Mudança para pior: Pobreza aumenta na gestão de Flávio Dino

O Maranhão possui o maior número de pessoas vivendo em situação de pobreza, segundo revela a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cerca de 54,1% dos maranhenses vivem com menos de R$ 406 por mês, que é considerado o valor estipulado pela pesquisa.

Ainda segundo o IBGE, mais de 81% dos maranhenses não possui saneamento básico adequado, e a média nacional é de 35,9% da população. Além disso, 32,7% das pessoas não tem acesso à coleta direta ou indireta de lixo e para 29,2% não há abastecimento de água.

Cerca de 3% da população vive sem nenhum tipo de renda no Maranhão, quando a média nacional é de 2,4%. Além disso, 24,3% vive com renda de um quarto a meio salário e outros 27,4 % vive com renda entre meio a um salário-mínimo no estado.

O levantamento que foi realizado em 2017, mostra que a Região Nordeste é a que possui o maior percentual de pessoas nesta condição, com cerca de 14,7% da população. Atrás do Maranhão ficam os estados de Alagoas (48,9%) e Piauí (45,3%).

O estado de Santa Catarina possui o menor percentual de pobres (8,5%) de sua população está abaixo da linha da pobreza. Logo em seguida, aparecem os estados do Rio Grande do Sul (13,5%) e Distrito Federal (13,9%).

O relatório revela que em apenas um ano, o Brasil passou a ter quase 2 milhões de pessoas vivendo em situação de pobreza. Em 2016, o país tinha 52,8 milhões de pessoas o que representa (26,5%), e atualmente, 54,8 milhões vivem nestas condições, um crescimento de quase (4%).

A Síntese de Indicadores Sociais (SIS) do IBGE, analisa a qualidade de vida e os níveis de bem-estar das pessoas, famílias e grupos populacionais, a efetivação dos direitos humanos e sociais, bem como o acesso a diferentes serviços, bens e oportunidades.

Do G1

3 thoughts on “Mudança para pior: Pobreza aumenta na gestão de Flávio Dino

  1. para retificar, não só o maranhão aumentou a pobreza como literalmente o brasil, é óbvio se o país vive um dilema em corrupção os políticos tradicionais
    nunca fizeram um bom trabalho só enriqueceram passando de pai para filho. R$ 10,2 bilhões por mês para eliminar a pobreza no Brasil
    O IBGE enfatizou que “a erradicação da pobreza é um dos temas centrais da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável” e que “figura há anos nos esforços analíticos e de políticas públicas no Brasil”. Diante disso, a pesquisa apontou que para o país eliminar a pobreza extrema precisaria investir, por mês, cerca de R$ 1,2 bilhão. Já com R$ 10,2 bilhões mensais seria possível erradicar toda a pobreza do país.

  2. duas coisas muito difícil de ver é uma vaca voar e um jornal ou revista mostrando o maranhão nas melhores posições na economia ou no IDH saúde
    desde 1950 só infelizmente ´só falam em pobreza

  3. engraçado o brasil já passou por bons momento época de vaca gorda vendo a historia do maranhão com o pior Índice em todos segmentos, saúde
    pobreza, IDH,antifanatismo. nesses tempos de vaca gorda, ainda se dizia que os governantes são de família poderosa aliados de todos presidentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *