Falta de sinalização em vias públicas de Coelho Neto é tema de intenso debate na Câmara

Falta de sinalização em vias públicas de Coelho Neto é tema de intenso debate na Câmara

O discurso do vereador Rafael Cruz (MDB), no Grande Expediente na Sessão Ordinária na última quinta (14), acabou levantando um grande debate em torno de uma problemática grave em Coelho Neto: a falta de sinalização nas vias públicas.

Cruz fez um discurso cobrando a sinalização na Avenida José Silva (no trecho da entrada da cidade), por considerar que o fluxo nas imediações é grande e com isso propício a acidentes.

Mohabe Branco

Em apoio ao discurso, o vereador Mohabe Branco (PSD), relatou que na frente da Igreja Assembleia De Deus existia uma faixa de pedestre que sumiu e mesmo assim a Polícia Militar teria feito durante a semana uma operação multando motos por estarem em cima de uma faixa que não existe mais.  Ele considerou a operação abusiva e sem qualquer tipo de diálogo.

Na sua intervenção lembrou que a cidade está sem sinalização em todas as suas principais vias, incluindo as portas das escolas e a própria frente da Prefeitura, aumentando os riscos de acidentes, sem que nenhuma medida para resolver o problema tivesse sido tomada pelo governo.

Júnior Santos

O vereador Júnior Santos (MDB), destacou a importância do tema já debatido diversas vezes por ele, fazendo referência da necessidade do município de cumprir a Lei, garantir a municipalização do trânsito e com isso os seus benefícios.

Ele citou como exemplo o caso da rua Rio Branco, onde caminhões param na contramão para abastecer comércios, motoristas estacionam no meio da rua para comprar carne – obrigando as pessoas a fazerem ultrapassagem e aumentar as chances de acidentes.

Santos cobrou da Polícia Militar que se for para aplicar multa, mas que seja para todos e que para isso era necessário primeiro organizar o trânsito da cidade. Ao final ele lembrou a necessidade de criação da Guarda Civil Municipal – GCM, destacando o aumento do número de roubos de motos e citando o exemplo da vizinha cidade de Buriti, onde a GCM tem dado importante suporte nesses casos para a Polícia Militar.

Ricardo Chaves

Em sua fala, o vereador Ricardo Chaves (PPS), destacou uma ação mais enérgica por parte dos vereadores para o caso, já que o governo municipal ao longo de quase três anos não tem dado nenhuma resposta para os reclames dos vereadores e da população, o que considera como um desrespeito por parte do Executivo.

Ele defendeu a realização de uma Audiência Pública para na sequencia levar o assunto ao Ministério Público, já que o governo não se manifesta. Chaves lembrou que o tema é questão de saúde pública pois a cidade não tem suporte para atender pacientes graves vítimas de traumatismo, por exemplo e que a prevenção era o caminho mais fácil.

O edil cobrou que o município se posicione sobre o que tem programado para realizar no setor, lembrando as vias públicas comprometidas pelos buracos, as escuras e falta de sinalização. Na sua fala ele também criticou a questão da educação na zona rural – citando o adiamento de chamamento de contratos, atraso no calendário escolar e convidando os vereadores a visitarem “in loco” as escolas.

Osmar Aguiar

O vereador Osmar Aguiar (PT), entre outros apontamentos destacou a legitimidade das cobranças com referência ao trânsito, mas ponderou que a municipalização do trânsito precisa caminhar em conjunto com a instituição da Guarda Municipal. Ele lembrou a intensidade do período chuvoso, mas que após isso o governo trabalhe para melhorar a situação no caso das faixas.

Ascom/CMCN

Vereador Rafael Cruz denuncia descaso no início do ano letivo na zona rural de Coelho Neto

Vereador Rafael Cruz denuncia descaso no início do ano letivo na zona rural de Coelho Neto

O vereador Rafael Cruz (MDB), utilizou o Grande Expediente na última quinta (14), para tratar da calamidade que se tornou o início do ano letivo nas escolas da zona rural de Coelho Neto.

