Fim da terceirização assombra colaboradores da limpeza pública de Coelho Neto

348

O clima entre colaboradores da limpeza pública de Coelho Neto é de total apreensão. Considerado como aposta diferenciada na operacionalização do serviço público no início do governo em 2017, a proposta de terceirização encaminhada pelo prefeito Américo de Sousa (PT) e aprovada pela Câmara, acabou ficando quase que restrita na área da limpeza pública.

Acontece que ao que tudo indica, essa terceirização está com os dias contados e os serviços devem voltar a serem executados pela próprio governo. Pelo menos é essa a conversa que tem se ouvido nos corredores da Secretaria de Obras.

Segundo informações de colaboradores que procuraram o blog, a empresa que presta serviço no setor já começou a emitir aviso prévio e grande parte destes estão inseguros coma situação. São quase 65 trabalhadores que temem que o fim desse contrato acabe colaborando para uma precarização nos serviços.

Segundo os que foram ouvidos pelo blog, não houve até o momento por parte do governo nenhuma conversa com a categoria sobre as razões da suspensão do contrato com a empresa e de como ficará a situação destes. O temor se deve sobretudo na possibilidade da redução da equipe causando demissões e no comprometimento de direitos trabalhistas oriundos da carteira assinada, como décimo, férias e insalubridade.

A Prefeitura não tem dado conta de manter a simples limpeza do Aterro Sanitário, que dirá garantir um serviço de limpeza pública de qualidade.

A situação não deixa de ser preocupante!