Após resultado das eleições, Soliney defende união da oposição para 2020

Soliney defendeu união da oposição

Em entrevista concedida a rádio Meio Norte no último sábado (13), o ex-prefeito Soliney Silva falou pela primeira vez após o resultado das eleições.

Apesar de não ter conseguido garantir eleição Soliney mostrou que não está morto, como pregava o prefeito Américo de Sousa e lhe impondo duas derrotas. Primeiro o petista fez de tudo para que Soliney não fosse candidato e perdeu. Não só conseguiu ser candidato como derrotou o candidato a deputado estadual do prefeito.

No frigir dos ovos, além de agradecer aos votos, Soliney pregou a união das oposições e elogiou a performance de vários nomes da oposição.

Em sua fala, ele disse que falava baseado nos números da eleição, que mostram a necessidade de união para derrotar o caos administrativo e a inércia que se transformou o desgoverno liderado pelo PT em Coelho Neto.

Soliney questionou a incompetência do prefeito em se omitir com relação a mais uma recente greve do Grupo João Santos, onde não houve qualquer manifestação pública do Executivo. Durante a entrevista ele falou de diversos outros assuntos, dentre os quais as mudanças do próximo pleito eleitoral em decorrência da cláusula de barreira, que vai encolher o número de partidos.

Feliz Dia aos Professores de Duque Bacelar!

Professores,

O ano de 2018 foi importante para todos nós que ajudamos a construir a educação de Duque Bacelar, ao garantirmos a melhor performance da região no resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB.

Somos gratos pela constribuição de cada um na melhoria dos nossos índices e na tarefa diária de construir uma cidade ainda melhor.

Todo dia é dia do proefessor! Um grande abraço a todos

Jorge Oliveira

Prefeito

Fundef: prefeituras do MA devem R$ 1,6 bilhão a advogados

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, na semana passada, que os municípios não podem mesmo pagar advogados com parte das verbas que devem receber da União por complementação ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

A sentença foi proferida pela 1ª Seção da Corte, que reúne as duas turmas de Direito Público.

Segundo cálculos da Procuradoria-Geral da República (PGR), a União deve desembolsar ao menos R$ 95 bilhões em repasses a 3.800 municípios localizados em 19 estados a título da complementação. As prefeituras contrataram os advogados para pedir, no Judiciário, que a União pague a verba extra do antigo Fundef.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os contratos estabeleciam honorários de entre 20% e 30% do valor da causa, o que varia de R$ 19 bilhões a R$ 28,5 bilhões do total. Para exemplificar, a União afirmou que só o repasse a 217 cidades do Maranhão totalizou R$ 7,8 bilhões, e estas prefeituras terão de pagar a escritórios de advocacia cerca de R$ 1,6 bilhão.

– A discussão não é se o pagamento deve ou não ser feito [ao advogado], a questão é saber de onde vai sair esse dinheiro -, resumiu a ministra Regina Helena Costa durante o julgamento.

O relator do caso no STJ, ministro Og Fernandes, defendeu que a Constituição obriga as cidades a destinarem os valores do antigo Fundef apenas ao desenvolvimento da educação. Assim, na visão de Fernandes, os precatórios recebidos da União não poderiam ser fatiados para remunerar os advogados.

Do Blog do Gilberto Leda

João Silvestre leva o nome de Duque Bacelar novamente para o pódio…

 

O estudante João Silvestre foi campeão novamente, oportunidade em que levou o nome de Duque Bacelar mais uma vez para o ponto mais alto do pódio.

Ele que é aluno da Escola Miguel Duarte foi campeão ontem (13), em Teresina-PI nos 75m e bronze nos 250m no troféu Cláudio Roberto (homenageando o atleta medalha de prata em Sidney no ano 2000).

A disputa foi no sub-16, onde ele concluiu a prova no tempo de 8,53. O treinador Gyllyard Miranda destacou a boa fase do atleta e suas conquistas como fruto de muito trabalho e dedicação.

Ele agradeceu ao prefeito Jorge Oliveira, ao secretário de Esportes Rogério Borges e a diretora Keyla Linhares (Escola Miguel Duarte) pelo apoio que vem dando ao atleta.

De como a construção de estradas trazem dignidade a povoados de Afonso Cunha…

A imagem acima representa o antes e o depois da estrada entre Afonso Cunha e o povoado Tomaizão. A obra foi executada pela Prefeitura através da Secretaria de Obras.

Relegada e abandonada pelos governos anteriores, a estrada foi completamente reconstruida pelo atual governo, promovendo dignidade para as famílias que precisam daquela via como acesso.