Após visita nos povoados Deserto, Pimentas, São Domingos e Cruz as escolas estão funcionando pela metade e apenas com professores concursados. No povoado São Pedro as turmas estão pela metade e no povoado Cruz as aulas sequer começaram. No povoado Bonfim ele relatou que a escola foi fechada para levar os alunos para outra unidade, mas ainda não foi disponibilizado ônibus escolares para outras unidades.

O vereador cobrou da Secretaria de Educação providências urgentes no sentido de resolver a situação, que segundo ele compromete a aprendizagem dos alunos.

Sinalização

No mesmo discurso o vereador solicitou a sinalização da entrada da cidade (Avenida José Silva) no sentido de quem vem do Itapirema. Segundo ele o trecho tem grande movimentação de pessoas e veículos por se tratar de entrada e saída do bairro Olho d´aguinha, além do fluxo no IFMA, Fórum de Justiça e Upa. Ele disse que já havia solicitado a mesma ação na Avenida Coelho Neto e porta das escolas, mas o governo nunca fez nada para resolver a questão.

Abastecimento de Água

Ele cobrou a caixa de água no povoado Pimentas, que caiu e o abastecimento de água vem sendo feito diretamente na encanação, o que faz a bomba trabalhar mais e consequentemente ter mais chances de queimar, onerando sobremaneira o orçamento com gastos desse tipo.

O vereador foi aparteado por vários dos seus colegas que aproveitaram para apoiar e referendar a gravidade da problemática dos temas tratados.

Da Ascom/Câmara

Sobre descaramento, sobre o bloqueio do FPM de Coelho Neto e sobre vereadores…

Sobre descaramento, sobre o bloqueio do FPM de Coelho Neto e sobre vereadores…

Em mais uma matéria “plantada” com digitais do governo, um dos blogs da cidade fez uma postagem para tentar livrar o prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), dos desgastes ocasionados pelo bloqueio do Fundo de Participação dos Municípios – FPM.

Para tentar isentar o prefeito de suas responsabilidades, a matéria além de atribuir culpa no governo anterior e nos vereadores da legislatura passada, tenta se aproveitar do fato para justificar a falta de investimento do governo na cidade.

Primeiro é bom pontuar que quando o prefeito se predispôs a governar a cidade ele sabia não apenas desse problema, como vários outros deixados pela gestão anterior e mesmo assim quis ser candidato. Mas ele não foi eleito para desculpas esfarrapadas (que a cidade já está cheia delas), ele foi eleito para resolver os problemas com a mesma facilidade que ele resolvia quando estava no microfone da rádio. Infelizmente até agora não conseguiu.

Segundo, não é o bloqueio do FPM realizado em janeiro que vai impossibilitar o município de receber investimento, pois Américo está há mais de dois anos no governo e essa cidade não possui uma obra planejada, licitada, construída e inaugurada por ele. Engano, até tem uma pracinha, mas essa foi abandonada durante sua execução.

Por fim, quanto a querer atribuir a culpa aos vereadores da legislatura anterior e que foram reeleitos é mostrar que o governo está alheio aos fatos. Não era com esses vereadores que o prefeito esteva reunido durante a semana falando em diálogo? Não são esses vereadores da legislatura passada que hoje integram a base do governo?

Foram dois destes vereadores “gananciosos, maldosos desonestos e desumanos” pontuados na matéria (que integravam a legislatura passada) é que foram escolhidos recentemente para a liderança e vice-liderança do prefeito? É isso mesmo? Se os vereadores estão num entra e sai na prefeitura tratando dos interesses pessoais como diz a matéria, por que o prefeito os aceita em sua base? Ou eles só servem quando ao governo é conveniente?

