Delano, os caras tapando um buraco na rua a prerrogativa é da secretaria de Infraestrutura mas que foi era o meio ambiente, que ele chega jogando o carro por cima dos cones, chega dando voz de prisão” explicou ele.

APARTES

Em sua fala, o vereador REGINALDO JANSE (MDB), disse que achava ridícula a atitude e não era porque era líder do governo que ele iria aceitar e ser conivente com alguma coisa que eu acho o oposto do entendimento dele. Disse que era feio, mas que existia maneiras de se abordar caso fosse identificado irregularidades e assim após todo um processo responder na forma da lei, se mostrando solidário a situação e repudiando a atitude do secretário. O vereador JOÃO PAULO (MDB), disse que não compactuava com essa atitude, mas que não havia ordem judicial para o ocorrido que mais parecia uma barbeiragem, arbitrariedade e que sua atuação muitas vezes prejudicava o governo. Que parabenizava a atuação de alguns secretários, mas que repudiava sempre as atitudes de Delano. SILAS DO LOURO (MDB), disse que em se tratando de Gabriel Delano não insistiria no assunto porque na opinião dele 70% da Casa não concordava com as atitudes dele e aproveitou para reclamar a burocracia para tirar um alvará, que nos governos anteriores era facilitado mas que agora passa por várias análises dificultando a liberação do documento. RICARDO CHAVES parabenizou o vereador pela coragem, disse que era público e notório que a Câmara não concorda com a atuação do secretário, fator comprovado por diversas vezes e que a Câmara deveria assinar uma manifestação de repúdio a atitudes como essa, que vem passando do limite. MARCOS TOURINHO disse que assustou com a situação de excesso, com a forma da abordagem e que temeu pelos desdobramentos da ação. Falou que a opinião dele não era sobre a legalidade, mas sobre o excesso, que não era a primeira vez e que acaba arranhando o governo e trazendo uma imagem negativa perante a opinião pública. O presidente aproveitou para parabenizar o equilíbrio da Polícia Militar para conduzir o processo.

Ascom/ CMCN

Deixe uma resposta