A estrada é uma reivindicação antiga, cuja solicitação foi atendida em pouco mais de um ano e meio do atual governo.

“Essa estrada é uma das provas de que é possível fazer quando se tem compromisso. Não pecisou convênio, foi tudo feito com recurso próprio e cumprindo com alegria o nosso dever. Estamos felizes com mais essa conquista”, disse o prefeito Arquimedes Bacelar.

Empresário denuncia secretário de Agricultura de Coelho Neto por uso indevido do carro oficial e ameaça

 

Há um ano e dez meses o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), governa a cidade e nesse espaço de tempo ele faz questão de manter os carros oficiais sem identificação. Para que? Para incentivar seus secretários a fazerem mal uso dos carros oficiais como se fossem carros de passeio. Aliás não custa nada lembrar que no governo anterior Américo era um ferrenho crítico quanto ao uso dos carros oficiais para fins particulares e hoje faz bem pior.

Albertino é conhecido por tentar resolver as coisas na ameaça

Pois bem, ontem (12), um empresário da cidade registrou o uso indevido do carro oficial por parte do Secretário de Agricultura Albertino Veríssimo num local onde funciona uma área e lazer, no povoado Bom Lugar em pleno feriado.

Carros oficiais circulam sem identificação em Coelho Neto: incentivo ao uso indevido dos carros mantidos com recursos públicos

Segundo o denunciante, além de está visivelmente bêbado no local onde funciona um bar, Albertino ainda teria ameaçado o empresário de que se as fotos vazassem ele iria se ver com ele. É isso mesmo, o ditadorzinho se achando o rei da cocada preta ainda ameaçou o empresário.

Albertino é mais um secretário de Américo que se acha o dono do mundo e não é a primeira vez que é denunciado por ameaça. Ele já havia feito isso com a empresária Doralice Santana por uma reclamação feita por ela sobre uma ponte (relembre AQUI).

O mal comportamento dos secretários do atual governo tem o apoio do Chefe do Executivo. Mas aqui não cola, toda vez que denuncias como essa chegarem virão a público sim.

As fotos já vazaram. Agora vamos aguardar o que o secretário fará para cumprir a ameaça que fez ao empresário…

O bonito gesto da Procuradoria de Chapadinha…

 

Uma iniciativa dos servidores que integram o quadro da Procuradoria da Prefeitura de Chapadinha se uniu para fazer a diferença e proporcionar uma campanha para o Dia das Crianças.

Para isso buscaram os parcerios necessários para realizarem a doação de brinquedos e lanche para festejar a data com beneficiários dos programas sociais de algum bairro da cidade.

O grupo escolheu o Novo Castelo e realizaram o evento ontem (12), onde as crianças vibraram com a alegria de receber um brinquedo.

“Agradecemos a todos que nos ajudaram nessa bonita e edificante missão. Nada paga o sorriso em cada lábio e o brilho em cada olhar. Estamos muitos felizes com o resultado”, destacou o Dr Felype Lima, procurador do Município.

Sem duvida alguma um bonito gesto e uma lição de amor para todos nós…

Ao lado de Arquimedes e Inácio Melo, Weverton agradece votação de Afonso Cunha

O senador Weverton Rocha (PDT), gravou mensagem agradecendo a população de Afonso Cunha pela vitória nas urnas na eleição do último dia (07).

Ao lado do prefeito Arquimedes Bacelar (PTB) e de Inácio Melo (marido da senadora eleita Eliziane Gama), o senador agradeceu a votação expressiva e afirmou que agora o município contará com uma bancada de dois senadores.

Assista o vídeo na íntegra:

Pedra 90: Irmãos Bacelar se reúnem para celebrar aniversário de Antônio Bacelar

 

Parte dos “Irmãos Bacelar” estiveram reunidos nesta sexta (12), em São Luís, para celebrar o aniversário de 90 anos de Antônio Bacelar.

Cercado de parte dos filhos e da sua primeira esposa Zilmar Bacelar, o ex-prefeito comemorou a nova idade num almoço no restaurante Cabana do Sol.

O aniversariante é o mais velho dos irmãos vivos. Dos demais irmãos estiveram presentes os ex-prefeitos Dr. Magno Bacelar e Dr. Afonso Bacelar, além de Dr José Bacelar, Luiz Bacelar e Flori Bacelar.

Perfil

Antônio Américo Machado Bacelar nasceu no dia 12 de outubro de 1928, no povoado Olho d´Agua Pequeno, zona rural de Curralinho, recebendo esse nome em homenagem ao Dia do Descobrimento da América.