Falta vergonha e sobra descaramento…

Vice-Prefeito de Coelho Neto denuncia mais uma gambiarra da Secretaria de Obras

Vice-Prefeito de Coelho Neto denuncia mais uma gambiarra da Secretaria de Obras

Anunciada com pompa como ação de governo finalizada com sucesso ainda em janeiro, a estrada que liga Coelho Neto aos povoados Vila de Fátima, Tigre, Taboca e Lagoa dos Cavalos não aguentou as primeiras chuvas.

A denúncia foi publicada ontem (10), pelo vice-prefeito de Coelho Neto Antônio Pires (PCdoB), em suas redes sociais. Acompanhado da vereadora Liza Pires (PCdoB), eles constataram “in loco” o serviço “meia boca” que fora executado.

É mais uma intervenção que revela que a Secretaria de Obras coordena ações que mais parecem gambiarras.

Tantas horas de trator pagas para um serviço com o mínimo de qualidade para constar que o dinheiro foi para o ralo mais uma vez.

Mas os para choques do governo no afão de defender o chefe acham que a população deve se contentar com o que foi feito.

Mesmo que tenha sido apenas mais uma gambiarra…

As disparidades nos valores das bandas de Coelho Neto no Carnaval

As disparidades nos valores das bandas de Coelho Neto no Carnaval

Desde que fora divulgado o contrato com valores das bandas de Coelho Neto que tocaram no Carnaval, o assunto tem sido tema de vários questionamentos.

A celeuma foi causada justamente pelos valores individuais dos contratos. No dia a dia da atuação das bandas, todo mundo sabe a média do que é cobrado, mas pelo contrato todos estão com valores duas, três e até quatro vezes a mais do que o normal.

A Banda Uz Karaê por exemplo, faz show em média de 3 mil reais e no contrato da Prefeitura aparecem com valor de R$8.500,00.

A Banda Zambalada que também faz show de R$ 3 mil reais em média, recebeu a maior fatia do bolo: R$ 10 mil reais superando inclusive a Banda Chibata Quente que recebeu apenas R$ 7.500,00 mesmo tendo atuação a nível nacional. Para quem não sabe a banda se apresentou recentemente em Rio Verde-GO e tem agenda em vários municípios do Estado. Estão super valorizando umas e desvalorizando outras? Ou qual o critério foi utilizado utilizado para cifras tão recheadas?

O que será que houve que os valores subiram tanto? Será que são as bandas se aproveitando ou a Prefeitura que resolveu ficar generosa demais?

Osmar Aguiar é aclamado novo Corregedor da Câmara de Coelho Neto

Osmar Aguiar é aclamado novo Corregedor da Câmara de Coelho Neto

Durante a sessão ordinária realizada ontem (07), o vereador Osmar Aguiar (PT), foi aclamado como novo Corregedor da Câmara.

A disputa para o cargo se daria entre os vereadores Camilla Liz (Pros) e Wilson Vaz (Avante), mas os dois decidiram abrir mão da vaga em favor de Aguiar, que segundo eles representava o equilíbrio da Casa. Cabe ao Corregedor zelar pelo cumprimento do Código de Ética e Decoro Parlamentar e Corrigir uso e abuso dos vereadores promovendo-lhes a responsabilidade, obedecendo os princípios da Lei Orgânica Municipal, Constituição Estadual e Constituição Federal.

Após ser eleito por unanimidade pelos presentes, o novo Corregedor recebeu os cumprimentos dos colegas.

PAUTAS

No grande expediente fizeram uso da palavra os vereadores Rafael Cruz (MDB) e Osmar Aguiar (PT).

Na ordem do dia houve a primeira discussão de autoria do Poder Legislativo solicitando autorização para abertura no Orçamento Vigente Crédito Adicional no valor de R$ 1.925.000,00 (um milhão e novecentos e vinte e cinco mil reais) que especifica e dá outras providências.

Foi autorizado por parte dos vereadores a cessão do plenário da Câmara para uso da Conselho de Saúde no próximo dia 12 de março às 15h.

