Por que não se deve falar em pré-candidatura de Luis Serra?

Luis Serra: empresário perdeu o “time”

Uma postagem do Portal Leste Maranhense publicada ontem (08), trouxe ao debate da política de Coelho Neto o nome do empresário Luis Serra como líder na preferência do eleitorado – com folga diga-se de passagem, para a disputa majoritária em 2020.

Primeiro é necessário pontuar que não há qualquer elemento científico para embasar tal afirmação, já que não se tem notícia de qualquer pesquisa eleitoral para medir o cenário político para o próximo ano.

Diferentemente do que foi pontuado na matéria, Serra não é, não foi e não será nunca o nome de consenso das oposições por vários motivos sendo o principal deles: ele próprio.

O término da disputa e a eleição de Américo (PT), só serviu para confirmar que Luis Serra era um candidato artificial e fruto de um projeto de marketing que não deu certo. Subir em telhado, passear de moto e andar na “cacunda” de gente foram cenas que só foram possíveis ver diante das lentes do marqueteiro. Mas ficou apenas nisso!

Nem a passagem tímida do empresário durante a eleição do ano passado serviu para ferver a água da disputa eleitoral. Ausente do debate, das articulações e alheio a realidade da cidade, a pré-candidatura de Serra não deveria sequer ser mencionada.

Se o próprio Serra faz questão de dizer que não quer mais ser candidato, não há há motivos para sustentar algo que não tem futuro.

Até porque a política tem fila e tem tempo, logo quem perde a vez e sai da fila deixa de ser presente.

E ao invés de ser opção de futuro, passa a ser lembrado apenas como um projeto de passado…

Deixe uma resposta