Filho de Duque Bacelar e dona Maria Bacelar é o quarto filho dos 11 sobreviventes e hoje é o mais velho dos vivos. Foi prefeito de Coelho Neto, fundador e ex-prefeito de Afonso Cunha – cidade que foi chefe político por quase 40 anos.

Guerra familiar agrava descaso do Grupo Santos com trabalhadores em Coelho Neto

A briga interminável dos herdeiros do Grupo Santos vai se agravando em meio a denúncias de dilapidação do patrimônio e com os trabalhadores tendo que pagar a conta

Trabalhadores de Coelho Neto: vítimas do descaso e da falta de responsabilidade do Grupo João Santos Foto: Diário de Notícias

A semana em Coelho Neto teve mais um episódio lamentável de paralisação dos trabalhadores do Grupo Santos para receberem seus direitos trabalhistas. Eles precisaram acampar e impedir o acesso a Escola Maria Regueira dos Santos (de propriedade do grupo), para que pudessem ser vistos pelos poderes constituidos.

É só mais um capítulo triste dessa história que se arrasta há anos. O Grupo João Santos nunca foi essa referência de respeito aos seus colaboradores, muito pelo contrário, em Coelho Neto a situação sempre foi bem caótica e na maioria das vezes com necessária intervenção da justiça para que obrigações legais fossem cumpridas.

Quando receberam praticamente de mão beijada as empresas que pertenciam ao Grupo Bacelar, o Grupo João Santos nunca se preocupou com o bem estar dos coelhonetenses. Diferentemente de grandes outros conglomerados no país afora, não há qualquer ação de responsabilidade social ao longo de mais de 40 anos.

Sugaram de nossas riquezas até cansarem, destruiram criminosamente patrimônios de nossa história e fizeram pouco caso de suas obrigações diante da alforria lhes dada pela Câmara renovadas vezes com o benefício de décadas de isenção fiscal e com a promessa de um retorno que nunca foi cumprido na integra. O sonho do fechamento da Itapagé para modernização foi mais um engodo para que tivessem a isenção fiscal renovada e hoje pagamos um alto preço por isso.

Itapagé fechada em Coelho Neto desde 2005: modernização foi mais uma mentira pregada por seus dirigentes para garantir novos anos de isenção fiscal. Foto: João Osório

As casas da vila de funcionários estão se acabando, mas é melhor isso do que criar um aluguel social com valor simbólico e oportunizar para aqueles que não tem casa a oportunidade de não deixar o patrimônio se acabar. O Grupo João Santos sempre pensou apenas em si e nos seus lucros. Que se lixe a população! É exatamente por isso que hoje os trabalhadores precisam recorrer sempre a justiça se quiserem receber seus dividendos.

Estamos falando de um Grupo que parou no tempo. Não envelheceram apenas as máquinas, mas os métodos e as práticas. Reclamam de falta de dinheiro, mas não prestam contas dos resultados financeiros de cada safra. No recente episódio de paralisação, tanto o Executivo como o Legislativo se calaram e acoube ao Ministério Público agir na intervenção. Por incrivel que pareça entre os políticos ninguém fala, ninguém grita e nem esbraveja porque parecem temer aquilo que já foi um “poderoso império”, mas que hoje se destrói com as próprias mãos.

Enquanto os trabalhadores sofrem o descaso, os herdeiros se matam pelo patrimônio. Recentemente os dois presidentes do Grupo – Fernando Santos e José Santos – foram cusados pelos familiares de estarem dilapidando o patrimônio da família. Segundo o Estatuto, para serem retirados do comando da empresa, é necessário 75% dos votos, mas os dois detém juntos 38% contra 68% da ala insatisfeita. Em meio as denúncias – que ambos negam – as acusações contra a diretoria do Grupo são de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, fraudes as execuções trabalhistas e formação de quadrilha. O caso composto por um um dossiê de 91 páginas já foi enviado para  a Polícia Federal, Ministério Público Federal e Ministério Público do Trabalho em Pernambuco, onde fica a sede do Grupo. Para se ter uma noção do caos, o Grupo João Santos teria hoje uma dívida fiscal superior a R$ 8 bilhões, sendo que deste valor R$ 5 bilhões já estariam inscritos na dívida ativa da União.

Não investem nas empresas paralisadas e nem se livram delas. Se já tivessem vendido, Coelho Neto hoje teria como viver novos ares e poderiamos sonhar com o retorno dos áureos tempos de fortalecimento da economia local e de toda a região. Enquanto brigam lá por cima, os herdeiros do Grupo João Santos massacram o trabalhador, detonam o próprio patrimônio e submetem a cidade a continuar debaixo do seu pesado jugo.

Com contribuição do Valor Econômico