Ascom

Uma conta salgada demais para o povo de Coelho Neto pagar…

Uma conta salgada demais para o povo de Coelho Neto pagar…

O Carnaval de Coelho Neto terminou. A cantora Márcia Felipe – tida como a principal atração da festa fez bonito: levou brincando por uma hora de show a bagatela de R$ 130 mil reais. Alguém conhece algum trabalhador comum que consiga ganhar tanto dinheiro em um curto espaço de tempo? Com certeza não.

Nada contra a cantora diga-se de passagem, mas a sua vinda é um contraditório, soa como deboche e na prática é um verdadeiro tapa na cara da sociedade. A realidade que a cidade vive hoje é muita amarga e nem o show de uma hora consegue a proeza de apagar os problemas que nos deparamos diariamente.

O mesmo prefeito de Coelho Neto Américo de Sousa (PT), que hoje esbanja todas essas cifras para tentar ludibriar o povo, é o mesmo que até bem pouco tempo atrás criticava essa prática. Era o “pão e circo” como ele dizia. Quem vai pagar essa conta tão salgada? O povo ora essa. Numa cidade onde se precisa de prioridades, um show rende muito mais popularidade do que uma cesta básica, sem dúvida alguma.

Falta dinheiro para reforma das unidades básicas de saúde, para a recuperação de calçamentos, para ajudar os trabalhadores demitidos para o Grupo João Santos, para empossar os seletivados dos Agentes Comunitários de Saúde, para reformar o hospital, para a realização de obras, falta para tudo, mas não falta dinheiro para bancar a vaidade de contratar um show por mais de R$ 100 mil reais.

Por que antes não podia fazer, mas hoje pode.

Será que essa cidade está em crise? Será que o problema de Coelho Neto realmente é falta de dinheiro?

Ou é falta de uma boa dose de vergonha na cara?

Situação caótica de ruas do Bairro Sarney é tema de debate em sessão da Câmara de Coelho Neto

Situação caótica de ruas do Bairro Sarney é tema de debate em sessão da Câmara de Coelho Neto

A situação caótica de algumas ruas do Bairro Sarney foi tema do discurso do vereador Ricardo Chaves (PPS), durante o Grande Expediente da sessão da última quinta (28).

A sessão fora presidida pelo vice-presidente da Casa Rafael Cruz (MDB), não teve inscritos no pequeno expediente e a eleição do Corregedor que constava na Ordem do Dia não fora apreciada pela falta de quórum para a votação.

Participaram da sessão ainda os vereadores Luiz Ramos, Liza Pires, Camilla Liz, Sillas Alexandre, Reginaldo Janse, Júnior Santos e Wilson Vaz. Ao final o vereador Rafael Cruz fez uma defesa dos parlamentares sobre a ausência na Audiência Pública realizada pela Prefeitura.

Ele esclareceu que os vereadores haviam apreciado a liberação do prédio para um evento em março e não para dois dias depois da sessão. Deixou claro que o erro do governo foi decisivo para a não presença dos parlamentares, pois a nova data não havia sido colocada sob apreciação. Classificou o ocorrido como manobra e disse que por ele, em casos de mudanças de datas de última hora sem a apreciação dos vereadores a autorização de cessão do prédio não deverá ser mais concedida. Ele justificou a ausência do presidente Marcos Tourinho (PDT), que estava em viagem para resolver questões de ordem pessoal.

DEBATE

O vereador Ricardo Chaves foi enfático na situação de abandono de ruas como a D, E, K e N, todas no bairro Sarney. Após visita in loco, o parlamentar destacou que além de não ter nenhuma ação do governo para recuperar as vias, não havia sequer por parte do governo a preocupação com a segurança pois não havia sinalização.

Ele criticou a falta de planejamento do governo, a ausência de recuperação de ruas prometido pela própria gestão e a situação de abandono que vive as ruas da cidade.

APARTES

Em seu discurso o parlamentar foi aparteado pelos colegas Júnior Santos (MDB), Reginaldo Janse (MDB) e Luiz Ramos (PSD). O primeiro corroborou com as cobranças e solicitou a capina da praça Pedro Cialdine Silveira (próxima a De Um Tudo), os dois últimos reconheceram as necessidades, mas pontuaram o cenário de crise e as dificuldades financeiras do município.

