Discurso do Presidente da Câmara de Coelho Neto desagrada servidores…

1
Osmar Aguiar: discurso não agradou

Pegou muito mal a participação do Presidente da Câmara de Coelho Neto Osmar Aguiar (PT), durante manifestação de servidores realizada ontem (06), em frente à Prefeitura.

A princípio sua participação foi vista com bons olhos, já que ninguém do Executivo se manifestou para receber os manifestantes, no entanto, durante o discurso, o que se observou foi a fala de um ferrenho defensor do governo que nem de longe parecia o militante-sindicalista que atuava com unhas e dentes até o final do ano passado.

O tom do discurso era de quem estava em plena campanha política. Falou em “plenos pulmões” sobre legitimidade do atual governo, de pessoas que estariam usando a rede social para pressionar o prefeito, insinuou que alguns poderiam está sendo utilizados como massa de manobra e por várias vezes afirmou que a nova gestão era “um governo dos trabalhadores”.

No meio do discurso e do nada, tocou no assunto da retomada do Hospital Ivan Ruy e disse que alguém no movimento, aliado do maior proprietário de terras do entorno da unidade hospitalar (no caso, o empresário Luis Serra), estaria utilizando os servidores por revolta ao tal processo de desapropriação.

O petista ficou tão desnorteado fazendo uso do microfone que chegou a alfinetar o próprio aliado do governo, o ex-prefeito Dr. Magno Bacelar, afirmando que este não havia repassado todos os documentos durante a transição do seu governo. “Quando o Dr. Magno saiu que passou para o gestor anterior existiu transição, tinha algumas documentações que faltavam, mas no geral a documentação existia, existiu transição”, disse ele.

Ao final, se dirigindo ao servidor Oberdan Lopes (ex-candidato a vereador), que questionou o seu discurso, o presidente da Câmara teria chegado a dizer que “com ele não discutiria porque ele não tinha moral”. Enfim, a declaração além de uma falta de respeito soou de forma arrogante, inoportuna e desnecessária.

Se uma das poucas pessoas próximas do governo com habilidade do diálogo age dessa forma, o cenário vindouro que se desenha em tempos de crise é o pior possível.

E isto ficou muito claro!