Jean Wyllys é alvo de ovada durante palestra em universidade de Portugal

224

O ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL) foi recebido com manifestações contra e a favor durante palestra na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Portugal, nessa terça-feira (26). O ex-parlamentar quase foi alvo de uma ovada durante o evento.

Jean Wyllys estava falando há cerca de 20 minutos quando os seguranças perceberam que um homem, que estava sentado na parte mais alta do auditório, começou a descer as escadas com uma caixa de ovos, e o cercaram. Ele chegou a atirar um ovo em direção ao ex-deputado, mas um dos seguranças se colocou na frente.

Em seguida, outro homem ficou de pé com uma caixa de ovos nas mãos, mas também foi detido pelos seguranças. Eles foram expulsos da palestra sob gritos de “tira, tira” e “fascistas não passarão” da plateia. 

“Não peçam para tirar. Nunca tive medo dos covardes. Qualquer fascista covarde que queira se manifestar, em vez de atirar ovos ou tiros, por favor, vamos aos argumentos. Levantem-se, manifestem-se, falemos”, afirmou Wyllys. 

“É um ovo, mas, se tivesse uma arma, era um tiro. Começa dessa forma e terminam executando as pessoas nas ruas. Por isso, é importante o repúdio de todas as instituições”, defendeu. 

Segundo os funcionários do auditório, os homens que tentaram atacar o parlamentar chegaram uma hora antes do evento começar para garantir lugar. Garrafas de água eram proibidas no local, mas os seguranças não perceberam a presença das caixas de ovos na hora da revista. 

Do lado de fora da universidade, houve manifestações contra e a favor da presença de Wyllys em Portugal com frases como “lugar de facista é na ponta do fuzil” e “com a direita nacional a esquerda não faz farinha”. 

A palestra tinha como tema os ditos ‘discursos de ódio’ e fake news da extrema-direita e seus impactos nos modos de vida de minorias sexuais, étnicas e religiosas no Brasil. Wyllys também criticou Bolsonaro, destacou que o presidente explorou os medos e preconceitos das pessoas para vencer a eleição e afirmou que o governo será derrubado pelas investigações do assassinato de Marielle Franco (PSOL). 

“A Marielle é que vai derrubar este canalha. Será a memória dela e será a revelação de que há relações profundas entre quem hoje ocupa a Presidência e o assassinato dessa mulher que tinha muito para dar à humanidade”, disse.

O parlamentar também disse que as pessoas “não suportam” ver LGBTs ocupando espaços que, na visão delas, é destinado aos heterossexuais, e comentou as agressões diárias que sofria, motivo pelo qual ele saiu do País .

“Sofria agressões diárias durante a atividade parlamentar de pessoas que acreditavam nas mentiras que recebiam pelo WhatsApp, especialmente associando minha homossexualidade a pedofilia. Uma vez minha mãe foi agredida no supermercado por homem que gritava que ela era a mãe de um pedófilo”, relatou Jean Wyllys. 

As ameaças contra Jean Wyllys continuaram depois que ele deixou o País. De acordo com o Ministério da Justiça , diversos inquéritos foram abertos para apurar o caso. No entanto, não houve nenhuma atualização. O ex-deputado agora vive em Berlim com a ajuda de amigos e dá palestras sobre a situação do Brasil pela Europa.

Fonte: Último Segundo – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-02-27/jean-wyllys-ovada-palestra.html