Da Ascom/Câmara

Erro do governo pode ter provocado ausência dos vereadores em Audiência Pública

Erro do governo pode ter provocado ausência dos vereadores em Audiência Pública

O servidor da Secretaria de Comunicação Ezequias Martins divulgou postagem nesta quinta (28), cobrando a presença dos vereadores na Audiência Pública de Prestação de Contas da Prefeitura de Coelho Neto.

Talvez não tenha sido informado, a data da audiência que era para ser realizada em março foi antecipada e o desencontro na informação pode ter ocasionado a ausência.

A Câmara divulgou nota sobre o caso. Confira:

Sobre não participação dos vereadores em Audiência Pública realizada pela Prefeitura de Coelho Neto nesta quinta (28), a Mesa Diretora expõe o que abaixo segue:

1. Por ser uma ação de governo, a mobilização da sociedade, bem como dos vereadores é de responsabilidade exclusiva do governo municipal;

2. Na sessão da última segunda (25), os vereadores aprovaram a cessão do espaço da Câmara para uma Audiência Pública que seria realizada apenas no dia 20 de março, conforme ofício nº 040/2019;

3. Acontece que uma mudança do próprio governo fez com que a data fosse remarcada e um novo ofício fosse enviado para a Câmara justamente às 13h:03 da última terça (26), após o expediente da Câmara. O evento que seria realizado um mês depois fora antecipado para um dia depois do novo protocolo;

Novo ofício remarcou audiência para um dia após o protocolo

4. A Mesa Diretora não delibera sobre a agenda pessoal dos vereadores, mas acredita que o atropelo na mudança de data pode ter sido decisivo para a ausência dos edis;

5. Por fim, os vereadores tem se colocado à disposição para contribuir com todas as discussões de interesse da sociedade.

Assessoria de Comunicação

Júnior Santos propõe força tarefa para ajudar alunos a receber diplomas em Coelho Neto

Júnior Santos propõe força tarefa para ajudar alunos a receber diplomas em Coelho Neto

O vereador Júnior Santos (MDB), se utilizou do Grande Expediente na última segunda (25), para anunciar que tomará providências sobre a situação da dificuldade de alunos em receber diplomas em Coelho Neto.

Segundo o parlamentar, ele foi procurado por uma comissão de alunos que haviam concluído o curso numa Instituição de Ensino Superior, mas que estavam tendo dificuldades para receber o documento.

Ele disse que acionaria a Comissão de Educação e demais vereadores após o Carnaval para depois de ouvir os alunos buscar alternativas de evitar que os alunos da cidade fossem lesados com a não entrega do documento.

OUTRAS DEMANDAS

O vereador também tratou demandas na infraestrutura. Ele solicitou ao secretário de Infraestrutura a execução de uma operação “tapa-buracos” no centro da cidade, solicitou a reposição de lâmpadas no bairro Olho d´Aguinha com atenção especial as proximidades do pólo da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA.

Para a Secretaria do Meio Ambiente, o vereador solicitou o serviço de capina para a Escola Justino Bastos, para o Farol da Educação e nas pracinhas nas proximidades do Jaguar Clube.

APARTE

O vereador Rafael Cruz (MDB), aparteou o colega, apoiou a iniciativa em torno dos alunos com dificuldade em receber seus diplomas e solicitou que fosse incluído medidas paliativas para resolver a recuperação de ruas comprometidas com a trafegabilidade, haja visto as denúncias de carros atolando por conta das chuvas.  

ELOGIOS

Ao final o vereador parabenizou o secretário Adjunto de Cultura Antonio do Nascimento pelo espaço reservado para os artistas locais na programação do Carnaval 2019. Ele se mostrou otimista e se mostrou confiante em termos um dos melhores carnavais da região.

Ascom/Câmara