Os números comprovam que o prefeito de Coelho Neto encolheu…

Trairagem de Américo contra o deputado Zé Carlos foi o principal escândalo do pleito eleitoral

 

O prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), tem cortado um dobrado para tentar mostrar que saiu forte do processo eleitoral, mas isso é tentar enganar a si mesmo e quem não conhece os números.

Quem consegue olhar os números para além da paixão ver que o petista simplesmente encolheu. É só analisarmos por exemplo, que tão logo assumiu o mandato, Américo trouxe para o seu grupo o segundo colocado das eleições Jademil Gedeon e pela lógica teriamos as duas maiores forças unidas.

Américo foi eleito há dois anos atrás com 8.815 votos e sua maior transferência de votos na eleição de ontem (08), foi para Rubens Júnior que levou 5.527 votos, ou seja, mesmo trazendo o segundo colocado das eleições a votação que Américo tinha simplesmente encolheu. Não conseguiu sequer mantê-la.

Quando foi candidato a deputado sozinho e sem um centavo em 2010, Américo tirou 5.914 votos e agora com toda estrutura de poder na mão, fora o apoio dos vereadores, não conseguiu sequer isso para os seus candidatos. Naquela mesma eleição, Soliney conseguia transferir 8.563 e 10.869 para Max Barros e Gastão Vieira respectivamente. Em 2014, Soliney no poder no segundo mandato, transfere 7.289 para Max Barros e 7.997 para Paulo Marinho Júnior. E Américo vem com esses dados pífios achar que está por cima da carne seca? Me comprem um bode!

Para tentar pegar carona no sucesso alheio, Américo agora tenta pegar carona na votação do governador Flávio Dino (PCdoB) e do senador Weverton Rocha (PDT). Outra mentira! A farsa pode ser desmentida se usarmos a votação de Eliziane Gama (PPS), que mesmo não tendo apoio dele obteve 6.867 votos contra os 3.799 do candidato a senador Saulo Pinto (PSOL), apoiado por ele. Ora pois, se os votos eram dele porque os deputados votados por ele não obtiveram a mesma votação?

Américo perdeu duas vezes. Primeiro quando vendeu que Soliney não poderia ser candidato e mandou que seu partido entrasse com uma ação para que isso não fosse possível. Depois quando perdeu perdeu a votação para ele e ainda teve que engolir a reeleição do deputado Zé Carlos (PT), mesmo depois do golpe dado por ele.

Américo é um político tão desabilidoso que nem os quase 20 quilometros de asfalto despejados pelo Governo do Estado as vésperas da eleição foram capazes de minimizar seu fracasso nas urnas.

O prefeito encolheu, graças ao seu desgoverno desastroso. E quem diz isso são os números.

E os números não mentem jamais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *